Economia

O mercado do e-commerce

O varejo online é uma das atividades econômicas com maior crescimento no país

Fonte: 2ª Pesquisa de varejo online - SEBRAE

Fonte: 2ª Pesquisa de varejo online – SEBRAE

 

As vendas pela internet chegaram ao Brasil no ano 2000. De lá para cá, cada vez mais as pessoas foram se rendendo ao hábito de não ir mais até as lojas, preferindo encomendar seus produtos diretamente de casa, do escritório, de onde estiverem. Essa movimentação fez com que o país já possua mais de 450 mil e-commerces ativos.

Daniel Moraes, CEO da empresa Trinto, que é especializada em projetos e estratégias de marketing digital para operações de e-commerces, fala que o aumento de empreendimentos desse tipo ocorre devido às vantagens que o formato possui. Como uma das principais, ele cita que o e-commerce possibilita que as vendas sejam realizadas para todo Brasil, tirando a limitação da compra apenas por quem está próximo, como é o caso das lojas físicas. Segundo dados do Sebrae, a região do Brasil que mais possui e-commerces é a Sudeste, seguida de perto pela região Sul.

No início de 2016, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) estimava que o e-commerce cresceria 18% a mais do que no ano passado. É um mercado em ascensão que conquista cada vez mais adeptos.

Além de abrir sua própria loja online, agora as lojas mais antigas e de maior movimento, como é o caso de Submarino e Americanas, oferecem a possibilidade de comerciantes menores venderem seus produtos através de seu site. É comum visualizarmos algum produto e, ao lado, aparece “vendido e entregue por”, com o nome da empresa responsável por aquela venda.

Daniel destaca que todo esse impulso tem tornado o mercado extremamente competitivo, pois cada vez mais surgem varejistas virtuais e isso seria uma desvantagem para quem deseja se inserir no ramo.

 

Faturamento

Durante o primeiro semestre de 2016, as vendas pela internet alcançaram um faturamento de R$ 19,6 bilhões. Isso representa um crescimento de 5,2% com relação ao mesmo período no ano passado. Entre os produtos mais vendidos estão os smartphones e os relacionados a moda e acessórios femininos. E esse crescimento não é algo que ocorreu apenas em 2016. A Pesquisa Anual de Comércio (PAC) do IBGE divulgou que, entre 2007 e 2014, as vendas realizadas pela internet cresceram 290,4%.

 

Frete

Para quem já possui loja física, oferecer vendas online favorece expansão da empresa, possibilitando que ela atenda públicos de outros estados. O Sebrae divulgou em sua pesquisa que o Estado que mais consome produtos pela internet é São Paulo, seguido pelo Rio de Janeiro. E essas compras são realizadas em sites que têm sua origem nos mais variados lugares. Daniel explica que os vendedores não precisam se preocupar com a questão do frete, pois pode haver uma relação diretamente com os Correios e através do sistema deles, pelo qual são automaticamente calculados o valor e o tempo para a entrega a partir do CEP informado pelo cliente na hora da compra.

E para você ficar mais seguro na hora de escolher o melhor e-commerce para realizar sua compra, o Buscapé lista inúmeros sites que não são classificados como confiáveis. É só clicar aqui e ver se você já pensou em adquirir algum produto através deles.

Lida 641 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.