Economia

Planejar para empreender

A importância da elaboração de um plano de negócios para garantir o sucesso do negócio

Assim como planejar uma festa ou uma viagem, planejar um novo empreendimento ou até mesmo a expansão de um negócio que já exista é muito importante, isso porque, com um bom estudo sobre, o risco de sair algo errado diminui bastante. E é por isso, que existe o plano de negócios, um documento escrito que apresenta o negócio, verifica sua concorrência, se há mercado para o produto ou serviço que será oferecido e se o retorno financeiro será válido.

Para a coordenadora do curso de Administração da Unisinos, Luciana Maines, a elaboração de um plano de negócios é fundamental. “Muitas vezes a gente acha que uma ideia é muito legal, mas na hora de realmente transformar isso em negócio, a orientação do plano, principalmente no quesito marketing, vai dar esse norte mais robusto, que vai ver se tem mercado e se ele dá conta dessa demanda”, afirma.

Confira a entrevista com Luciana Maines:

 

Conhecido pelo apoio que dá à micro e pequenas empresas, o Sebrae é uma alternativa para quem precisa de orientação. Segundo o técnico da regional metropolitana do Sebrae do Rio Grande do Sul, Luciano Silveira, são oferecidas assessorias e consultorias individuais. As assessorias têm um custo de R$ 50 a hora e servem para quando o cliente já tem um plano de negócio sendo desenvolvido e precisa sanar dúvidas. Já as consultorias custam R$ 1000 e são realizadas em seis encontros que auxiliam na formação do plano. No âmbito coletivo, o Sebrae oferece oficinas, que são soluções em grupo, nas quais o empreendedor assiste aulas que explicam teoricamente cada parte do plano e, após isso, realizam a parte prática. As oficinas são realizadas em dois dias e têm um custo de R$ 40.

Luciano diz que essas soluções são muito importantes para o empreendedor, porque muitas pessoas têm dúvidas quanto à elaboração de um plano de negócios, principalmente por ser um documento complexo. Para o técnico do Sebrae, a principal importância do plano é a de que ele reduz riscos: “tudo é risco quando se quer investir e abrir um negócio. E quando se faz um planejamento esses riscos diminuem”.

Gerente de negócios da Super Cooler, uma empresa que está na incubadora da UNITEC, centro tecnológico da Unisinos, Ricardo Gazzola conta que o Plano de Negócios, que foi elaborado no início do empreendimento, por incentivo de uma disciplina da universidade, já mudou várias vezes e continua sofrendo alterações. Para ele, a elaboração do plano foi muito importante: “mostrou pontos dos quais nós não prevíamos enquanto pensávamos no produto que íamos lançar. O plano de negócios nos ajudou a enxergar pontos até então cegos para nossa experiência e isso permitiu identificar o quanto de investimento seria necessário para a realização do negócio e embasou nossa conversa com investidores”, lembra.

Clarissa Barreto, sócia-proprietária de uma agência de comunicação, conta que, apenas 4 anos após abrir seu empreendimento, ela e os demais sócios foram pensar na importância de elaborar um plano. Segundo ela, o plano de negócio possibilitou que fossem reformuladas as atuações da empresa: “precificamos melhor os trabalhos e descobrimos novas áreas de atuação que não havíamos mapeado antes”.

O Canvas

Embora seja muito importante para a realização de um novo empreendimento, o plano de negócio é um documento complexo e bastante extenso. Com o intuito de facilitar essa etapa de análise de mercado e do produto ou serviço oferecido, o Sebrae criou uma ferramenta que pode ser desenvolvida em no máximo uma hora pelo empreendedor com o apoio de um técnico. Essa ferramenta é o Canvas.

Segundo Luciano Silveira, técnico do Sebrae, o Canvas é como um pré-plano de negócios, dura uma hora e custa R$ 50.  “Antes todo mundo fazia plano de negócios, que é mais aprofundado e extenso. Então, foram compiladas as melhores práticas do plano de negócios em uma ferramenta que desenvolve um planejamento em uma hora para ver viabilidade do negócio”.

Para Luciana Maines, o Canvas é um momento que antecede o plano de negócios, mas que não é possível usar apenas essa ferramenta para iniciar um empreendimento, pois o plano aprofunda melhor a ideia de negócio. “O Canvas tem a virtude de ser uma ferramenta mais rápida. Ao identificar um problema no Canvas se faz o ajuste e no momento que ele for validado, aí passa para o plano de negócios”, afirma a administradora.

Confira as partes que compõem um plano de negócios:

Modelo de plano de negócios utilizado na UNITEC, centro tecnológico da Unisinos. Foto: Caroline Garske / Beta Redação

Modelo de plano de negócios utilizado na UNITEC, centro tecnológico da Unisinos. Foto: Caroline Garske / Beta Redação

Lida 782 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.