Esporte

LPO: a prática esportiva que vem ganhando espaço nas academias do estado

O levantamento de peso olímpico tras inúmeros benefícios para a saúde de seus praticantes

Mundialmente conhecido, o levantamento de peso olímpico (LPO), é a modalidade esportiva que tem como objetivo o levantamento de maior quantidade de peso, do chão até acima da cabeça, por uma barra onde em suas pontas são fixados os pesos.

Competem-se em duas modalidades: arranco e arremesso. Tendo como objetivo, desenvolver a potência, força rápida e explosiva, exigindo técnica, flexibilidade, coordenação e equilíbrio.

As primeiras competições desta modalidade foram organizadas no final do século XIX, e vem se aprimorando devido a qualificação dos atletas e ferramentas utilizadas no esporte.

Em Novo Hamburgo, a academia Body Core é uma das poucas especializada nessa modalidade olímpica e a Beta Redação foi conferir de perto todo esse trabalho.

Conversamos com o Luciano Ongaratto, que é educador físico registrado no CREF 6653 e proprietário da academia, ele nos contou como foi feita a escolha para ser referência nesta categoria esportiva na região metropolitana de Porto Alegre.

Em 2009 se qualificou em Treinamento Funcional. Desde lá, houveram muitas evoluções no método de treino, desde a utilização de ferramentas como kettlebell (trata-se de uma bola de ferro fundido com uma alça) e fitas de suspensão, até a utilização de exercícios ginásticos e modalidades olímpicas. Entre elas o LPO.

Mas a prática do esporte, antes pouco divulgada, hoje vem na direção da diferenciação da forma de treinar o corpo, que anteriormente era muito associada a musculação e aulas de ginástica.

O grande efeito disso, são treinos inovadores e novos desafios todos os dias, fugindo da mesmice e de vetores biomecânicos, que antes eram limitados pela musculação.

“Isso motiva o aluno. São treinos novos todos os dias. Movimentos diferentes. Desafios antes não vividos. Mas para essa situação, estou buscando uma metodologia vinda do treinador da seleção americana de LPO, visto que não temos tradição na modalidade”, afirma o professor.

Luciano comentou ainda, que os alunos que faziam somente musculação e começaram a treinar com ele, hoje, não voltariam para somente a musculação.

O aluno Andre Tubino e professora Cláudia Pinheiro, fazendo alongamento pré treino. Foto: Paola Guimarães/Beta Redação

A academia Body Core conta com a supervisão do Luciano e também da Cláudia Xavier Pinheiro,  estudante de educação física, ex atleta de atletismo e handebol e conheceu o LPO num box de CrossFit há 6 anos atrás. Saiu do box e procurou um coach especializado em LPO, onde se apaixonou e segue nesta prática desde então, e há alguns meses atrás recebeu o convite do Luciano para ajudá-lo na Escola de LPO.

Além de ser mulher, Cláudia pega pesado com os alunos, fazendo com que se esforcem ao máximo e deem tudo de si a cada treino, com a supervisão assídua dela lado a lado com o aluno.

Prova de tudo isso, foi o relato do aluno da Body Core, Andre Lopes Tubino, dentista, 33 anos, residente de Novo Hamburgo.

Foto: Paola Guimarães

A professora Cláudia Pinheiro lembra da importância do alongamento pré treino. Foto: Paola Guimarães/Beta Redação

Treinando na Body Core desde sua abertura, percebeu que o treinamento funcional associado ao LPO tem se mostrado muito importante para o seu corpo e mente, pois devido a sua profissão, possui problemas crônicos de bursite no ombro e tendinite no pulso.

Acredita que esta modalidade olímpica tem se mostrado muito importante para o reforço e tratamento das mesmas, além de contribuir com as outras práticas esportivas que faz, como corrida, natação e surfe nos finais de semana.

Tubino treina de segunda à sexta-feira e, também, em alguns finais de semana. Para ele é evidente a vantagem em fazer algo que o motiva resultando na evolução nos treinos, aliada a um corpo e mente saudáveis.

“Só tenho a agradecer a estas duas excelentes pessoas, amigos e profissionais por proporcionar treinos qualificados, com isso não tendo nenhuma lesão desde que comecei a treinar” complementa.

Tubino reforça em sua fala o que já havíamos ouvido dos educadores, Luciano e Cláudia, sobre a importância de se fazer um treinamento com um profissional devidamente qualificado, evitando-se assim, lesões por atividades mal feitas, ou mal orientadas.

 

 

 

 

 

 

Lida 1230 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.