Política

Pascoal aponta desafios da nova gestão de Esteio

Uma análise dos primeiros dias da prefeitura de Esteio após a troca de governo

Cortes de gastos, reajustes, novos projetos, inovação. Essas são as palavras que o atual prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal (PP), usa para definir os primeiros dias de seu governo. Apesar de este ser um período curto para uma análise completa do novo mandato no município, moradores e figuras políticas já possuem opiniões divergentes sobre a gestão.

A Beta Redação conversou com o ex-prefeito Gilmar Rinaldi (PT) a respeito de sua opinião sobre o novo governo municipal e de como estava a prefeitura quando o atual prefeito assumiu o cargo. A transição de cargos foi palco de polêmicas nestes primeiros meses, quando Pascoal declarou calamidade financeira no município por conta das contas deixadas pelo ex-prefeito Foram abordados pontos como arrecadação, obras incompletas e programas de governo.

Rinaldi e Pascoal durante evento de posse. Foto: Prefeitura de Esteio.

Rinaldi e Pascoal durante evento de posse. Foto: Prefeitura de Esteio.

Gilmar Rinaldi inicia nos explicando a que pé estava a Administração Municipal durante a troca de governos. Segundo ele, todas as contas da Prefeitura estavam pagas e ainda havia uma quantia de dinheiro em caixa. “Todas as contas que fizemos estavam quitadas. Esteio foi a única cidade da Região Metropolitana que entregou a Prefeitura para a nova gestão com todas as contas pagas e com mais de R$ 5 milhões em caixa. Fundo de Previdência também pago, bem como todas as nossas obras. Fomos a gestão que mais realizou obras grandes na história do município e todas elas pagas”.

O ex-prefeito então conta que, durante seu mandato, a cidade recebeu novos programas e obras (algumas estão por entregar).

“Inauguramos o Escritório do Empreendedor, que agiliza a concessão de alvará. Em dois dias o documento está entregue, o que facilita a abertura de novos empreendimentos na cidade. Obras grande de infraestrutura em bairros que aguardavam há mais de 40 anos, como é o caso do bairro Navegantes – que teve seus lotes regularizados. Mais de famílias contempladas pela Regularização (Fundiária) na cidade. A nova gestão continua entregando escrituras, mas escrituras fruto de um processo que nós fizemos. Também informatizamos a rede de saúde, assim o paciente não precisa passar seus dados toda vez que consultar. Projetos sociais como Projeto Integrado de Inclusão Social (PIIS), onde tinha oficinas de boxe, capoeira e a orquestra. Creio que a nova gestão não tem dado continuidade”.

Entrega das escrituras aos moradores da Vila Navegantes. Foto: Prefeitura de Esteio

Entrega das escrituras aos moradores da Vila Navegantes. Foto: Prefeitura de Esteio

Rinaldi finaliza nos dizendo que um dos poucos descontentamentos que tem com a atual gestão, como ex-prefeito e como morador, é não ver a Galeria, que estava sendo construída na Rua Bento Gonçalves, funcionando. A obra em questão auxiliaria a escoar a água das chuvas, sanando um dos grandes problemas que a cidade enfrenta: as enchentes. Ele também explica que, apesar de a atual gestão alegar dívidas vindas do governo anterior, as contas foram aprovadas. “Fico muito chateado em ver a Galeria incompleta. Tem mais de R$ 800 mil reais destinados. Vejo muito a atual a atual gestão dizendo que muitos os problemas são problemas da gestão anterior. O Leonardo (Pascoal) e o Jaime da Rosa (atual vice prefeito) eram vereadores no ano passado. Enviei para a Câmara este último orçamento que é o que está sendo executado agora. Portanto estou muito tranquilo quanto a isso”.

Um recomeço

Em 2016, Leonardo Pascoal se elegeu com mais de 21 mil votos, alcançando cerca de 46% dos votos válidos, sendo, assim, o mais jovem prefeito da história da cidade, com 26 anos. O atual gestor ocupa o lugar de Gilmar Rinaldi, que ficou por oito anos à frente da Prefeitura.

