Cultura

Artes visuais se espalham por Porto Alegre

Museus e galerias de arte da Capital apresentam exposições fixas e itinerantes que valorizam a produção local

Porto Alegre possui quatro importantes espaços – entre públicos, privados e fundações – que recebem a arte produzida no Estado e também a que vêm de fora do solo gaúcho. Confira e se programe!

 

Santander Cultural

Em 2001, depois de uma cuidadosa restauração, o espaço abriu suas portas ao público. Com o objetivo de fomentar a cultura na cidade por meio das artes visuais, do cinema e da música, o Santander Cultural tornou-se, ao longo do tempo, uma referência para Porto Alegre.

 

Prédio já foi um agência bancária (Crédito: Gustavo Schenkel/Beta Redação

Prédio já foi um agência bancária. Foto: Gustavo Schenkel/Beta Redação

 

Localizado no coração do Centro Histórico da capital, o espaço privado mantido pelo banco Santander conta com uma agenda movimentada, recheada de exposições itinerantes. Atualmente a exposição Paulo Gasparotto 50 anos de Colunismo Social – Certas pequenas loucuras, que conta com a curadoria de Paula Ramos, ocupa boa parte do 2º andar . A mostra, que traz a trajetória do mais famoso colunista social do Rio Grande do Sul, vai até o próximo dia 28.

 

Exposição sobre Paulo Gasparotto ocupa galeria superior (Crédito: Gustavo Schenkel/Beta Redação)

Exposição sobre Paulo Gasparotto ocupa galeria superior. Foto: Gustavo Schenkel/Beta Redação

 

A paixão de Gasparotto por cachorros ganhou grande destaque (Crédito: Gustavo Schenkel/Beta Redação)

A paixão de Gasparotto por cachorros ganhou grande destaque. Foto: Gustavo Schenkel/Beta Redação

 

Além das exposições, o centro conta com uma sala de cinema – que diariamente apresenta filmes que fogem do circuito tradicional e, em muitos casos, há sessões comentadas. Nestes casos, especialistas sobre a temática participam de debates após a exibição, aprofundando ainda mais a discussão.

 

Arquitetura clássica com pé direito alto e vitrais chamam a atenção (Crédito: Gustavo Schenkel/Beta Redação)

Arquitetura clássica com pé direito alto e vitrais chamam a atenção. Foto: Gustavo Schenkel/Beta Redação

Salas multiuso, Restaurante Moeda e uma Biblioteca são algumas das outras atrações do Santander Cultural. A entrada é franca – exceto para as sessões de cinema e de música.

Informações:

Rua Sete de Setembro, 1028
Centro Histórico
Porto Alegre RS Brasil
CEP: 90010-191

Telefone: (51) 3287-5500
[email protected]
www.santandercultural.com.br

Terça a sábado: das 10h às 19h
Domingos: 14h às 19h
Bilheteria
Terça a domingo, das 14h às 19h

Biblioteca
Ter a sábado, das 10h às 13h e das 14h às 19h

Cinema: R$ 10
Música: R$ 12

 

Museu de Arte do Rio Grande do Sul 

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli – MARGS é um dos espaços mais importantes para a cultura do estado. Possui mais de 3.600 obras de arte em acervo – que vão da primeira metade do século XIX até os dias atuais. No cardápio, diferentes linguagens de artes visuais, como escultura, gravura, pintura, desenho, arte têxtil e fotografia.

Com uma arquitetura eclética, que remonta à do início do século XX, o MARGS aposta na arte brasileira, com ênfase na produção de artistas locais – mas não esquece de obras de nomes nacionais e internacionais.

O prédio localizado no Centro Histórico de Porto Alegre, na Praça da Alfândega, com quase 5 mil m², foi construído em 1913 e desde então passou por diversas fases – e diferentes finalidades. Foi só em 1985 que passou a ser contemplado como tombamento em nível estadual. Entre 1996 e 1998, o MARGS passou por um grande trabalho de restauro, devido ao estado avançado de deterioração. Nos anos 2000, o prédio passou por uma nova restauração: recebeu pintura externa e manutenção.

 

Arquitetura clássica encanta os visitantes (Crédito: Divulgação Margs)

Arquitetura eclética encanta os visitantes. Foto: Divulgação Margs

O acesso ao MARGS e às exposições é gratuito. O Museu abre diariamente entre 10h e 19h. O MARGS está com as seguintes exposições em andamento:

Uma possível História da Arte do Rio Grande do Sul: Plural[ismos] no Sul

Local: Galeria Aldo Locatelli, no MARGS

Visitação: 12 de abril a 9 de julho de 2017

Obras ocupam duas salas do Margs (Crédito: Gustavo Schenkel/Beta Redação)

Obras ocupam duas salas do Margs. Foto: Gustavo Schenkel/Beta Redação

Exposição “Infâncias: diferentes modos de ver e sentir”

Abertura: 18 de abril de 2017, às 19h

Visitação: de 19 de abril a 21 de maio de 2017

Local: Galerias Pedro Weingartner e Angelo Guido do MARGS

Mostra busca explorar como a arte é essencial para a transformação das crianças (Crédito: Gustavo Schenkel/Beta Redação)

Mostra busca explorar como a arte é essencial para a transformação das crianças. Foto: Gustavo Schenkel/Beta Redação

Exposição: Pro Posições: exposição comemorativa dos 25 anos do Programa de Pós-Graduação em Artes visuais da UFRGS

