Economia

Unisinos investe no ramo da tecnologia e da inovação

Instituição inaugurou espaços que integram empresas e conhecimento acadêmico

Em sequência às atividades que têm sido desenvolvida nos últimos anos, a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) inaugurou em maio dois ambientes voltados para área de inovação tecnológica e social: o Instituto Tecnológico de Semicondutores da Unisinos (itt Chip) e o  e o Portal de Inovação.

Ambos os espaços têm objetivo de integrar a universidade e empresas para trabalhos colaborativos no desenvolvimento de inovações.

Fortalecimento da indústria eletrônica

Com 2.500m², o Instituto Tecnológico de Semicondutores é um centro de excelência para suporte empresarial, pesquisa, desenvolvimento e inovação em encapsulamento e testes de semicondutores (chips), materiais e produtos eletrônicos.

Laboratório Polymer Eletronics.  Fotos: Rodrigo W. Blum/Unisinos

Além de oferecer capacitação e serviços, o espaço também conta com 750m² de sala limpa. De acordo com o coordenador do Instituto, Celso Peter, nenhuma outra universidade no país possui espaço igual. Para ele, quando se trata de microeletrônica, ter todo esse espaço disponível é uma necessidade de infraestrutura. “Não é só questão da limpeza em si, precisamos ter temperatura e umidade controladas. Os processos e os materiais exigem esse controle, se não, não funciona”, aponta.

A vantagem de ter um espaço grande é a possibilidade de montar diversos laboratórios dentro do ambiente controlado. Atualmente, estão em funcionamento três deles: o de montagem, o de encapsulamento e o de eletrônica flexível. No entanto, há possibilidade de se instalarem novos. Inclusive, no futuro o Instituto contará com um laboratório de microfabricação para se trabalhar com incubação e produção, conta o coordenador.

 Laboratório Polymer Eletronics. Foto: Rodrigo W. Blum/UnisinosLaboratório Polymer Eletronics. Foto: Rodrigo W. Blum/UnisinosLaboratório SMT. Foto: Rodrigo W. Blum/UnisinosO itt Chip tem como público alvo empresas parceiras da Unisinos e também novas empresas que buscam espaços para o desenvolvimento de produtos e resoluções de processos.   

Durante a inauguração do espaço, o diretor da Unidade Acadêmica de Pesquisa e Pós-Graduação da Unisinos, Alsones Belestrin, apontou que os institutos aproximam a academia das empresas. “Acreditamos que a criação e desenvolvimento da plataforma e espaços tecnológicos vão construir pontes onde empresas vão poder desenvolver seus projetos tecnológicos em um ambiente com estudantes e pesquisadores”, declarou.

Compartilhamento de ideias e conhecimento

Pensando em conectar a universidade com as empresas, governo e sociedade, da mesma forma foi inaugurado um espaço de 1.300m² com salas para desenvolvimento de projetos, atividades de pesquisa, Co-Working e ações, chamado de Portal de Inovação. Para além do living lab, o polo também se expandiu para o ambiente virtual, através do site da Unisinos.

Segundo o gerente de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Unisinos, Daniel Pedro Puffal, o espaço tem como objetivo ser o ponto de contato entre as empresas e a universidade para enriquecimento do conhecimento.

Divulgação Portal de Inovação

A iniciativa de se criar um ambiente físico partiu do reconhecimento de que dentro da instituição são gerados diferentes níveis de conhecimento e que muitas vezes não chegam à sociedade. “Não basta fazer uma pesquisa, gerar no final um relatório e parar numa gaveta, na biblioteca ou num arquivo virtual. Esse conhecimento pode se transformar em inovação, tecnologia e até mesmo em um produto que as empresas podem disponibilizar para sociedade”, questiona. “Precisa haver essa relação da universidade com empresas”, afirma Daniel.

Dessa forma, a proposta do Portal  de Inovação é criar um ambiente para se trabalhar junto com as empresas, criando a possibilidade de se gerar produtos e processos inovadores. “Queremos que nesse ambiente aconteça uma troca de conhecimentos e através disso seja criado algo novo”, declara o coordenador.

Valorização

Na opinião de Daniel, as ações propostas pela Unisinos tem valorizado a região do Vale dos Sinos. Antes voltada para uma matriz econômica de produção calçadista, hoje a região tem sido reconhecida por uma matriz mais tecnológica, contando com empresas de dez nacionalidades distintas dentro do Parque Tecnológico.

Além da melhora na qualidade de vida, Daniel aponta que houve um aumento no desenvolvimento econômico da região, resultando salários maiores, um número maior de pessoas qualificadas e um nível de emprego melhor, atraindo assim novas empresas para o município.

Lida 1160 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.