Segundo Pascoal, o período de transição de governo foi muito tranquila o que lhe permitiu tomar bastante conhecimento de como estava a administração: “O que mais nos trouxe dificuldade foram algumas faltas de rotina, de fluxo, uma dificuldade gerencial. Muitas coisas não tinham uma organização, uma padronização administrativa. Isso desde o início é uma das minhas prioridades. Organizar, fazer com que as coisas tenham um procedimento adequado e ágil para fazermos frente às demandas”.

Ele também nos explica que a Prefeitura tinha déficits . “Recebemos a gestão com um déficit total de R$ 12 milhões, entre recursos vinculados e recursos livres, mas nada de grande preocupação. Claro que colocamos medidas para contingenciar recursos. Uma grande parte desse déficit era oriundo de recursos previstos a serem recebidos pelo Município, de repasses do Governo Federal. Então a situação não era tão drástica, embora ensejasse nossa preocupação”.

Leonardo Pascoal, atual prefeito de Esteio Foto: Michelle Oliveira / Beta Redação

Leonardo Pascoal, atual prefeito de Esteio. Foto: Michelle Oliveira/Beta Redação

“Também recebemos o Hospital São Camilo com déficit de mais de R$ 10 milhões, os servidores com salário atrasado referente ao mês de dezembro. E, além disso, uma falta de mais de 100 profissionais de educação. Isso tudo nos fez decretar situação de calamidade financeira no segundo dia de governo”, relata Pascoal.

Repetimos ao atual prefeito a questão levantada a respeito das contas da gestão anterior que teriam sido aprovadas com unanimidade dentro da Câmara de Vereadores e sobre o dinheiro em caixa. “Até hoje todas as contas do ex-prefeito foram aprovadas. Evidentemente que o exercício de 2016 ainda não foi finalizado, o Tribunal de Contas da União (TCU) ainda não emitiu parecer” afirma. Quanto à questão dos recursos deixados em caixa pelo governo anterior, Pascoal respondeu:

Havia, sim, recurso em caixa, mas havia, também, dívidas a serem pagas, só de contas a pagar fica mais de R$ 11 milhões. Não adianta você deixar R$ 5 milhões em caixa se tem R$ 11 milhões a pagar.

Leonardo Pascoal também aproveita para avaliar seu próprio governo durante este primeiro período. “Nestes primeiros dias nós conseguimos alcançar nosso objetivo que era imprimir um ritmo de trabalho diferente. Em algumas áreas conseguimos avançar bastante dentro do que estava em nosso programa de governo, questões de segurança, limpeza urbana. Em outras já demos início que trarão as mudanças que nós propusemos, como é o caso da saúde e da educação. Avalio de forma muito positiva o resultado deste período, pois, nesses cem dias, ao mesmo tempo que estamos organizando a casa, estamos conseguindo entregar resultados concretos para a sociedade”.

Quando a questão são os novos projetos para a cidade, Pascoal afirma que alguns destes, propostos pelo programa de governo, já estão em funcionamento e outros estão prestes a começar. “Por exemplo, o programa Guarda + Presente, que chegou ao município em fevereiro, e agora temos patrulhamento 24h, rondas em todos os bairros. Isso não ocorria. A Guarda Municipal tinha um papel, até então, muito mais de preservação dos prédios públicos. Armamos a Guarda com armas não letais e já estamos com procedimento para munir com armas letais também. Estamos lançando, nesta semana, o programa Compra Premiada, onde premiaremos em dinheiro quem comprar no comércio de Esteio, para fomentar a economia. Também temos convicção de que, durante este mandato, conseguiremos colocar todas as propostas de campanha em prática”.

Guarda Municipal em treinamento para uso de armas não letais. Reprodução: Prefeitura de Esteio.

Guarda Municipal em treinamento para uso de armas não letais. Foto: Prefeitura de Esteio.

