Cultura

Final de semana para contemplar o cinema na sua essência

Festival apresenta oficinas de produção cinematográfica

Débora Vaszelewski e Luis Felipe Matos

Estrutura ganha forma para receber o público neste final de semana. Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação

Estrutura ganha forma para receber o público neste final de semana. Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação

Um palco mambembe está instalado no coração de um dos bairros mais tradicionais da cidade. Trata-se da estrutura para a Matinê a céu aberto, projeto que está em sua primeira edição e que oferece exibições de filmes, shows de música e oficinas. Os visitantes podem, assim, entrar em contato e com os bastidores da sétima arte, no Parque Moinhos de Vento neste final de semana.

Elaborado a partir da parceria entre a Conteúdo e a Mosaico Cultural, duas produtoras de Porto Alegre, a ação busca levar o cinema gratuitamente à população. Para Rafael Cambará, um dos organizadores, o objetivo do festival é tornar mais descentralizados os espaços de exibição, promovendo maior acesso ao cinema. Em suas palavras: “Queremos  quebrar a distância entre a tela e a plateia, trazendo o cinema para o chão”. A programação do evento conta com a exibição de quatro produções nacionais, oficinas de criação audiovisual e bate-papo com diretores em uma estrutura montada no Parque Moinhos de Vento, o Parcão.

O produtor Rafael Cambará orienta os últimos preparativos para a estréia Matinê a Céu Aberto. Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação

O produtor Rafael Cambará orienta os últimos preparativos para a estréia da Matinê a Céu Aberto. Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação

 

A organização da Matinê a céu aberto destaca a interatividade da ação. Serão três oficinas com a participação do público. Uma delas será de stop motion, em que as pessoas produzirão pequenos filmes através da linguagem considerada a mãe do cinema. Outra oficina ofertada será de maquiagem para efeitos especiais. E, ainda, um set de gravação está preparado com cenário, figurino, maquiador e direção. “Quem comparecer poderá ter a experiência de viver Um dia de estrela e gravar uma cena de cinema que será disponibilizada nas em nossas redes”, informa Rafael.

O evento faz parte de um cronograma com 15 projetos desenvolvidos por meio das leis de incentivo à cultura. Entre eles, o Arena Cultural, que levou shows de música autoral ao Parque Marinha do Brasil, no ano passado, e o Arte no Parque, um festival de teatro de rua que aconteceu em abril deste ano no Parque Farroupilha. As próximas atrações pretendem abranger todas as demais artes. A previsão é de que alcancem também cidades do interior do Estado.

A cobertura de Matinê a céu aberto você pode conferir aqui na Beta Redação e em nossas redes sociais.

PROGRAMAÇÃO 

Sábado – 3 de junho

15h – Oficina de stop motion
16h – Bate–papo com o diretor Otto Guerra
17h – Show com Cine Floyd
17h – Oficina de efeitos especiais
18h – Mostra Curta Pró-Cultura RS
19h – Vivência de cinema Um dia de estrela
19h – Exibição do filme Até que a Sbornia nos separe (Otto Guerra – 2013) – trailer

20h30 – Exibição do longa-metragem Aquarius (Kleber Mendonça Filho – 2016) – trailer

22h – Encerramento

Domingo – 4 de junho

11h – Oficina de stop motion
12h – Bate-papo com a diretora Maíra Coelho
13h – Oficina de efeitos especiais
13h – Mostra Curta Pró-Cultura RS
14h – Exibição do filme da animação O menino e o mundo (Alê Abreu)

15h – Vivência de cinema Um dia de estrela
15h30 – Exibição do longa metragem Saneamento básico (Jorge Furtado – 2016)

17h – Show com Cine Floyd
18h – Encerramento

Entrada franca. Classificação Livre.

Lida 750 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.