Política

Temer ouviu que Joesley aliciou procurador, revela áudio

Áudio divulgado pelo STF revela tambem a 'mesada' a ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso em Curitiba

Divulgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na noite de quinta-feira (18), o áudio da conversa entre o empresário Joesley Batista, dono da JBS, e o presidente Michel Temer (PMDB) virou objeto de análise em todo o país. A Beta Redação degravou alguns trechos considerados mais importantes.

No trecho a seguir, a conversa mostra que o presidente Temer foi informado do aliciamento de um procurador da República que informava o grupo J&F, holding que controla a JBS, sobre o andamento das investigações da Lava-Jato.

A seguir, Joesley afirma estar pagando ao procurador Ângelo Goulart Villela a quantia de R$ 50 mil por mês para ele repassar as informações ao grupo. O procurador foi alvo de um mandado de prisão nesta quinta-feira (18). Na sequência da conversa o empresário diz que, além disso, “deu conta” de um juiz e “uma segurada” em outro. Os citados no diálogo são o titular e substituto da 10ª Vara Criminal de Brasília, Vallisney de Souza e Ricardo Leite respectivamente.

Joesley: Eu tô segurando as pontas. Tô indo. Eu tô meio enrolado aqui, né. No processo, assim, é investigado, eu não tenho ainda a denúncia. Aqui eu dei conta de um lado o juiz, dei uma segurada, de outro lado o juiz substituto.

Temer: Tá segurando os dois?

Joesley: Segurando os dois. Eu consegui um procurador dentro da força-tarefa, que também tá me dando informação, e eu lá, que eu tô pra dar conta de trocar o procurador que tá atrás de mim. Se eu der conta…tem o lado bom e o lado ruim. O lado bom é que dá uma esfriada até o outro chegar e tal, e o lado ruim é que se vem um cara com raiva ou com não sei o que…

Temer: (inaudível)

Joesley: Não, o que está me ajudando tá bom… Consegui colar um no grupo. Agora eu tô tentando trocar.

Temer: o que está… (inaudível)

Joesley: Isso. Então tá meio assim, ele saiu de férias… Até essa semana fiquei preocupado porque saiu um burburinho que iam trocar ele e não sei o quê. Tô contando essa história para dizer assim, eu tô me defendendo aí, tô me segurando lá.

Temer sabia sobre “mesada” de Cunha

Além da “compra” do procurador, Joesley ainda informou a Temer sobre sua relação com o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso em Curitiba, dando a entender que pagava a ele para continuar em silêncio.

Joesley: Eu queria falar assim: dentro do possível, eu fiz o máximo que deu ali, zerei tudo, o que tinha de alguma pendência daqui para ali, zerou tudo. E ele foi firme em cima e já estava lá, veio, cobrou, tal, tal, tal. Pronto. Acelerei o passo e tirei da fila. …. O outro menino, companheiro dele que tá aqui, né? … O Geddel [Geddel Vieira Lima, ex-ministro da Integração Nacional] sempre estava…  O Geddel é que andava sempre ali, mas o Geddel também, com esse negócio, eu perdi o contato porque ele virou investigado, agora eu não posso, também… Eu não posso encontrar ele.

Temer: É, cuidado, vai com cuidado. (inaudível) Obstrução da Justiça …

Joesley: Agora… o negócio dos vazamentos. O telefone lá….  com o Geddel, volta e meia citava alguma coisa meio tangenciando a nós, e não sei o quê. Eu estou lá me defendendo. Como é que eu… o que é que eu mais ou menos dei conta de fazer até agora. Eu tô de bem com o Eduardo, ok…

Temer: Tem que manter isso, viu…(inaudível)

Joesley: Todo mês.

Além disso, durante a conversa, Temer garante ao empresário um “alinhamento” com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Joesley: É isso que eu quero. Se ele [Meirelles] escorregar, eu digo, ó…
Temer: Consulte.
Joesley: Consulta lá.
Temer: Consulte o presidente.

Ouça o áudio na integra:

 https://soundcloud.com/fernandoolivieri/audio-temer-jbs [/soudcloud]

 

Lida 627 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.