Um olhar de fora

A ex candidata à Prefeitura de Esteio, e terceiro lugar na eleição, Joceane Gasparetto, nos conta sua opinião a respeito da nova gestão municipal. Joce, como é conhecida na cidade, é formada em Gestão Pública e cursa mestrado em Políticas Públicas. “Escolhi  esta área pois acredito que temos que fazer a diferença no mundo, e a gestão pública é uma boa forma de transformarmos vidas, territórios e realizarmos a inclusão das pessoas. Dito isso, que é a base de minha visão, acredito que gestores públicos devem perseguir uma gestão eficiente, efetiva e que esteja ao lado das pessoas, em especial aos que mais precisam. Um prefeito ao ser eleito, tem que ser prefeito de toda a cidade, deixando de lado as disputas políticas e governando para todos”, idealiza.

Joceane afirma que um dos problemas da atual gestão é a falta de humildade por parte do novo prefeito. “Enquanto ex candidata e gestora, por óbvio, vejo pelo meu ângulo, de uma pessoa que estudou e conhece a administração de Esteio. Me vem em mente um erro grave, a falta de humildade, de manter o que estava dando certo, cito como exemplo o Programa Integrado de inclusão Social – o PIIS-, existente a mais de 12 anos e que, portanto, perpassou várias gestões, e que atendia crianças e jovens das vilas populares, com ações educativas, esportivas e culturais, que levaram jovens esteienses e conquistar títulos e até mesmo trabalhar na OSPA. Na minha opinião foi uma opção política não manter este programa, que possuía um baixo impacto orçamentário. Também a desestruturação de equipes meios que aceleravam a gestão pública, que hoje reflete em crises na saúde com falta de remédios e médicos, bem como a paralisação de obras importantes para a Cidade”.

Orquestra do PIIS durante apresentação de Natal. Foto: Prefeitura de Esteio.

Orquestra do PIIS durante apresentação de Natal. Foto: Prefeitura de Esteio.

“A atual gestão, diferente de outras cidades, herdou uma prefeitura com superávit, vários contratos de repasse de recursos, equipamentos públicos recentemente reformados, além de um orçamento estruturado e equipes de servidores coesos e eficientes. Portanto, ao meu ver, poderia haver maior celeridade na prestação de serviços em especial na área da saúde. Poderia ter maior ousadia na continuidade de obras como a drenagem da Bento e na abertura da UPA”, alega a ex-candidata.

Em contrapartida, Joceane diz também ver pontos positivos neste primeiro período de governo. “Por outro lado, houve acerto na área da segurança, no reforço do papel da Guarda Comunitária, mantendo em Esteio índices aceitáveis, mesmo no Estado tendo aumentado a criminalidade. E também tenho visto a Cidade mais limpa, o que entendo que era necessário ter esta melhora na prestação de serviços”, finaliza ela.

Getúlio Fontoura, também ex-candidato a Prefeitura, quarto lugar na eleição de 2016, se limitou a dizer que acredita na nova gestão municipal e que espera ver bons frutos nos próximos quatro anos. “Este jovem prefeito, que eu admiro, tem uma excelente visão de  Esteio e de seus projetos. Hoje ele é o meu prefeito pois foi escolhido pelo voto popular. Torço   por ele. Quanto aos projetos, creio que são de boa fé para o nosso Esteio; são arrojados. E como morador estou com otimismo e defendo o meu prefeito. Hoje  torço por Esteio e por sua comunidade”.

Prefeito Responde

A Beta Redação recebeu diversas perguntas a serem feitas ao prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal. Selecionamos algumas e o atual gestor da cidade respondeu. Confira abaixo (clique na seta para ver as respostas).

Lida 2489 vezes

Comentários

Um comentário sobre “Pascoal aponta desafios da nova gestão de Esteio”

  1. Ana Carolina disse:

    Só achei muito ruim a questão do posto de saúde pq antes agente​ ia lá marcava e dentro de uma semana consultava. agora tão com essa de tira ficha toda segunda feira pela manhã
    Tem que amanhecer na fila pra conseguir ficha pra clínico,ginecologista e pediatra
    Palhaçada falta de respeito com o povo
    Agora tenho que leva minha bebê pra fila de madrugada pra conseguir ficha
    O que mais vai piorar
    Isso que o prefeito eh sobrinho da minha mãe
    Sem falar no hospital que tá a verdadeira porcaria da última vez que tive lá esperei 13 horas por um exame de sangue

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.