Geral

Grupo difunde o vegetarianismo e veganismo no interior do Estado

Vegetariano e veganos se organizam para promover evento em Teutônia

Há poucos anos dificilmente se ouviria falar sobre vegetarianismo ou veganismo pelas ruas da pequena Teutônia, no Vale do Taquari, interior do Estado. Com forte tradição germânica, a sua culinária envolve tipicamente carne e outros tipos de alimentos provindos de animais. Porém, um grupo de vegetarianos e veganos começa um movimento na direção contrária. Reunidos pelo Facebook, a primeira ação prática é a organização do 1º Vegnic de Teutônia. O nome é auto-explicativo, trata-se de um piquenique, mas com alimentos sem origem animal.

De acordo com uma das organizadoras, Letícia Gomes, é um evento que acontece nacionalmente, porém pela primeira vez no município. “O objetivo é conscientizar sobre alimentação, higiene e saúde sem crueldade animal. E sem danos ao meio ambiente. Além de confraternizar, conversar”, destaca.

Na organização estão junto com Letícia, Carol Rosa e Victória Schmidtt. Carol frisa a necessidade de conscientizar a comunidade. “Nosso objetivo principal, acredito que seja o de todos os VegNics realizados, é informar a população sobre o que é o veganismo. Mostrar que podemos (e devemos) viver sem explorar os animais”, afirma.

No cardápio todos os doces e salgados são veganos/ Crédito: Carol Rosa/Divulgação

Comidas 100% veganas. Foto: Carol Rosa

Victória acredita que o Vegnic vai desmistificar algumas visões errôneas sobre o assunto. “É um meio de mostrarmos para as pessoas que os veganos não comem “só mato” como a maioria pensa. Dá pra comer coisas boas, sem prejudicar os animais”, aponta.

Criar o grupo no Facebook para reunir os vegetarianos e veganos foi o primeiro passo para levar esse modo de vida, que vai além da alimentação, para mais pessoas na cidade. O Vegnic será a primeira ação efetiva. O evento acontece no dia 04 de dezembro, e a expectativa é reunir cerca de 20 pessoas do grupo, mais a comunidade em geral que quiser comparecer.

O local escolhido para receber o evento é a Prefeitura Municipal de Teutônia. O ambiente é conhecido por ser um dos mais movimentados da cidade, um verdadeiro ponto de encontro que reúne todo tipo de pessoas durante os finais de semana. “Queríamos aproveitar o movimento que a prefeitura tem à tarde para difundir isso”, salienta Letícia.

Carol reforça que o intuito é atingir o maior número de pessoas. “A gente não tem intenção de fazer um piquenique restrito somente a vegetarianos e veganos. A ideia é justamente mostrar e interagir com pessoas que não conhecem o veganismo”, explica. O grupo promete uma variedade de opções de cardápio: frutas, chás, sucos, bolos, pizza, esfirras, doces, salgados e até sorvete.

O evento vai contar com a presença da nutricionista Simone Spellmeier. Ela tem experiência com vegetarianismo e veganismo e vai tentar desmistificar algumas ideias sobre o tema. “A nutricionista (vegana) é pra esclarecer as dúvidas nutricionais de quem acha que não é possível ser saudável. Assim legitima quando se tem um profissional falando”, garante Letícia.

Diferença entre Veganismo e Vegetarianismo

Apesar dos nomes semelhantes há diferença entre os vegetarianos e os veganos. De acordo com a nutricionista Gielli Oliveira a alimentação vegetariana existe há mais tempo e pode ser dividir em três tipos distintos. O primeiro são os vegetarianos estritos, que só comem alimentos de origem vegetal. A segunda categoria são os lacto-vegetarianos, que incluem o leite em sua alimentação. Por fim temos os ovo-lacto-vegetarianos, que incluem também os ovos. “O terceiro caso sofre menos com problemas de deficiências nutricionais devido a inclusão de alimentos de origem animal que contém proteínas de alto valor biológico (AVB) e por tanto, aminoácidos essenciais para a boa nutrição. Ainda assim há carência de ferro, mesmo que inclua feijões e vegetais ricos nesse mineral”, avalia.

O veganismo, segundo Gielli, é um modo de vida mais recente, e não se trata só da ingestão de vegetais, mas da rejeição de todo tipo de produto que envolva o uso de animais.

A nutricionista e vegetariana Jéssica Stein explica que  outras questões também influenciam na escolha pelo vegetarianismo ou veganismo. “O vegetarianismo pode ser adotado por razões diversas, como a questão ética, saúde e religião, o veganismo tem como foco principal a questão ética, de luta pela libertação e não exploração animal”, destaca.

Jéssica frisa que o veganos se opõem ao uso de animais no vestuário, excluindo produtos testados, excluindo produtos com ingredientes animais, não apoiando o uso de bichos em entretenimento e no comércio. “Veganos opõem-se, obviamente, à caça e à pesca, ao uso de animais em rituais religiosos, bem como a qualquer outro uso que se faça de animais”, complementa.

