Geral

Comitê lidera manifestações no Litoral Norte

Protestos ocorreram durante a sexta-feira (28) no Largo dos Estudantes, em Osório

Em Osório, o Comitê do Litoral Norte em Defesa dos Direitos dos Trabalhadores, ligado ao Sindsepers, foi às ruas e realizou atos de manifestação durante toda a sexta-feira (28). “Não vamos permitir que nos roubem o futuro”, gritavam os manifestantes, que exibiam cartazes com palavras de ordem contra as reformas trabalhista e da Previdência e com a hashtag #NenhumDireitoaMenos. Os movimentos iniciaram no Largo dos Estudantes Sônia Chemale, no centro da cidade, por volta das 9h, reunindo cerca de 1 mil pessoas. Líderes do sindicato se pronunciaram contra a reforma trabalhista aprovada na noite de quinta-feira, 26, pela Câmara dos Deputados.

 

 

A principal alegação dos grevistas é que a reforma representa um golpe nos direitos dos trabalhadores, e que é construída sem a participação e anuência da população.

O nome do deputado federal Alceu Moreira (PMDB/RS), relator de outra reforma, a da Previdência, na Comissão de Constituição e Justiça, e que já foi prefeito de Osório, era citado repetidamente entre os manifestantes. Em seu parecer, Moreira defendeu a proposta do governo de reformar o sistema previdenciário brasileiro.

Cartazes com o rosto do deputado são espalhados pela cidade. Foto: Arthur Isoppo

Cartazes com o rosto do deputado foram espalhados pela cidade. Foto: Arthur Isoppo/Beta Redação

 

“Vai faltar comida na mesa do brasileiro!”, disse a professora Jussanã Marques, preocupada com o impacto que as mudanças trarão para a vida do trabalhador. Para ela, a permissividade dos acordos entre empregadores e empregados vai contra os direitos do trabalhadores e coloca em ameaça tudo aquilo que foi conquistado até hoje. “Existem consequências que a população não está entendendo. É por isso que estamos nesta luta”, completou.
Rayane Leal é outra manifestante que critica a negociação direta entre empresários e contratados como um fator de risco da proposta de reforma trabalhista. Rayane entende que esse tipo de acordo acaba sempre prejudicando muito a classe trabalhadora.

Manifestantes portam bandeiras de seus sindicatos. Foto: Arthur Isoppo

Manifestantes portam bandeiras de seus sindicatos. Foto: Arthur Isoppo/Beta Redação


“Aquilo que é decidido quando não se escuta a voz do povo é um problema. Grande parte do Brasil não é de classe alta, e decisões como essa, geralmente, são tomadas em prol da minoria. É uma lei criada para poucos, e o povo não faz parte disso”, disse Rayane quando questionada sobre a legitimidade das mudanças.

Ao longo da tarde, estavam previstas atividades culturais alusivas à greve geral, culminando com um deslocamento e concentração na RS-030, para o bloqueio da via. Segundo o Comitê, outras manifestações deveriam ocorrer nos municípios de Tramandaí, Capão da Canoa e Três Cachoeiras no Litoral Norte nesta sexta-feira.

Serviços paralisados

A Prefeitura Municipal de Osório se manifestou ainda na quinta-feira, 27, por meio de comunicado oficial, informando que ocorreria a paralisação do atendimento da rede pública municipal de saúde e o cancelamento das aulas da rede pública. Além disso, os servidores da Secretaria de Obras também aderiram à greve, e os caminhões não saíram das garagens na manhã da sexta-feira.

A Associação dos Alunos Universitários de Osório (Alunos), responsável pelo transporte de estudantes para a Unisinos, também se manifestou através das redes sociais. De acordo com a direção, o transporte não ocorrerá na sexta por falta de segurança dos associados. A nota, publicada por volta da meia-noite de quinta, informou que é primordial garantir a total segurança de seus associados no trajeto, e a medida visava evitar quaisquer transtornos ou danos.

Os serviços dos Correios em Osório também foram afetados pela greve geral. Foram realizadas apenas as entregas de encomendas via sedex. Bancos e comércio de Osório mantiveram suas atividades normalmente.

 

Entidades reunidas

Os atos em Osório contaram com a adesão do Sindicato dos Bancários do Litoral Norte, Sindicato dos Professores do Rio Grande do Sul (CPERS), Sindicato dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (SINDSEPERS), Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul (SINDIJUS), Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgoto do Estado do Rio Grande do Sul (SINDIAGUA), Sindicato dos Técnicos-Científicos do Rio Grande do Sul (SINTERGS), Sindicato dos Professores do Ensino Privado do RS (SINPRO), Sindicato dos Técnicos Industriais de Nível Médio do Rio Grande do Sul (SINTEC), Sindicato dos Empregados no Comércio (SINDICOMERCIARIOS), Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Osório, Ordem dos Advogados do Brasil do Rio Grande do Sul (OAB/RS), Sindicato dos Eletricitários do RS (SENERGISUL), Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado do Rio Grande do Sul (AMAPRGS), Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia-RS (UGEIRM), Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do RS (SINTECT) e Associação Viva Maria.

Lida 1146 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.