Geral

Sindicatos marcam presença em manifestações contra as reformas trabalhista e previdenciária

Sindisaúde, Senergisul e Sintect reuniram grande número de pessoas nos atos

Os sindicatos de várias categorias aderiram, nesta sexta-feira (28), aos protestos da greve geral. A concentração de cada grupo se deu em locais diferentes e a maioria, em ato unificado, rumou para a Esquina Democrática. No início da manhã, Sindisaúde-RS, Sindicato dos Eletricitários do Rio Grande do Sul e Sintect-RS realizaram atos com seus afiliados.

Faixas anunciavam participação de funcionários do Conceição. Foto: Fernando Eifler/Beta Redação

Faixas anunciavam participação de funcionários do Conceição. Foto: Fernando Eifler/Beta Redação

 

Com faixas espalhadas pelo hospital e gritos de “Fora Temer”, os manifestantes do Sindisaúde-RS, que estiveram reunidos no Hospital Nossa Senhora da Conceição desde as primeiras horas da manhã, exigiam que as reformas trabalhista e previdenciária não sejam aprovadas. Arlindo Ritter, presidente da entidade, afirma que é preciso lutar contra as reformas que estão sendo impostas pelo governo, senão daqui um tempo negociar acordo com o patrão valerá menos que a CLT.

Por volta do meio-dia, um almoço, oferecido pelo sindicato, foi servido para todos os presentes no Hospital Conceição. Uma hora mais tarde, os manifestantes rumaram em direção ao Hospital Cristo Redentor. Ao chegar na Avenida Assis Brasil, encontraram-se com quem já estava lá e trancaram os dois sentidos da via, que permaneceu bloqueada por cerca de 45 minutos. A manifestação permaneceu no Hospital Cristo Redentor durante a tarde.

SINDISAÚDE-RS oferece almoço na mobilização. Foto: Fernando Eifler/Beta Redação

Sindisaúde-RS oferece almoço na mobilização. Foto: Fernando Eifler/Beta Redação

Quem também marcou presença nos protestos foi Sindicato dos Eletricitários do Rio Grande do Sul (Senergisul). Em cima de um caminhão, suas lideranças bradavam gritos de ordem contra o governo e contra as reformas. Ana Maria Spadari, presidente da entidade, pensa que é um absurdo o governo querer votar uma reforma que pode prejudicar o povo. “Foi terrível essa votação, outro golpe desse governo golpista”, completa.

O Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do Rio Grande do Sul (Sintect-RS) também aderiu à greve geral. Mas, diferentemente de outros sindicatos, seus integrantes não tiveram um ponto de encontro fixo. Alguns se dirigiram para as garagens dos ônibus durante a madrugada. Outros foram direto para a Esquina Democrática, onde se encontraram com quem começou a manifestação mais cedo. Alexandre dos Santos, representante do sindicato, diz que a manifestação foi impressionante e histórica para a classe trabalhadora.

Manifestantes sobem o Túnel da Conceição. Foto: Fernando Eifler/Beta Redação

Manifestantes sobem o Túnel da Conceição. Foto: Fernando Eifler/Beta Redação

Lida 482 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.