Esporte

Porto Alegre recebe o 1º Festival Internacional de Yoga

Participantes conheceram diversas modalidades da atividade

Caroline Garske e Stéphany Franco

 

Oficina de Yoga Dance aconteceu no sábado na Usina do Gasômetro. Foto: Caroline Garske / Beta Redação

Oficina de Yoga Dance ocorreu sábado (8) na Usina do Gasômetro. Foto: Caroline Garske/Beta Redação

 

No último final de semana aconteceu em Porto Alegre o 1º Festival Internacional de Yoga. O evento ocorreu de 7 a 9 de outubro e foi idealizado pela organização internacional espiritual e de serviço social Ananda Marga, que está presente em mais de 150 países e atua no Brasil desde 1974. Foram três dias de feiras, oficinas, palestras e aulas práticas, tudo realizado nos espaços da Usina do Gasômetro e da Câmara de Vereadores da Capital. Aproximadamente mais de 1.000 inscritos participaram da primeira edição do festival.

No yoga é comum que os praticantes possuam um nome espiritual, que é dado pelos monges aos iniciados em meditação. No sábado (8), no Gasômetro, a aula de yoga dance chamou a atenção de praticantes que nunca tinham participado da modalidade. A iogue Rashmi, como prefere ser chamada no yoga, conta que nunca havia feito aulas desse tipo: “Gostei muito e, como estou com problemas de saúde, essa prática mais leve é melhor para mim”.

Após a animada aula de yoga dance, a professora Larissa Lara, a Laliita, fala do que faz essa prática mais livre um diferencial. “Nessa modalidade utilizamos a filosofia do yoga com a liberdade e a alegria dos movimentos da dança. Temos uma energia que permeia os chakras (centros de energia) ao longo do nosso corpo. No yoga dance começamos com músicas e movimentos corporais de aterramento e finalizamos com uma ligação com o Eu Superior, desbloqueando fluxos estagnados e trazendo amorosidade, alegria e interiorização”, explica.

 

Confira imagens da aula de yoga dance:

 

 

A liberdade do yoga dance não está presente apenas na dança livre. Para Anasuya, professora que conduziu a aula junto de Laliita, o yoga dance pode ser praticado por qualquer pessoa, de qualquer idade e qualquer peso, pois o mais importante é praticar sem qualquer julgamento ou pré-conceito. “No yoga dance foram adaptadas e unidas as duas práticas milenares: o yoga e a dança. Quer dizer, os momentos de postura são conduzidos pelo professor e na parte de expressão livre o indivíduo pode se expressar livremente através do seu corpo”, afirma Ana Suya.

 

Outras modalidades

No  domingo (9), no Gasômetro, a professora Paula Carmona ministrou a aula de kundalini yoga, que tem o objetivo de despertar a criatividade dos participantes dentro da oficina de arte-terapia. “Yoga significa união, e é através da manipulação da energia interna com exercícios respiratórios, posturas estáticas e rítmicas, canto com mantras e técnicas singulares de meditação que energizamos nossos sistemas físico e sutil para gerar equilíbrio glandular, nervoso e imunológico”, afirma. De acordo com Paula, a técnica não é muito difundida no Brasil, porém no exterior tem sido pioneira para auxiliar no tratamento de distúrbios psiquiátricos e nervosos, tal como depressão e Mal de Alzheimer.

Já Marilice Bastos fez uma apresentação de acro yoga, uma modalidade acrobática que mescla características como a disciplina e o controle da respiração, com saltos, giros e inversões, além de técnicas de alongamento e relaxamento. Qualquer pessoa pode praticar a atividade, pois ela não exige preparo. “A aula proporciona o condicionamento. Por isso não há restrição de participantes na atividade”, relata.

 

Oficina de Biodança foi uma das últimas atividades do Festival. Foto: Stéphany Franco / Beta Redação

Oficina de biodança foi uma das últimas atividades do festival. Foto: Stéphany Franco/Beta Redação

 

A movimentação ficou por conta da oficina de biodança, ministrada pela professora Rosaura Couto, que pratica a atividade há 20 anos. “A biodança é um sistema de integração afetiva, de renovação orgânica e de reaprendizagem das funções originais da vida, baseado em vivências através dos movimentos da dança com músicas selecionadas que geram a purificação do indivíduo a partir de encontros não verbais dentro de um grupo”, explica.

Lida 1377 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.