Esporte

Praticar esporte no inverno é possível

No Rio Grande do Sul o inverno é sempre marcado por frios intensos. Com as baixas temperaturas, sair de casa para fazer exercícios é difícil, mas não impossível.

A pratica de exercício no inverno pode trazer bons resultados à saúde. (Foto: janeb13/ Pixibay.com)

A pratica de exercício no inverno pode trazer bons resultados à saúde. (Foto: janeb13/ Pixibay.com)

A prática de atividades físicas é muito comum no verão. Febre entre os brasileiros desde os anos 1990, ela já rende números impressionantes para o país. São cerca de 8 milhões de alunos e o título de segundo maior país em academias, com 31,8 mil estabelecimentos. Em contrapartida, os dados apontam que apenas 3,97% desses alunos são frequentadores fixos. 

Se no verão as academias lotam, o cenário é um pouco diferente no inverno. Com o frio que se estabelece no Rio Grande do Sul, é notável a diminuição de pessoas que persistem na prática de exercícios em academias. Esse abandono pode ser prejudicial para quem quer manter o bom rendimento corporal. Segundo a doutoranda em Biologia Molecular e Celular Mariana de Lima Coltro, 34 anos, é necessário manter uma rotina para que exista um bom resultado.

 Doutoranda em Biologia Molecular e Celular Mariana de Lima Coltro, 34 anos. (Foto: arquivo pessoal)

(Foto: arquivo pessoal)

“Normalmente no inverno está frio, e o corpo precisa de um metabolismo mais acelerado para manter a temperatura média corporal de 37ºc. Quando se pratica exercícios nessa estação do ano, acabam sendo gastas mais calorias porque o corpo demora mais para se aquecer, intensificando o metabolismo. Enquanto no verão a gente perde mais líquido, no inverno perdemos calor”, explica Mariana.

Ainda segundo a bióloga, o equilíbrio do metabolismo se chama homeostase, que é quando o corpo está numa temperatura ideal e o funcionamento está correto. É natural sentirmos nesse momento o aumento da fome. Para não ficar fora de forma, a dica então é saborear alimentos mais leves.

 

“Quando tu comes um chocolate ou algo mais pesado para o organismo, fica mais difícil manter a disposição de sempre e ter um bom rendimento no treino. O ideal é regular a alimentação com fibras, comidas que forneçam energia, mas de maneira não tão pesada”, aponta Mariana. 

 

Contudo, é possível sim ter aqueles momentos para se deliciar com um bom churrasco ou aquela pizza de calabresa, por exemplo. Embora para manter o corpo em forma seja necessário realizar uma dieta constante, comidas mais gordurosas são permitidas, contanto que não sejam ingeridas próximo do horário do exercício físico. Isso porque a alimentação pesada causa a liberação de mais hormônios no estômago, o que irá gerar uma sensação de cansaço, prostração e, consequentemente, diminuição da disposição para se exercitar. O ideal é comer algo leve pelo menos entre meia e uma hora antes do treino, como uma barra de cereal ou proteína por exemplo.

Mestrando em Direito Fabiano Müller, 24 anos.

(Foto: arquivo pessoal)

Prova de que a rotina e o esforço são cruciais para obter resultados, o mestrando em Direito Fabiano Müller, 24 anos, conta que perdeu 15 quilos em nove meses após mudar radicalmente seus hábitos. Ao entrar na faculdade, ele decidiu fazer exercícios pelo menos duas vezes por semana para sair dos seus antigos 90 quilos. “Faço atividades físicas aeróbicas duas ou mais vezes na semana, para melhorar a disposição no dia a dia e para cuidar da saúde”, relata Müller, que optou pela corrida na rua como forma de exercício.

De acordo com ele, manter o peso é uma preocupação constante. “Também pratico porque preciso manter controle da massa corporal, pois sempre há o risco do sobrepeso, porque atualmente comemos mais e com menos qualidade do que nossos pais e avós comiam tempos atrás”, conclui o advogado.

 

Lida 902 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.