Geral

Dia do Orgulho LGBT: Nuances de várias cores

As manifestações pela diversidade lembram o Dia do orgulho LGBT em Porto Alegre

Parada Livre no Parque Redenção em Porto Alegre Foto: Anderson Vaz / Flickr

A data de 28 de junho é lembrada internacionalmente pela reação contra as recorrentes batidas policiais, em 1969, ao bar Stonewall Inn. O que diferenciava o estabelecimento para receber toda essa atenção era o fato de que era frequentado por gays, lésbicas e trans que se revoltaram pela constante perseguição, conforme informa o site da Anistia Internacional. A partir de 1970, manifestantes começaram a realizar diversas marchas e paradas que crescem anualmente tomando as principais ruas ao redor do mundo para declarar o orgulho LGBT. No próximo domingo, 2 de julho, ocorre a Parada de Luta LGBT de Porto Alegre, que começa às 11h, com trio elétrico, debates, conversas e oficinas, no Parque da Redenção.

Em Porto Alegre, existem pelo menos 8 entidades que lutam pela causa e organizam as manifestações, segundo o representante do Nuances – Grupo pela livre expressão sexual Célio Golin. A ONG foi o primeiro movimento LGBT fundado na cidade, em 1991, e organizou a primeira Parada Livre do Rio Grande do Sul, em 1997. “Nossa proposta política tem o objetivo de promover os direitos humanos para a população LGBT”, declara. O Nuances organiza diversos atos para promover o movimento. Neste ano, a ONG, junto com outras entidades, irá realizar a 21ª edição da Parada Livre, em 26 de novembro.

Para entender melhor a importância do tema e de ações afirmativas como o Dia internacional do Orgulho LGBT, os alunos da disciplina de Radiojornalismo e Mídias Sonoras – Noticia, do curso de Jornalismo da Unisinos Porto Alegre entrevistaram o jornalista Gabriel Galli e o psicólogo Jean Ícaro para a Rádio Unisinos FM. Segundo o psicólogo, no contexto de existência normatizada, entendemos a heterossexualidade como suposta parte natural de todos os humanos. “Elevar um dia à categoria de orgulho LGBT é, dentre outros, considerar as diversas formas de sobreviver às atitudes de preconceito, de se ser alguém com dignidade e valor carregando as várias características que possui”, afirma Jean, que conclui: “o respeito e a equidade é a nossa versão edificante de Humanidade.”

Ouça os dois programas especiais sobre o Dia do orgulho LGBT.

Entrevista com o o psicólogo Jean Ícaro, mestrando em Psicologia Social pela PUC do Rio Grande do Sul, pós-graduando em Psicoterapias Cognitivo-comportamentais e em Psicoterapia da Sexualidade Humana, Diversidade Sexual e de Gênero, produzida pelos alunos Amanda Bormida, Carol Steques e Luiz Cesar Silva.

 

 

E também a entrevista com o jornalista Gabriel Galli, mestrando em Comunicação Social pela PUC Rio Grande do Sul, atuante em comunicação de movimentos sociais e pesquisa cultural digital, membro da Ong Somos e co-fundador do grupo FREEDA, que conversou com os alunos Lucas Delpino, Jéssica Montanha, Angelita Policarpo Delfino e Myla Tidre dos Santos.

Lida 468 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.