Economia

Mulheres na chefia

Palestra sobre liderança feminina marca o lançamento dos cursos Women Empowerment da Unisinos

Na última quarta-feira (4), a palestrante e mestre em Psicologia Alessandra Rodrigues Gonzaga conduziu o debate sobre liderança feminina no Teatro CIEE em Porto Alegre. A conversa marcou o lançamento dos cursos Women Empowerment da Unisinos. Em uma sala ocupada exclusivamente por mulheres, foram discutidas questões como a inteligência emocional, fator que merece destaque quando o assunto é a liderança feminina.

Para Alessandra, o mercado já se preocupa com a igualdade de salários e oportunidades entre gêneros, mas ainda há muito a ser conquistado. Ela explica que os empregadores já exigem características simbólicas femininas até mesmo dos homens, como a maneira de lidar com determinadas situações e como agir no dia a dia. Esses exemplos tratam do desenvolvimento da inteligência emocional, assunto no qual Alessandra é especialista pela Universidade Yale, dos Estados Unidos. “Um bom ambiente de trabalho é diverso, com diferenças de credo, etnia, cultura, valor, status, idade, profissão e, claro, gênero”, diz.

 

Alessandra Rodrigues Gonzaga fala sobre a relação da economia com o empoderamento feminino (Foto: Gabriela Gonçalves)

Alessandra Rodrigues Gonzaga fala sobre a relação da economia com o empoderamento feminino (Foto: Gabriela Gonçalves)

 

Para Karen Maria Fofonka, 52 anos, diretora geral da HCL no Brasil e na América Latina, a palestra foi um momento de reflexão sobre as próprias emoções. “A empresa onde eu trabalho é indiana, com uma cultura bastante machista. Ser uma líder feminina lá dentro é muito impactante”, admite Karen. Alessandra insiste que as mulheres precisam ter opções de escolha para se empoderar. “A questão econômica ultrapassa a questão de gênero. Uma mulher não é livre para fazer suas próprias escolhas se depende financeiramente de um homem”, afirma. Um exemplo disso é o movimento Half the Sky (Metade do Céu), que, entre diversas finalidades, facilita o empréstimo para mulheres vítimas de violências.

Outra iniciativa sobre esse tema é o Jogo de Damas, idealizado por Deb Xavier, que tem foco no empoderamento econômico e profissional feminino por meio de conteúdo online e eventos. “O objetivo é fomentar um cenário de equidade de gênero, onde a mulher seja reconhecida e recompensada como parte ativa e estratégica da economia, da geração de renda e do mercado de trabalho”, conta Deb. Em mais de quatro anos, mais de 500 mil mulheres foram impactadas pelo projeto.

As inscrições para os cursos Women Empowerment da Unisinos já estão abertas. Acesse o site e empodere-se!

 

Lida 888 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.