Local: Pinacoteca do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli

Abertura: 02 de maio de 2017, às 19h

Visitação: 03 de maio a 25 de junho de 2017, de terças a domingos, das 10h às 19h

Exposição: POA 81

Fotógrafo: Flávio Wild

Local: Bistrô do MARGS
Período: 6 de maio a 30 de junho de 2017

Informações:

Endereço: Praça da Alfândega, s/n – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, 90010-15

Telefone: 51 3227-2311

Email: [email protected]

O MARGS funciona de terças a domingos, das 10h às 19h

 

Galeria Ecarta

Lançada em 2005, a galeria apresenta em sua essência arte contemporânea, por meio de mostras, circuitos de debates e oficinas. Apesar de recente em comparação aos museus tradicionais do Centro Histórico, vem chamando atenção. Em 2011, recebeu o Prêmio Açorianos de Artes Visuais como Destaque Espaço Institucional de Divulgação Cultural; já em 2015, a mostra Um firme e vibrante NÃO, que reuniu trabalho de mais de 40 artistas, recebeu a mesma premiação na categoria mostra coletiva. E, em 2016, a Os Teóricos Artrópodes: Metodologias e Práticas de Pesquisa em Campo Avançado (ou Uma Noite na Ilha dos Museus) foi a vencedora na categoria Performance.

Prédio histórico é localizado na Avenida João Pessoa (Crédito: Igor Sperotto/Divulgação)

Prédio histórico é localizado na Avenida João Pessoa. Foto: Igor Sperotto/Divulgação

 

Além do espaço para mostras e exposições, a galeria promove o projeto Ecarta Musical, que tem o objetivo de valorizar os músicos e a cena local. Os shows, que acontecem quinzenalmente na sede, são gratuitos. Inclusive, em 2011, a Ecarta levou o projeto para o interior do RS. Além de shows, o Ecarta Musical promove palestras, debates e outras atividades na área da música.

O gerente artístico da Galeria Ecarta é Leo Felipe, reconhecido agitador cultural de Porto Alegre. A atual mostra do espaço, que abriu nesta sexta-feira (5), é Fala, com curadoria de Gabriela Motta e Fernanda Albuquerque e trilha sonora do próprio Leo Felipe. Artistas como Amanda Copstein, Carla Borba, Viviane Pasqual, entre outros, manifestam sua incredulidade, tristeza, falência – e outros sentimentos – frente à crise política que coloca em cheque a democracia no Brasil. A visitação ocorre até o dia 17 de junho, de terça a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 10h às 20h; e domingo, das 10h às 18h, com entrada franca.

 

Obra RE_TRATROS, de Gustavo Diehl. Foto: Divulgação

Obra RE_TRATROS, de Gustavo Diehl. Foto: Divulgação

Informações:

Endereço: Av. João Pessoa, 943 – Farroupilha, Porto Alegre – RS, 90040-001
Telefone: (51) 4009-2970

 

Iberê Camardo

A Fundação Iberê Camargo foi criada, em 1995, com o objetivo de preservar e divulgar a obra do artista que dá nome à proposição. Um dos grandes nomes da arte brasileira no século XX, Iberê marcou época e deixou um legado bem característico.

As primeiras obras da Fundação – cerca de 50 – foram doadas pela viúva do artista, Maria Coussirat Camargo, que viveu meio século ao lado do pintor. Hoje, o acervo da Fundação Iberê Camargo conta com mais da metade de toda a produção deixada pelo artista – cerca de 7 mil obras, dividas em diferentes etapas: artístico e documental – a primeira parte conta com mais de 5 mil obras entre desenhos, guaches, gravuras e pinturas, enquanto a segunda abriga mais de 20 mil catálogos, recortes de jornais e revistas, fotografias, correspondências, cadernos de notas e matrizes.

 

Arquitetura do prédio, por si só, já é um grande atrativo. Foto: Fundação Iberê Camargo/Divulgação

Arquitetura do prédo é um grande atrativo. Foto: Fundação Iberê Camargo/Divulgação

Depois de 13 anos da abertura da Fundação, chegou o momento de levar todo este material para um local específico. Inaugurada em maio de 2008, a sede da Fundação foi projetada pelo português Álvaro Siza, um dos arquitetos contemporâneos mais importantes do mundo. Além de exposições fixas com obras de Iberê Camargo, o espaço recebe artistas convidados, que apresentam seus trabalhos em mostras espalhadas pelo prédio localizado na beira do Guaíba, em Porto Alegre, em um dos cenários mais bonitos da capital. No momento, estão sendo montadas as exposições NO DRAMA e Depois do Fim, que abrem ao público no dia 18 de maio. Recentemente, por questões financeiras e de manutenção da casa, a Fundação restringiu os dias de visitação somente a sextas-feiras e sábados.

 

Espaço interno privilegia a circulação (Crédito: Fernando Guerra/Divulgação)

Espaço interno privilegia a circulação. Foto: Fernando Guerra/Divulgação

Além das salas expositivas, a Fundação conta com átrio, reserva técnica, centro de documentação e pesquisa, Ateliê de Gravura, Ateliê do Programa Educativo, auditório, loja, cafeteria e estacionamento próprio.

 Informações:

Endereço: Av. Padre Cacique, 2000 – Cristal, Porto Alegre – RS, 90810-240
Telefone: (51) 3247-8000
Horário: Sextas-feiras e sábados, das 13h às 18h, inclusive feriados
Lida 862 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.