Política

Wi-Fi livre em Canoas está de acordo com plano de governo

Registrado em 2012, o plano de governo para o município projetava a implantação de uma rede de internet sem fio que foi lançada oficialmente em março desse ano.

Sinal é bom em frente ao Escritório do Empreendedor em Canoas. (Foto: David Farias)

Sinal é bom em frente ao Escritório do Empreendedor em Canoas. (Foto: David Farias)

Em 2012, com o registro do projeto de campanha da chapa que venceria as eleições no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Canoas passou a contar com um projeto para ter Wi-Fi disponibilizado gratuitamente à população. Em junho de 2015 foi iniciada a implementação da rede, que hoje conta com mais de 14 mil inscritos.

Lançado em março deste ano, o programa de internet sem fio está em funcionamento em 22 pontos da cidade, com previsão de implantação de mais dois. Para utilizá-lo é necessário realizar o cadastro na plataforma e fazer login a cada conexão. O registro é feito a partir do nome, CPF, e-mail e data de nascimento de cada cidadão.

Concentrados na região central da cidade, apenas os prédios da administração pública e duas praças possuem pontos disponíveis. Além desses, mais dois parques passarão a disponibilizar a rede em breve. O Parcão – Parque Eduardo Gomes – é um dos pontos que passam por obras neste mês: a instalação dos postes e a passagem de fibra ótica estão em execução. O Capão do Corvo – Parque Getúlio Vargas – também receberá o serviço, previsto para iniciar até o final de abril.

Questionado sobre o alcance do sinal e o plano registrado no TSE, o governo esclareceu que “a ideia do projeto é atender a todas as grandes praças e parques da cidade. O sistema está sendo implantado dentro da gestão, portanto cumprindo com o programa de governo”. O alcance de cada ponto de rede depende de obstáculos e outras interferências, mas pode variar de 30 a 120 metros ou até distâncias maiores em espaços abertos. Atualmente, a média de velocidade de conexão está entre 5 e 10 Mbps. Os servidores municipais também dispõem de uma rede interna, a PMCWIFI, porém mesmo assim 10,43% deles são usuários da rede CanoasWiFi, o que equivale a 1.633 pessoas.

Moradora do Centro, a estudante Bruna Berwanger, 20 anos, conta que não sabia da existência do projeto, mas acha muito bom. Eduardo Roani, 22, tecnólogo em Radiologia Médica e também residente da cidade, diz que ainda não utilizou o serviço, mas acredita ser um avanço. “Muitas coisas podem ser agilizadas na internet, como o pagamento de contas, pesquisas e acesso a documentos. Muitas vezes no nosso dia a dia pode acontecer de acabar a internet pré-paga e temos que voltar em casa para ir em busca dessas informações. Tendo acesso à internet, facilita isso”, relata Roani.

A secretaria bilíngue Daniela Dalsotto, 37 anos, afirma que a iniciativa é importante. “Visto que a maioria da população possui smartphones, independentemente da classe social,  e também muitos órgãos governamentais possuem aplicativos, acho boa essa iniciativa de disponibilizar para todas as pessoas terem acesso à rede Wi-Fi. Pois não adianta termos ferramentas se não tivermos como utilizá-las”, conclui.

Testando

A Beta Redação foi até o Escritório do Empreendedor, um dos locais que possuem um ponto de Wi-Fi livre disponível, e testou serviço. O resultado foi positivo: é possível ver vídeos e utilizar as redes sociais tranquilamente e com rapidez. Porém, o alcance do sinal não cumpre o prometido. Se você der alguns passos até o prédio ao lado, por exemplo, a conexão já chega ao seu limite de alcance e não é mais possível localizar a rede.

Detalhes do cadastro na hora de utilizar o wifi. (Foto: David Farias)

Detalhes do cadastro na hora de utilizar o wifi. (Foto: David Farias)

Lida 918 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.