Geral

OMBUDSMAN: Faça o que dizemos, e não o que fizemos

A proposta de hoje é pensar sobre o que fizemos enquanto repórteres da Beta Redação até agora, a fim de auxiliar com dicas, a partir de nossos erros e acertos neste período experimental, os próximos alunos que estarão em nossa situação no próximo semestre.

Quando, em semestres anteriores, eu via as disciplinas que estavam por vir no oitavo semestre, não imaginava nem de longe que seria como é. Na minha cabeça os laboratórios de cada editoria seriam como aulas convencionais. Um professor, uma turma, conteúdos, trabalhos e provas e “beleza, você foi aprovada e tchau”. Não. A Beta Redação é um veículo noticioso e nós somos repórteres de fato. Estamos sob a supervisão e orientação constante dos nossos professores, mas isso não diminui nossa carga de responsabilidade. É uma experiência forte que testa não somente nossa capacidade de produção em todas as editorias, mas também nossa habilidade para a convivência diária com a equipe, que são nossos colegas de aula e de trabalho ao mesmo tempo, além dos professores que assumem o papel de nossos chefes. Assim como no mercado de trabalho, há na Beta Redação os mais variados tipos de chefes e de colegas, e essa vivência nos agrega bastante, porque é um exercício prático.

A noção de trabalho em equipe, a perspicácia para lidar com os imprevistos, a relação com as fontes, o cumprimento dos prazos estipulados, tudo isso é empregado na rotina da Beta Redação. Particularmente, enfrentei uma dificuldade chamada “me inscrevi em cinco disciplinas e mais o TCC”. Tendo em vista esse transtorno, a primeira dica é: não misture TCC com Beta Redação todos os dias da semana. A demanda de trabalho da redação e o estresse da pesquisa e elaboração de sua monografia vão fazer você surtar e viver momentos de pânico, sendo que tanto a vivência na Beta quanto o trabalho de conclusão do curso são experiências únicas, que valem muito a pena serem saboreadas ao invés de engolidas com rapidez.

Conversando com os colegas, uma questão unânime surgiu e entra como segunda dica: organize-se para cumprir seu cronograma e prazos. Costumo dizer que um atraso na Beta Redação é como entrar no cheque especial do banco. Isso porque se hoje você não entregou uma matéria, parece simples. Mas amanhã você tem outra matéria e aí já são duas matérias, que no dia seguinte serão três e você ainda não terminou a primeira, e a sua pontuação vai diminuindo e o estresse aumentando, e o editor-chefe e o professor do dia cobrando você por cada uma das três, mas você ainda tenta se livrar da primeira e já chegou a quarta, e junto dela a data da entrega da reportagem que você não concluiu porque não entregou suas matérias anteriores, e aí já entra em mais um atraso e, cara, acredite, sua vida vai virar um inferno. Então, relaxe e arrume um tempo no final de semana, assim que tiver o seu bendito cronograma em mãos, para deixar tudo organizado. Sério, faça isso ou vai se azarar muito, meu camarada!

A terceira dica é: chegue à redação com fontes e depoimentos prontos. À noite é difícil conversar com as pessoas por telefone, entrevistar pessoalmente mais difícil ainda, e se surgirem imprevistos o período de aula será suficiente para repará-lo, na maioria das vezes; do contrário, é provável que você entre no “cheque especial” que citei na dica número dois.

A quarta dica deixo por conta da colega Thaciane de Moura, que sugere maior interação com os assuntos de economia e política, porque são tidos como os mais complicados em relação à criação de pautas ao longo do semestre. Além disso, ela ressalta que é importante procurar boas fontes.

A quinta dica foi elaborada pela colega Bárbara Müller, que aposta numa experimentação maior. “Acho que o pessoal pode aproveitar a oportunidade e apostar em novos tipos de narrativas. Acredito que este seja o momento de se descobrir, ou redescobrir, como profissional”, afirma.

A sexta dica também é um apontamento recorrente entre os colegas: se organize com a turma e compre uma cafeteira, porque redação sem café é algo muito estranho. Você está lá, apavorado com tudo enquanto escreve, e vai recorrer a quem para aliviar sua tensão ou te acordar para a vida? Ao café. Então, já sabe.

A sétima e oitava dicas, seguindo essa linha mais descontraída, são sugestões da colega Francine Malessa. “Faça estoques de energéticos e calmantes. Mas não os use ao mesmo tempo”, aconselha. E também recomenda reuniões de pauta realizadas no bar. “Afinal, você passará longe dele durante o semestre”, alerta.

A nona dica é bastante importante, tão importante quanto as anteriores, e foi proposta pelo colega Thiago Santos. “Orar, rezar e chorar”, recomenda.

Por fim, a dica número e nota dez é: siga as nove dicas anteriores e tenha um semestre bem mais tranquilo  que o nosso na Beta Redação. Afinal, agora já sabemos como se faz.

Lida 573 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.