Política

A juventude poderá ser decisiva nas eleições 2016

O fator determinante é o grau de instrução dos eleitores de 16 a 30 anos

Manifestação em Maringá (PR). Foto: João Paulo Fiorenza

Manifestação em Maringá (PR). Foto: João Paulo Fiorenza

Nessas eleições, 27% do eleitorado nacional é composto por jovens com idade entre 16 e 30 anos. Desses, eleitores entre 25 e 29 anos representam 10,83% dos votos; de 21 a 24 anos, 8,71% e de 16 a 20 anos, 7,45%, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). De acordo com a Justiça Eleitoral, o voto desta camada da população poderá ser determinante nas eleições municipais de 2016. Devido ao grau de instrução dos jovens, o voto deles costuma ser mais crítico do que os dos demais membros da família.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem cerca de 51 milhões de jovens que representam um quarto dos cidadãos brasileiros. Em outubro, cerca de 2,3 milhões de jovens com idade de 16 e 17 anos poderão votar nessas eleições, eles representam 1,60% do eleitorado, apesar do voto ser facultativo para essa faixa etária. Iniciativas como o Projeto Jovem Eleitor são desenvolvidas pelos Tribunais Regionais Eleitorais de todo o país a fim de estimular a juventude a participar das eleições para fortalecer a democracia no Brasil.

 

 

O ex-integrante da União Nacional dos Estudantes, João Paulo Fiorenza, de 22 anos, faz parte desse número. Ele acredita que a internet possibilita que os jovens aprendam, discutam e se interessem cada vez mais pela política, principalmente através das redes sociais que são peça fundamental para a organização de movimentos políticos em todo o mundo. “A internet, ao meu ver, foi primordial para a busca do interesse político da juventude que é a faixa etária que mais se dedica à utilização dos novos meios tecnológicos”, afirma. Além disso, Fioreza acredita que a representatividade da juventude em cargos políticos fortalece a luta dos movimentos sociais e permite a inovação do cenário político brasileiro: “É da juventude que sai o grito das minorias na luta por uma existência social saudável”, completa.

Filiada ao Partido dos Trabalhadores, Isadora Santiago Steinke, de 23 anos, também aposta nas redes sociais como meio de facilitar o acesso dos jovens a informações políticas. Ressalta, ainda, a importância dos jovens ocuparem cargos políticos para a mudança do cenário político no Brasil: “Participar de movimentos políticos é importante para termos uma visão mais ampla da política atual, e entender melhor sobre esquerda e direita e os seus interesses”, afirma Isadora.

 

Lida 965 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.