Esporte

Paixão nacional na telona

Cinco filmes brasileiros sobre futebol que você precisa assistir

Futebol é uma paixão nacional e isso não é novidade.  Na década de 20, os cine-jornais reuniam público para assistir  à acontecimentos diversos país afora, incluindo futebol. Entre notícias, carnavais, apresentações artísticas, a tradicional peleia ganhava lugar nas telonas e encantava o público.

Conforme as tecnologias de produção audiovisual aportavam no Brasil, o cinema buscou inspiração no entretenimento  geral da nação: o futebol. Em 1967, o ícone da comédia vanguardista brasileira, Amácio Mazzaropi, estreou e dirigiu o filme O Corinthiano. Essa comédia pode ser considerada o primeiro longa de ficção que se apropria do futebol para dar desenvolvimento à trama.

Enquanto o esporte ganhava espaço nos noticiários, aos poucos foi chegando nas telas de cinema. Em 1986, Os Trapalhões e o Rei do Futebol chegou nas salas de cinema sob direção de Carlos Manga. O título da obra sinaliza o elenco, composto por Renato Aragão (Didi), Dedé Santana, Mussum, Zacarias. Além deles, Edson Arantes Nascimento, o Rei do Futebol, também conhecido como Pelé, era mais um elemento para o sucesso absoluto da obra. A bilheteria do filme foi memorável e os produtores estimam que mais de 3 milhões de pessoas assistiram à obra.

A popularidade da trama aqueceu a inserção do esporte nas narrativas cinematográficas. Abaixo, recomendamos (em forma cronológica) cinco filmes nacionais de ficção sobre futebol. Prepare a pipoca e aproveite!

Barbosa (1988)
Com roteiro de Giba Assis Brasil e direção de Jorge Furtado, o curta mexe com o coração dos brasileiros ao relembrar o final da Copa do Mundo de 1950, quando o Brasil perde o título para o Uruguai em partida realizada no Maracanã. Misturando ficção e documentário, o personagem de Antônio Fagundes viaja com uma máquina do tempo para 16 de julho daquele ano, a fim de mudar o destino das coisas. O filme conta também com depoimento do goleiro Barbosa, que defendia a seleção brasileira nessa fatídica partida.
Confira o curta “Barbosa” completo no link abaixo:

Boleiros – Era Uma Vez o Futebol (1998)
O filme traz a mistura básica do entretenimento brasileiro: drama, comédia e futebol. Na trama, um grupo de ex jogadores se reúnem para discutir futebol em um bar de São Paulo. Os veteranos transportam os espectadores para outras décadas, relembrando glórias de títulos e histórias peculiares, do gramado e dos bastidores. O filme tem direção de Ugo Giorgetti  e o elenco conta com nomes de peso do cenário brasileiro, como Lima Duarte, Otávio Augusto, Rogério Cardoso, Marisa Orth e Denise Fraga.

 

Uma História de Futebol (1998)
O premiado curta-metragem de Paulo Machline traz memórias de um personagem inspirado em Pelé, com uma narrativa nostálgica. O roteiro foi inspirado em depoimentos de Aziz Adib Naufal, amigo de infância do craque, sob escrita de Maurício Arruda e do próprio diretor. O filme foi premiado nos Festivais de Gramado, Brasília, Fortaleza e no Grande Prêmio Brasil. Além disso, concorreu ao Oscar na categoria de curta-metragem de ficção em live action em 2001. Não levou a estatueta, mas a indicação à maior premiação internacional de cinema consagrou o curta e também o diretor, que seguiu trabalhando com o futebol em suas tramas. Exemplo disso são os outros filmes de Machline: “Um Filho Eterno” e “Trinta”. Confira o curta Um História de Futebol completo no link abaixo:

 

Linha de Passe (2008)
O drama brasileiro dirigido por Walter Salles e Daniela Thomas é regido pelo futebol. Na trama, quatro irmãos da periferia de São Paulo lutam para conquistar seus sonhos. Em especial Dário, vivido por Vinícius de Oliveira, que aspira ser um jogador profissional de futebol. A obra foi indicada à duas categorias do 61º Festival de Cannes, nas categorias: melhor filme e melhor atriz. Não levou a Palma de Ouro mas, com muito mérito, a atriz Sandra Corveloni que interpreta Cleuza em Linha de Passe, foi premiada como melhor atuação feminina.

 

Heleno (2012)
A cinebiografia é inspirada na história do controverso jogador Heleno de Freitas. O diretor José Henrique Fonseca retrata a personalidade expansiva e dinâmica  desse ícone do futebol brasileiro. Quem interpreta o ídolo botafoguense é Rodrigo Santoro, que além de vencer dois festivais como melhor ator com esse filme (Havana e Lima), também produziu o longa. O filme promete uma imersão na década de 50, quando Heleno estava no seu auge. Para isso, toda obra é exibida em preto e branco, considerando que os filmes coloridos só surgiram na década de 70.

Foto: Daniel Behr/ Reprodução

Foto: Daniel Behr/ Reprodução

Gostaram das dicas? E olha que essas são apenas obras de ficção. Ainda existem dezenas de documentários sobre jogadores, personalidades e clubes brasileiros. As produções contemplam grandes times e também histórias que valem a pena serem resgatadas. Então, aí vai mais uma dica para quem é aficionado por futebol: vem aí o documentário A Liga dos Canelas Pretas.

A  obra retrata como o racismo atingiu o futebol no início do século XX através da agremiação dos Canelas.  A produção é baseada em pesquisa documental e em entrevistas com estudiosos do tema. O filme, de aproximadamente 30 minutos,  deve ser lançado ainda em junho deste ano.

 

Foto: Play Vídeo Produtora / Reprodução

Foto: Play Vídeo Produtora / Reprodução

Lida 642 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.