Esporte

Futebol americano: transformando crianças através do esporte

Conheça os projetos de futebol americano para as crianças

O futebol americano é um esporte que segue crescendo com grande força no estado do Rio Grande do Sul e os envolvidos já estão começando a visar o futuro. Além dos projetos sociais e de categorias de base dos times, no último mês, foi inaugurada a Kickoff, que nada mais é do que uma escola de futebol americano, que, nos mesmos moldes das escolinhas de futebol, visa trabalhar os fundamentos do esporte com crianças divididas em cinco categorias de idade.

Cada equipe porém, trabalha seu futuro de formas diferentes e com objetivos diferentes, o Restinga Redskulls é o xodó do bairro, e trabalha as crianças desde cedo, com visitas em escolas para atraí-las ao futebol americano. O Juventude, busca formar atletas para sua equipe principal e o Bento Gonçalves Snakes está com um projeto alinhavado para trabalhar com crianças em situação de sobrepeso.

Quer aprender futebol americano? Procure a Kickoff

O idealizador da escola é o ex-técnico do Restinga Redskulls, Paulo de Tarso Pillar, que também foi eleito o melhor técnico do gauchão. Segundo Paulo, ele percebeu que havia uma certa demanda de jogadores mais novos, que as equipes não estavam conseguindo suprir e então ele resolveu fundar uma escola de futebol americano para suprir este nicho.

img_20161020_163742315

Treino sub-15 na Kickoff

 

“A Kickoff ensina futebol americano visando o flag, que é uma introdução ao esporte. De maneira simples, segura e educativa, a gente consegue ensinar todos os fundamentos do esporte, tanto passe como recepção e também auxiliando o crescimento da criança dentro do esporte.” respondeu Paulo sobre a escola.

Paulo(dir) nos treinos da categoria sub-17 com o aluno Thiago Oliboni

 

Paulo também fala das características dos treinos, que a escola procura trabalhar todos os aspectos e funções do futebol americano, tanto técnicas quanto físicas, e também procura adaptar os exercícios aos desejos dos alunos. “Eu tenho dois alunos no sub-15, um deles quer ser quarterback, então eu posso focar os exercícios para a posição, porém sem deixar de trabalhar como um todo, um outro aluno, é fã do Julian Edelman, wide receiver do New England Patriots, e quer ser recebedor, então eu ajusto os treinos. Mas independente das preferências, todos vão trabalhar um pouco de cada fundamento.”

 

 

Os treinos da Kickoff ocorrem no complexo esportivo da PUCRS, na Avenida Ipiranga na parte da tarde e são divididos em cinco categorias, sub-9, sub-11, sub-13, sub-15 e sub-17. No vídeo abaixo, Paulo fala sobre os objetivos da escola:

 

O Projeto Futuro

Eduardo Ferreira, presidente do Juventude FA falou sobre o Projeto Futuro, que atende cerca de 40 adolescentes que praticam o futebol americano como meio de inclusão social onde eles aprendem os valores enraizados no futebol americano. Segundo presidente o projeto visa formar atletas e cidadãos que valorizam a saúde e a educação.

As crianças tem um acompanhamento periódico onde é avaliado também o desempenho escolar das mesmas, o Projeto Futuro não tem vínculos públicos e é mantido pelos apoiadores e patrocinadores da equipe.

Eduardo ainda afirma que as crianças vêem no futebol americano uma maneira de mudar de vida e fala que tem a idéia de perpetuar o Projeto Futuro pois notou que “está fazendo a diferença na vida de alguns jovens e suas famílias, bem como contribuindo para a equipe principal do Juventude FA”.

Projeto ajuda na inclusão de crianças com sobrepeso

Os diretores do Bento Gonçalves Snakes, Rodolfo Pizzi e João Felipe Piccoli são responsáveis pelo projeto social da equipe, que visa trabalhar com crianças em situação de sobrepeso, segundo Pizzi, a equipe espera iniciar as atividades ainda em novembro, em parceria com a iniciativa privada, porém ainda faltam acertar algumas parcerias.

O responsável falou que a idéia é atender em torno de 15 jovens, de 14 à 17 anos que se encontram em situação de sobrepeso, que seriam prospectados da rede municipal e estadual pela própria equipe e incluídos no projeto. A intenção é acompanhar o desenvolvimento destes jovens com acompanhamento médico, psicológico, nutricional e com profissionais de educação física. O projeto seria composto por uma mescla entre profissionais voluntários e alguns remunerados, que serão pagos com o dinheiro captado da iniciativa privada.

“Jovens de perfil físico considerado “fora do padrão” para esportes tradicionais estão mais sujeitos à bullying e outras ameaças. Ser fisicamente ativo, por meio da prática esportiva, reduz a gordura corporal, fortalece os músculos e aumenta a probabilidade de continuar bons hábitos de saúde mais tarde na vida. Por não exigir o padrão físico dos esportes tradicionais, o futebol americano se torna uma boa opção para quem sofre com sobrepeso, por isso escolhemos trabalhar estas crianças no projeto.” disse Rodolfo Pizzi, um dos responsáveis.

O Redskulls é o orgulho da Restinga

Surgido de três amigos jogando com uma câmara de bola de futebol amassada que, com o tempo foi chamando atenção dos moradores do local, e assim surgia o Restinga Redskulls.

O time foi aos poucos ganhando o coração da comunidade, a grande maioria dos atletas são do próprio bairro, a equipe também fez várias ações sociais na comunidade, apesar de não existir uma base estruturada ainda, os jogos realizados por lá arrecadaram alimentos que foram doados para pessoas com necessidade dentro da Restinga, segundo os integrantes da equipe, o Redskulls representa uma cidade de 200 mil moradores.

Os diretores do Redskulls também já ganharam prêmios por serviços prestados à comunidade. “Quando mandávamos jogos, conseguíamos arrecadar alimentos e roupas para as ONGs e escolas da região. Com as crianças participando do Futebol Americano no contra turno, sabemos que conseguimos afasta -los do trafico e de outras coisas. Elas vêem um significado naquilo e compram a ideia. Conseguimos chegar em lugares que o próprio poder publico não chega.” Disse Paulo de Tarso Pillar, que foi treinador da equipe durante o gauchão.

Alguns jovens também encontraram no futebol americano uma forma de mudar de vida, um dos jogadores da equipe hoje está em Miami, treinando para para tentar ingressar na Florida State University por meio do sistema educacional dos Estados Unidos, que valoriza muito o esporte.

 

Lida 1809 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.