Economia

Troco é preocupação para comerciantes de Estância Velha

Usuários destacam escassez da nota de R$ 5/Foto: Francine Malessa

Usuários destacam escassez da nota de R$ 5/Foto: Francine Malessa

Uma preocupação tem sido constante e comum entre os comerciantes de Estância Velha: a falta de troco. Nos caixas dos comércios – mercados, lojas, farmácias, entre outros – faltam moedas em geral, e cédulas de baixo valor, como R$ 2 e R$ 5. “Não vou ter troco para te dar”, avisa a comerciante e caixa do Comercial Schneiderhaus, Andréia Schneider. A compra havia sido um total de R$ 6,93 e a nota dada para o pagamento era de R$ 20. “Tá todo mundo sem troco”, completou ela.

Ainda segundo Andréia, a escassez das notas pequenas ocorria mais no início do mês, quando os consumidores recebiam. No entanto, agora não há mais um período específico. “Geralmente no fim do mês o pessoal traz os trocos, pois vai juntando o que tem em casa. Além disso, ainda tem quem faz o cofrinho em casa e deixa para trocar tudo junto no fim do ano”, conta. Ela relatou ainda que, quando os comerciantes vão ao banco, lá também são informados de que não há troco.

Do mercado de bairro para o Centro, percebe-se que a escassez de cédulas e moedas é ainda mais acentuada. “Todos os dias recebemos ligações do mercado, da farmácia, da loja, querendo saber se a gente tem trocado”, conta a comerciante Veridiana Sauerssig. Ela diz que sempre tenta ajudar os outros comerciantes. “Muitas vezes vem alguém aqui com uma nota alta e pega um produto de baixo valor para conseguir troco. Também é comum que o consumidor venha pedir o dinheiro trocado para o ônibus”, relata.

Por outro lado, o gerente empresarial da Caixa Econômica de Estância Velha, Daniel Ernesto Osmarin Borba, informa que não sente diferença na circulação de tais cédulas e moedas. “Nós trabalhos muito com o pagamento de benefícios, então, nossos caixas estão sempre municiados com notas de baixo valor para que possamos pagar 100% dos benefícios.” No entanto, o gerente afirma que, pessoalmente, tem notado uma escassez das notas de R$ 5.

A recepcionista Camila Oliveira da Silva compartilha da mesma opinião. “Não senti diferença em notas de troco. Meu pai, por exemplo, fez um saque no Banrisul e recebeu tudo em notas de R$ 10. O mesmo aconteceu com o meu namorado no Banco do Brasil. Mas eu percebi que as notas de R$ 5 diminuíram”, conta. 

O Banco Central foi contatado pela Beta Redação, mas até a noite de segunda-feira (30/11) não havia se pronunciado. O gerente da Caixa Econômica afirma que o BC não repassa aos bancos informações sobre o volume das cédulas.

Lida 633 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.