Economia

Gaúchos terão ceia de natal e ano novo mais salgadas em 2015

Consumidores vão encontrar alimentos e presentes 8,5% mais caros

Festas de fim de ano representam cerca de 12% do faturamento dos supermercados no mês de Dezembro / Foto: iStockPhoto

Festas de fim de ano representam cerca de 12% do faturamento dos supermercados no mês de dezembro / Foto: iStockPhoto

Papel, caneta e calculadora serão itens indispensáveis para quem for ao supermercado comprar a ceia de Natal e Ano Novo nas próximas semanas. O consumidor terá que fazer as contas porque o aumento previsto em produtos tradicionais para as festas de fim de ano será de 8,5% em relação ao ano passado. Produtos tradicionais como vinhos, refrigerantes e carne estão mais caros. Apesar da alta nos preços e mesmo diante da crise econômica que assolou o Rio Grande do Sul, o setor de supermercados está prevendo uma alta no faturamento nesse período. A meta é atingir um crescimento real de 1,25% em comparação com 2014.

As informações são do portal da Agas (Associação Gaúcha de Supermercados), com base em pesquisa feita em outubro pelo Instituto Methodus. O levantamento aponta que 46% dos consumidores pretendem gastar menos neste fim de ano. Apesar disso, o setor prevê aumento de sua participação (de 49,9% para 52,2%) no total gasto pelos gaúchos com as festas. De acordo com a pesquisa, os supermercadistas preveem que o gasto médio com produtos como comida, decoração e bebidas deve aumentar de R$ 315,22 para R$ 345,09.

Este fenômeno é explicado por Antônio Cesa Longo, presidente da Agas, em artigo no site da Associação: “Por conta do cenário econômico desfavorável, muitas pessoas vão ficar em casa no Ano Novo, ao invés de comemorarem fora, isso vai favorecer compras feitas em supermercados” – explica.

Um dos dados positivos mostra que 87,5% dos gaúchos pretendem comprar presentes neste Natal. 74,3% desse total vão presentear crianças. Em função disso, supermercados ampliaram a compra de brinquedos pequenos e mais baratos. A aposta é em presentes mais simples já que os brinquedos importados tiveram um aumento médio de cerca de 11% em relação ao ano passado em função da alta do dólar.

Conforme os dados da pesquisa Methodus, 40,8% dos gaúchos responderam que vão comprar brinquedos neste natal. O índice é quase igual ao de bebidas alcoólicas, encabeçadas pelas cervejas artesanais, muito procuras como presente. Confira o ranking com os presentes que deverão ser mais procurados este ano:

– Brinquedos (40,8%)
– Bebidas Alcoólicas (40%)
– Roupas (22,4%)
– Alimentos (18%)
– Artigos de Bazar e outros (10,2%)

Em média, os preços dos produtos típicos das festas estão 8,5% superiores aos praticados no ano passado. O principal aumento está na carne bovina, de 12,5%. Entre as bebidas, vinhos importados e refrigerantes são aqueles em que os consumidores vão notar um aumento maior, de 10,8% e 9,1%, respectivamente. Os produtos mais procurados para a ceia de natal e noite de ano novo devem ser:

É necessário tomar muito cuidado na hora de fazer as compras de fim de ano, sobretudo em relação ao uso do cartão de crédito. As altas taxas de juros para parcelamento podem comprometer – e muito – o orçamento de quem pretende usar essa modalidade de compra. Quem faz o alerta é o professor de economia da UFRGS Flávio Fligenspan. Confira abaixo algumas dicas do professor para fugir das armadilhas e promoções fajutas:



 

Curiosidades:

O relatório apresentado pela Agas (Associação Gaúcha de Supermercados) apresenta algumas curiosidades interessantes:

– Cerca de 4 milhões de unidades de panetones serão vendidas pelos supermercados gaúchos neste fim de ano. Por questões culturais e climáticas, o gaúcho é tradicionalmente o maior consumidor per capita de panetones do Brasil, absorvendo 12% da produção nacional. O que totaliza um faturamento de R$ 54,4 milhões para a indústria.

– Ao todo, 850 mil aves (ou 2,7 mil toneladas) serão comercializadas pelos supermercados em Dezembro, o que totaliza um faturamento de R$ 33 milhões.

– 4,8 milhões de garrafas de espumante e champanhes deverão ser comercializadas no último mês deste ano, totalizando vendas na casa dos R$ 68,9 milhões. 95% das vendas serão de produtos fabricados no próprio estado;

– 6 milhões de caixas de bombons, esta é a estimativa de vendas dos supermercados somente na semana anterior ao Natal. O produto é o tradicional “presente de última hora”, consumidores devem ter cuidado, o produto, assim como na páscoa, costuma ser vendido pelo dobro do preço habitual.

– Ao todo, serão criadas 3,5 mil vagas de trabalho temporário no setor para o período de Natal, Ano-Novo e veraneio, uma queda de 20% em relação aos postos de trabalho abertos no ano passado.

A pesquisa “Natal e Ano-Novo na perspectiva de consumidores e supermercadistas” ouviu 200 consumidores de 18 a 70 anos de diferentes classes sociais, entre 1 e 3 de outubro, e 20 diretores de empresas do setor de todos os tamanhos e regiões do Estado.

Lida 830 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.