Geral

OMBUDSMAN: Saúde e educação em pauta

Educação e saúde. Apenas parte do que nos propomos a abordar na editoria de Geral, e que ditou o conteúdo produzido durante a última semana. Jogando com a abrangência da editoria, a busca dos repórteres segue atrelada a proximidade, novidade e importância para a sociedade.

As histórias contadas nos últimos sete dias tratam de uma escola estadual de São Leopoldo, de uma forma diferente de se alimentar, de bitucas de cigarro no centro de Porto Alegre e de um projeto de lei que combate a obesidade. Entre as publicações citadas, as três últimas trazem uma variedade de fontes que ajudam a embasar as informações transmitidas. Além disso, a emergência dos temas surge como um valor-notícia.

Comida é pasto, por exemplo, conta com o fator novidade como principal aspecto. Afinal, você já ouviu falar nas PANCs? E na Other Food? Além disso, pouco se ouve falar do crescimento populacional no mundo e das consequências que isso acarretará em nossos hábitos. Em uma busca pela Internet, notamos que nenhum outro veículo abordou a temática das Plantas Alimentícias Não Convencionais. Ponto para a Beta!

Outro assunto que também não foi divulgado em grandes portais, com exceção do endereço eletrônico do Senado, foi a aprovação do projeto de lei que pretende auxiliar no combate à obesidade pela Comissão de Educação, Cultura e Esportes. Duas pautas que se complementam, afinal, quem não busca por novos hábitos alimentares e se preocupa com a obesidade? Além disso, a matéria deve promover alterações nos currículos escolares. Mais um ponto para a Beta.

Você sabia que existem mais bitucas de cigarro no chão de Porto Alegre do que a quantidade de lugares no estádio Beira-Rio, ou na Arena do Grêmio? Acompanhando a cobertura feita pelos principais portais de notícias do Estado, a Beta também falou da iniciativa POA sem bituca. A matéria conta com o embasamento de dados para justificar a necessidade de alternativas para lutar contra a poluição gerada pelo descarte irregular das bitucas. Inclusive, os restos de cigarro podem gerar uma intoxicação ao meio ambiente e seres vivos.

Por fim, aproveitando o gancho da crise financeira estadual, a matéria sobre a precariedade do Instituto Estadual de Educação Professor Pedro Schneider poderia ter sido melhor explorada. Sente-se a falta de falas que aproximem mais o leitor da realidade vivida pela escola. Faltaram, principalmente, fontes, como pais, alunos, professores, Coordenadoria da Educação e uma posição do próprio Piratini. Além disso, poderia se ter buscado uma comparação com as demais escolas estaduais de São Leopoldo. A informação de que até mesmo o prefeito Anibal Moacir da Silva integrou o quadro de alunos do Instituto poderia ter sido mais trabalhada, trazendo também uma fala do chefe do Executivo.

A Beta segue trabalhando na busca de uma identidade própria, mas já podemos reconhecer o esforço dos repórteres em nos contar histórias que valem a pena e ainda não figuram ou não recebem destaque em outros portais.

Texto: Pedro de Brito e Francine Malessa

 

Lida 508 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.