Geral

OPINIÃO: Desapega

betaderacao-economia-solidarioAcho que nasci com a alma velha. Gosto do que é antigo e o que, às vezes, não faz mais parte do meu tempo. Apesar disso, sou da geração que tem e resolve tudo em um deslizar de dedo, ou em um click. Se comunica, se relaciona, compra, vende e otras cositas más.

Atualmente, a cada conversa com amigos é mais habitual aqueles que fazem compras pela internet. O e-commerce, como é conhecida tal prática, ganha adeptos e fãs. Há previsões de que essa tendência de comercialização atinja, até 2019, cerca de 151,1 milhões de usuários. O Brasil conta com um terço de todos os “e-consumidores” da América Latina. Há quem acredite que até 2019 iremos para 49,7 milhões de consumidores digitais. Isso é muita coisa.

Mas apesar da facilidade de efetuar tais compras e vendas, podemos citar a facilidade de comparação de valores, na maioria das vezes, preços muito (muito) baixos, eu ainda prefiro o “téti-a-téti”. Pre-ci-so olhar, pegar, cheirar e principalmente saber da origem do que eu consumo.

E aí, acho importante pensarmos para além da economia de nossos próprios bolsos. Não é nenhuma novidade que o barato, às vezes, sai caro. Os produtos comprados pela internet nem sempre são de boa qualidade, você pode ter o produto agora, mas, provavelmente, não vai tê-lo por muito tempo. Além disso, em cima de quê, ou de quem os produtos ou serviços são tão baratos?

Essas novas relações de consumo devem ser respeitadas sim, estão fazendo girar milhões. Mas acho que a potencialidade que a internet nos dá, pode ser utilizada para valorizar outras possibilidades. O texto da colega Bárbara Müller aponta que a população do Sul do Brasil é a que mais acumula coisas que são comercializáveis. Diz ainda, que as pessoas, por aqui, tem dificuldade de desapegar das coisas. Pois bem, porque essas coisas “comercializáveis” não podem ser trocadas por outras coisas, ou serviços?! Tenho um sofá e preciso de um tapete, posso ensinar inglês e preciso aprender a cozinhar. Talvez nem tudo que queremos podemos consumir dessa forma, será que o que queremos é o que precisamos?

Poderíamos voltar lá para os tempos do escambo, quem sabe. Falei que tinha alma velha…

 

Lida 1163 vezes

Comentários

Um comentário sobre “OPINIÃO: Desapega”

  1. Silvia Marcuzzo disse:

    Sabrina,
    Muito legal teu texto e a ideia! Vamos trocar tudo, ideias, coisas, energias. O mundo é movido por trocas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.