Cultura

Guitarras de Steve Vai embalam a noite de Porto Alegre

Com show inesquecível na capital gaúcha, guitarrista mostrou porque é considerado um dos melhores do mundo

Steve Vai e sua guitarra encantaram o público

Steve Vai e sua guitarra encantaram o público em noite chuvosa. Foto: Fernando Eifler/Beta Redação

 

 

A chuva que caiu em Porto Alegre na noite de terça-feira (6) foi só um teste para os fervorosos fãs do guitarrista Steve Vai. No total, cerca de 1.700 pessoas marcaram presença no Auditório Araújo Vianna para prestigiar o show do virtuoso músico americano. O artista subiu ao palco pontualmente às 21 horas, empunhando sua clássica guitarra Ibañez. Levou o público ao delírio desde as primeiras notas.

Dando sequência à turnê comemorativa dos 25 anos de lançamento do disco Passion and Warfare, álbum que é executado na íntegra durante os shows, o artista chegou à capital gaúcha sob muita expectativa dos fãs, que aguardavam ansiosamente para ver um dos maiores guitarristas do mundo. Steve Vai, como de costume, não decepcionou. Abriu o show com a canção Bad Horsie, um de seus hits, e logo de cara conquistou a plateia com muita habilidade e carisma.

Após a quarta música da noite, Whispering A Prayer, Steve anunciou: “A partir de agora tocaremos Passion and Warfare na íntegra, espero que vocês gostem”. Começando pela música Liberty, e emendando na sequência Erotic Nightmares, o músico foi muito aplaudido pelo público. A banda que acompanha Steve Vai conta com Jeremy Colson (bateria), Dave Weiner, (guitarra) e Philip Bynoe (baixo).

O ápice do show ocorreu na metade da apresentação, quando For the Love of God, seu maior clássico, foi executada. Nesse momento, os fãs foram à loucura e, durante os quase 10 minutos da música, o que mais se via eram pessoas hipnotizadas pela guitarra do americano. No total, foram tocadas 21 músicas em quase duas horas e meia de espetáculo.

 

Músico parece entrar em transe quando está tocando

Músico parece entrar em transe quando está no palco. Foto: Fernando Eifler/Beta Redação

 

O guitarrista esbanjou simpatia durante a apresentação. Ele interagiu com os presentes em diversos momentos. Em um deles, o músico bancou o maestro e regeu a plateia: quando erguia as mãos, as pessoas gritavam, quando as abaixava, sussurravam. Em outro momento do show, o músico desceu até o público e, por alguns instantes, ficou tocando enquanto cumprimentava quem estava na primeira fileira.

O guitarrista ainda se mostrou muito atento ao que acontece no palco. Foi possível notar alguns detalhes em determinadas partes do show. Num deles, Steve Vai olhou para a equipe de produção e apontou para o retorno, localizado no palco, fazendo sinal com as mãos, para que o som fosse elevado. Em outra parte, olhou para o baixista e fez sinal para diminuir um pouco o volume do instrumento.

No final da apresentação, ainda houve tempo para uma homenagem preparada pela banda para o artista, que completou 57 anos no dia do show. O guitarrista Dave Weiner pediu para o público cantar Happy Birthday para Vai e foi prontamente atendido. Além disso, os integrantes da banda jogaram uma espécie de espuma em cima dele, gerando risos dos presentes. Ao se despedir dos fãs, Steve Vai foi ovacionado e prometeu voltar futuramente.

 

A Guitarra parece uma extensão natural do corpo de Steve Vai

Músico americano também recebeu homenagens no show de terça-feira. Foto: Paulo Egidio/Beta Redação

 

Emoção para os fãs

Para o engenheiro elétrico Ricardo Silva, fã do guitarrista, foi um dos melhores shows da vida dele. Ele acompanha o músico desde a época do lançamento do álbum há 25 anos. “Foi um show impecável, no qualele demonstrou toda sua categoria. Para mim, o show poderia não terminar nunca”, completou.

Também impressionado com a apresentação, o biólogo Raúl Becker se disse abismado. Segundo ele, a performance foi bastante técnica, mostrando que o guitarrista é incrível ao vivo. “Vou levar o show para o resto da minha vida. Estar aqui hoje foi a realização de um sonho”, revelou.

Outro que disse ter gostado bastante foi o funcionário público Roberto Cavalcante. Para ele, Steve Vai é um dos melhores músicos em atividade. Porém, Cavalcante sentiu-se incomodado com a falta de respeito de alguns espectadores, que conversavam a todo o momento durante a apresentação. “Acho um absurdo essa situação. A pessoa paga uma fortuna pra ver um show e, ao invés de curtir, prefere ficar conversando e atrapalhando quem quer aproveitar”, reclamou.

 

 

Lida 770 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.