Economia

Inovação: transporte público testa novas formas de pagamento

Trensurb e Carris podem começar a aceitar cartões de crédito e débito, entre outras novidades

Usuária do transporte coletivo (Foto: Jéssica Trajano / Beta Redação)

Usuária do transporte coletivo (Foto: Jéssica Trajano / Beta Redação)

O valor do transporte público é assunto frequente nas paradas de ônibus e estações de trem, especialmente quando os usuários estão nas filas – nada pequenas – para adquirir a passagem. Por isso, com o objetivo de modificar e facilitar a forma de pagamento, as empresas que prestam este serviço estão se modernizando e começando a testar novas tecnologias. A Trensurb e a Carris, por exemplo, são algumas das que apostam na inovação. O objetivo das companhias é tornar o acesso mais ágil e garantir mais segurança aos passageiros.

Trensurb é a opção mais barata de passagem (Foto: Jéssica Trajano / Beta Redação)

Trensurb é a opção mais barata de passagem (Foto: Jéssica Trajano / Beta Redação)

A proposta da empresa Trensurb é utilizar o formato de auto-atendimento para a venda de bilhetes através da cobrança por QR Code (do inglês, resposta rápida). Esse sistema deve diminuir os custos operacionais e trazer agilidade às filas do metrô. Quando o usuário adquire o bilhete, ele chega até a catraca, que está devidamente identificada, e aproxima o código para a leitura. O sistema começou a ser testado na Estação do Mercado, onde há profissionais orientando como utilizar o serviço, e a ideia é que venha substituir os cartões unitários. O novo bilhete, se o projeto for plenamente aprovado, também vai poder ser pago com cartão de crédito ou débito dentro das estações.

A viabilidade da implantação ainda está em fase de estudo – os testes seguiram até abril deste ano e, conforme os resultados, a Trensurb deve abrir licitação para o serviço. O projeto é apoiado pela startup gaúcha 4all e um possível aplicativo para smartphones deve ser lançado. É importante salientar que o desenvolvimento dessa tecnologia não gerou custos para o município.

“Começamos um trabalho de construção para viabilização definitiva de uma modernização do sistema de bilhetagem que temos hoje, que pode vir a ser tão bom ou melhor que o que foi testado”, afirma o superintendente de Desenvolvimento Comercial da Trensurb, Euclides Reis. Para ele, a tecnologia dos testes é um exemplo de possíveis processos de modernização, que também devem trazer avanços em outros aspectos.

Usuários de ônibus se acumulam pelo Centro de Porto Alegre (Foto: Jéssica Trajano / Beta Redação)

Usuários de ônibus se acumulam pelo Centro de Porto Alegre (Foto: Jéssica Trajano / Beta Redação)

Novidade: cartões nos ônibus

As reclamações da população não adiantaram: em 2017, houve um aumento de trinta centavos – e não mais 20, como ocorrera em 2013, quando foram desencadeadas as manifestações – nas passagens de ônibus. O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, em menos de cinco meses de gestão, sancionou o medida que começou a valer a partir da meia-noite de sexta-feira, dia 31 de março. O reajuste elevou em 8% o valor das passagens e foi aprovado pelo Conselho Municipal de Transporte Urbano (COMTU), com 14 votos favoráveis e três contra, dos 17 conselheiros. A medida leva em consideração a licitação do transporte coletivo, no ano de 2015.

“O valor não condiz com a qualidade dos ônibus e muito menos com a espera. A falta de ônibus em horários de pico, falta de ar condicionado, ônibus novos,” reclama a usuária Gabriela Duarte.

Mas qual a alternativa para esse pagamento quando não se pode deixar de usar o transporte coletivo? A empresa Carris apresenta uma novidade: desde março deste ano, a linha de T1 está aceitado cartões de crédito e débito, em formato de teste. A tecnologia utilizada, Contactless (sem contato, na tradução livre), traz a vantagem do uso simplificado, o que pode diminuir o tempo de fila no embarque.

Contudo, nem mesmo as vantagens das novas implementações parecem convencer os usuários. A estudante de arquitetura Andressa Fernandes chega a pegar até mais de dois ônibus por dias e pontua: “Facilitaria se desse para inserir créditos no bilhete pela internet usando o cartão de crédito, assim acredito que ficará a mesma coisa”, diz.

O valor da tarifa de transporte é debitado na fatura ou na conta do usuário e o tempo de validação deve ser mais rápido. O desenvolvimento dessa tecnologia é da empresa Autopass. Se implantado, Porto Alegre deve ser a primeira cidade da América Latina a disponibilizar esse serviço no transporte público.

 

Lida 1121 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.