Esporte

Grêmio Esportivo de Parobé busca incentivos para retomar projeto social

Uma das entidades mais antigas do Vale do Paranhama, GE conta com auxílio de doações para custear aulas de futebol

A crise financeira que atinge os municípios do Brasil prejudica projetos sociais ligados ao esporte, que até então contavam com recursos do poder público para manter as atividades. Exemplo desta falta de investimento é o Grêmio Esportivo de Parobé, que  busca apoio financeiro da iniciativa privada para a manutenção das escolinhas de futebol, projeto de verticalização do futebol que integra crianças e adolescentes na prática esportiva.

Fundado em 1947, a entidade é uma das mais antigas do Vale do Paranhana e atualmente conta com 110 alunos, entre cinco e 15 anos, atendidos diariamente em sua sede própria, localizada no centro da cidade. De 2004 a 2016, o GE Parobé recebia recursos mensais do Executivo, mas neste ano, devido às dificuldades financeiras enfrentadas pelo município, a entidade não contará com o repasse da administração pública.

A partir disso, iniciaram os trabalhos de divulgação e a procura de empresas interessadas em repassar valores restituídos de impostos à entidade. “Nós tiramos as crianças das ruas, trouxemos elas para um lugar onde ganham conhecimento e preparação física. O sonho em se tornar jogador de futebol faz com que todos estejam focados na escola, com responsabilidade. Isso é uma dádiva do esporte”, explica o presidente do GE Parobé, Daniel Dutra da Silva.

Mais de 110 crianças e adolescentes são atendidas na entidade. Foto: Eduarda Rocha/Beta Redação

Mais de 110 crianças e adolescentes são atendidas na entidade. Foto: Arquivo/GE Parobé

As modalidades ensinadas no dia a dia do clube são futebol de campo e futebol society, onde os participantes do projeto recebem fardamento, alimentação e um kit treino. “Hoje nós oferecemos aulas completas e qualificadas, mas sem os recursos estamos cobrando valores irrisórios para juntar verbas e custear os professores”, afirma Silva.

Além disso, com os recursos, a entidade pretende reunir ainda mais jogadores, trabalhando com as escolinhas nos turnos da manhã, tarde e noite. “O esporte reúne as crianças e adolescentes em um ambiente saudável. Aqui eles

Meninos treinam diariamente no clube, sempre no turno inverso ao escolar. Foto: Eduarda Rocha/Beta Redação

Meninos treinam diariamente no clube, sempre no turno inverso ao escolar. Foto: Arquivo/GE Parobé

aprendem a competir, se comprometem com o clube e sabem trabalhar em grupo. São ensinamentos básicos para se viver bem em uma sociedade de forma madura e com responsabilidade”, destaca Horário Willers, ex-presidente do clube.

Dois times do Grêmio participam da Sulicampe 2017, e são destaque nas categorias 2004 e 2005. “Queremos levar o nome da cidade ainda mais longe, mas nada disso é possível sem recursos financeiros que nos possibilitem investir nas crianças que participam do projeto”, salienta Willers.

Sensibilizada com a necessidade de recursos para dar continuidade a iniciativa do clube, a empresa Calçados Bibi, possibilitou o repasse de R$ 9 mil ao projeto. O valor é oriundo de doações de incentivos fiscais, que possibilita que as empresas possam auxiliar projetos culturais e esportivos com valores que seriam entregues ao Governo Federal. Para os representantes do Grêmio Esportivo Parobé, o valor será utilizado na compra de novos fardamentos para os participantes. “Este já é um começo, mas ainda é pouco para todos os planos que temos aqui. Nós queremos aumentar ainda mais a capacidade de atendimento e fomentar o esporte ainda mais no município, pois ele pode mudar realidades”, destacam.

Lida 1137 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.