As receitas de Carol já foram expostas em outros eventos/ Crédito: Carol Rosa/Divulgação

As receitas de Carol já foram expostas em outros eventos/ Crédito: Carol Rosa/Divulgação

Nutrição e alimentação vegetariana/vegana

Uma das dúvidas de quem pretende começar uma alimentação vegetariana ou vegana é se é possível comer bem e de maneira saudável sem a presença de alimentos de origem animal. A nutricionista Jéssica Stein acredita que é praticável ter uma boa alimentação sendo adepto desses estilos de vida. “A gastronomia vegetariana é extremamente rica, um universo de cores, texturas e sabores. Muitos vegetarianos acabam variando a sua alimentação e se aventurando a conhecer novos alimentos novos e ampliando seu cardápio”, avalia.

Gielli Oliveira, no entanto, pondera que alguns nutrientes podem fazer falta. “Para se alimentar de forma mais adequada sendo vegetariano pode ser preciso, dependendo do nível de restrição da dieta, suplementação de nutrientes, como vitamina B12 e ferro, por exemplo”, salienta. Porém, ela acredita que a suplementação não seja adequada, da mesma forma que consumir os nutrientes vindos dos alimentos.

“É uma forma artificial de uso de vitaminas e minerais produzidos pela indústria farmacêutica com o objetivo de utilização em saúde (no caso de carências vitamínicas e de minerais). Muitas vezes a indústria usa inclusive animais para pesquisas de medicamentos, o que faria cair por terra a ideia de proteção animal”, pondera. Ela acredita que é possível evitar a carência nutricional, mas que não dá para afirmar que haverá qualidade na alimentação, na absorção de nutrientes ou algum problema com excesso de vitaminas e minerais por suplementação por exemplo.

A nutricionista Jéssica Stein, que inclusive já participou de palestras sobre alimentação vegetariana, acredita que é possível sim ter uma alimentação equilibrada com um cardápio vegetariano/vegano. “Uma alimentação sem carne quando bem planejada é completa nutricionalmente”, afirma. Ela destaca que, como qualquer outra alimentação, para haver equilíbrio é preciso fazer avaliações de exames bioquímicos periódicos. “Se necessário fazer uso de suplementos. Não é o tipo de alimentação que faz a saúde ser plena, mas sim, escolhas alimentares de qualidade”, conclui.

Jéssica destaca que a alimentação adequada é “aquela que fornece todos os nutrientes necessários para a manutenção da saúde, sem faltar nada e sem exagerar também”. Ela sugere, inclusive, uma lista de alimentos que podem compor estes grupos, confira:

Grupo dos grãos (cereais): Arroz integral, macarrão integral, centeio, trigo, milho, aveia, quinoa, amaranto. “É recomendado o uso destes alimentos na forma integral já que preserva nutrientes”, afirma.

Grupo dos ricos em proteína (leguminosas): Feijões de todas as cores, lentilha de todas as cores, grão de bico, ervilha, soja (não transgênica), tofu (não transgênico). “Devemos sempre otimizar o consumo das leguminosas já que são os principais substitutos da carne”, reforça.

Grupo das hortaliças: Verduras, legumes, e amiláceos. “Dentre esses é importante dar preferência para os vegetais verde-escuros, logo às demais cores devem estar presentes de forma bem variada”, salienta.

Grupo das frutas: Frutas da época, frescas, desidratadas, sucos. São ricas em vitamina C e ajudam na absorção de minerais como Ferro e Zinco.

Grupo dos óleos: Óleos prensados a frio e de preferência azeite de oliva e óleo de linhaça.

betaredacao-geral-vegetarianismo-8

Quadro de definições de estilos de alimentação. (Foto: Beta Redação)

Mudança de pensamento

Das três, apenas Carol é vegana, Letícia e Victória são vegetarianas. Carol e Letícia vieram de outras cidades, e pensaram que seriam “estranhas” entre o restante da comunidade por optarem por esse estilo de vida. Porém, perceberam que mais gente começava a se interessar por essa questão. “Pensei em criar um grupo no Facebook pra ver se tinha outros. Para minha surpresa surgiram vários. Então não é que seja algo novo. Acho que as pessoas estão apenas começando a se reunir, dialogar entre si e tomar isso como uma causa coletiva e não como uma opção pessoal”, analisa Letícia. O grupo hoje conta com cerca de 80 pessoas entre vegetarianos, veganos e simpatizantes.

Letícia acredita que o mundo está em mudança e as pessoas estão começando a criar uma maior conscientização. “Inclusive por parte das crianças, de que animais são seres vivos que sentem dor e que o meio ambiente precisa ser salvo, que a pecuária desmata”, reforça.

 

betaredacao-geral-vegetarianismo-6

Carol pretende abrir uma loja com seus pratos. Foto: Carol Rosa

 

Carol aponta que as pessoas estão tendo mais acesso à informação e descobrindo novas verdades. “O veganismo é uma delas. O pessoal não conhece muito mesmo. Aqui parece ser algo novo”, pondera.

Elas também sentem a falta de opções vegetariana e veganas nos restaurantes e lancherias da cidade. Inclusive já solicitaram a alguns estabelecimentos que fossem incluídas no cardápio, alguns afirmaram que irão analisar a possibilidade. “Tenho certeza que futuramente teremos mais opções. É uma questão de tempo. Inclusive eu mesma (e meu namorado) estamos nos organizando para abrirmos nosso próprio negócio de doces e salgados veganos”, revela Carol.

Serviço

O quê? 1º Vegnic, Piquenique vegetariano e vegano

Quando? Domingo, dia 04/12, 16h

Onde? Prefeitura Municipal de Teutônia, Avenida 1 Leste

Quanto? Entrada Livre

Lida 649 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.