Política

Quem são os delatores dos gaúchos na lista de Fachin

Executivos da Odebrecht envolvem quatro deputados federais do RS e o ministro Eliseu Padilha nas investigações da Lava Jato

Com a divulgação da lista de inquéritos abertos por determinação do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF, os políticos envolvidos ganharam as manchetes nesta terça-feira (11). Do Rio Grande do Sul, serão investigados quatro deputados federais e o atual ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB).

Entretanto, quem são os dirigentes da Odebrecht que delataram os políticos gaúchos? A Beta Redação fez um levantamento sobre esses delatores e sua participação em todas as fases da investigação.

Cláudio Melo Filho – Citado como “CMF” em e-mails enviados por Marcelo Odebrecht, que atualizava estratégias e informações sobre esquemas da empreiteira com a Petrobras, Claudio Melo FIlho era diretor de Relações Institucionais da Odebrecht. Era homem de confiança do presidente da empreiteira e tinha uma relação boa com congressistas, o que estreitava a relação entre a empresa e o alto escalão político.

No início de 2016, o baiano de 49 anos foi denunciado pelo ex-senador Gim Argello (PTB-DF) por ter oferecido propinas para evitar que ex-diretores da empreiteira fossem convocados pela CPI da Petrobras. Porém, a acusação foi arquivada pelo juiz Sergio Moro.

Alexandrino Alencar – Atuava como diretor de Relações Institucionais da Odebrecht. Foi preso junto com todo o alto escalão da construtora, inclusive o presidente, Marcelo Odebrecht. Ele foi denunciado por distribuir propinas no exterior.

Alencar também foi delatado por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de abastecimento da Petrobras, que afirmou ter presenciado o então executivo da empreiteira discutindo sobre esquemas de benefícios e troca de interesses entre a Braskem, um dos braços da construtora, e a Petrobras.

Benedicto Barbosa da Silva Junior Ex-diretor-presidente da Odebrecht, da Benedicto Junior foi flagrado conversando com Marcelo Odebrecht a respeito de repasses de dinheiro e tratando de assuntos referentes a políticos. Citações semelhantes às de Odebrecht também foram investigadas em e-mails dele, que indicaram que o executivo tinha envolvimento nos esquemas da empresa com a Petrobras.

Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho – Diretor do chamado “departamento da propina”, ele está sendo investigado por ser um dos chefes das operações de distribuição ilegal de dinheiro pela Odebrecht. Assim como Benedicto Junior, Odebrecht e Alencar, Hilberto aparece em diversos e-mails em que se discutem estratégias para o repasse de dinheiro.

Valter Luis Arruda Lana – Ex-diretor superintendente da Odebrecht Sul, foi flagrado em e-mails nos quais solicita o pagamento de propinas da obra do Porto de Rio Grande.

Lida 814 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.