Geral

Projeto Descabelados desperta estudantes para o valor da doação de cabelo

Foi com o objetivo de fornecer informações sobre o câncer infantojuvenil, auxiliar no entendimento da doença, destacar a importância do diagnóstico precoce e estimular a qualidade de vida de crianças e adolescentes que quatro alunos do curso de Jornalismo da Unisinos criaram, para a cadeira de Jornalismo Online II, o Projeto Descabelados.

Os alunos Bruna Matana, Denise Morato, Douglas Ripel e Julian de Souza tinham a missão de criar uma plataforma digital durante o semestre e organizar um evento como encerramento da atividade acadêmica. Tudo com a supervisão do professor Daniel Bittencourt.

O grupo, então, resolveu organizar um dia de corte coletivo. A ação ocorreu no Diretório Central dos Estudantes (DCE), na terça-feira (24), entre as 17h e as 21h, com o auxílio de três cabeleireiras que se revezaram na tarefa de cortar as madeixas.

Todo o cabelo arrecadado no evento será encaminhado para a ONG Cabelaço, de Canoas, que possui uma parceria com a Marry Perucas, uma empresa que confecciona perucas e realiza o trabalho voluntariamente para a ONG. Foi através da Cabelaço que surgiu a inspiração para a realização do evento do Projeto Descabelados.

O grupo comprou os materiais necessários para a coleta das doações e cada profissional levou seu material próprio de trabalho. Até as 20h30 de terça, já haviam sido recebidas 37 mechas.

Letícia da Silva, 21 anos, é estudante de Pedagogia e uma das doadoras de cabelo. Ela conta que sempre teve vontade de cortar o cabelo mais curto, mas que sempre faltou coragem. “Quando vi a publicação da página da Unisinos divulgando o evento, pensei que seria uma boa oportunidade para mudar e também para ajudar quem precisa”, explica.

Antes e depois de Letícia, que doou 20 centímetros de cabelo / Foto: Anne Caroline Kunzler

 

Douglas, um dos idealizadores da ação, explica que, para alcançar um maior número de pessoas interessadas em participar, a ação foi divulgada em jornais como Correio do PovoVS, além de diversas páginas no Facebook, entre elas a do próprio grupo Descabelados, da Unisinos e de cursos da universidade.

A cabeleireira voluntária na ação Manoela Machado soube da promoção através de um grupo de jovens no WhatsApp, do qual o irmão participa. “Ele me avisou e perguntou se eu não queria fazer uma boa ação. Na hora topei. Acho muito legal e motivador pessoas doarem seus cabelos, algo que mexe tanto com a autoestima das pessoas, para proporcionar bem-estar a outras pessoas”, ressalta.

Manoela tem 21 anos e há dois trabalha como assistente de cabeleireira no salão Cabelo e CIA, de Sapiranga. Essa foi sua primeira vez como voluntária nesse tipo de ação, e ela garante que está deixando o próprio cabelo crescer para doar no ano que vem.

Thamela Garcia, 22 anos, é estudante de Fotografia e soube do Descabelados através de um cartaz no Restaurante Fratello. Ela, que já havia doado no ano passado, resolveu repetir o gesto e ajudar novamente as crianças. “Meu cabelo cresceu e vai crescer de novo, e com certeza vai fazer muita diferença para essas crianças”

cortecoletivo2

Thamela, estudante de Fotografia, doa cabelo pela segunda vez / Foto: Anne Caroline Kunzler

Outra cabeleireira que ajudou no dia de corte coletivo foi Cecília Martim, 24 anos, que atua no ramo há cinco e trabalha no Salão Esmalteria ByGi, de São Leopoldo. Foi sua tia, jornalista formada pela Unisinos, que a indicou para o grupo Descabelados.

“Sempre acho essa atitude de doar cabelo muita válida e importante. Para quem tem, é só cabelo, mas para aqueles que estão passando por uma situação tão difícil como um câncer, faz toda diferença. No salão vem muita gente pedindo para radicalizar no visual e sempre indico a doação”, comenta.

Lida 876 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.