Geral

Estímulos para a tranquilidade

Conheça o ASMR, técnica que através de sons e imagens comuns do dia a dia causa relaxamento

O barulho das unhas tocando repetidamente uma caixa. O sussurro de alguém falando coisas tranquilizantes. A cena de uma pessoa agindo como se estivesse pincelando o seu rosto. Para muitos, essas coisas simples não fazem sentido algum. Mas, para alguns, esses sons e imagens provocam prazer e bem-estar. Esse conjunto de sensações tem nome: ASMR, sigla em inglês que traduzida significa “Resposta Sensorial Autônoma do Meridiano”.

Quem faz uso desse tipo de vídeo costuma dizer que a prática provoca uma espécie de arrepio no couro cabeludo ou em outras extremidades do corpo, além de relaxamento profundo. Basta jogar essa sigla no Google que a quantidade de vídeos que seguem o tema é infinita. Há muitas pessoas ao redor do mundo que aderiram ao ASMR, tanto como ‘’usuários’’ quanto como criadores de conteúdo.

Em um de seus vídeos, Carolina provoca estímulos usando um pincel. Crédito: Reprodução Sweet Carol

Em um de seus vídeos, Carolina provoca estímulos usando um pincel. Crédito: Reprodução/ Sweet Carol

No YouTube, por exemplo, há uma infinidade de canais com vídeos de ASMR. Um dos mais acessados no Brasil é o SweetCarol, da paulista Mariane Carolina Rossi, de 23 anos. Ela conta que começou com um canal sobre moda e maquiagem. Entretanto, depois que um internauta sugeriu que Carolina começasse a criar vídeos de ASMR, ela despertou sua atenção para a prática.

“Em 2014 comentaram que minha voz era muito propícia para esse tipo de vídeo, então procurei entender do que se tratava e vi que eram vídeos para relaxar. Era exatamente tudo o que eu sentia desde criança quando ouvia alguém embrulhar um presente, vasculhar a bolsa, o som de tampinhas, de uma página de caderno”, revela. Carolina conta que logo quando conheceu o ASMR, o utilizava para dormir, até que um dia resolveu criar um canal e fez um vídeo próprio.

Hoje o canal Sweet Carol tem mais de 200 mil inscritos, com vídeos que passam das 700 mil visualizações. Para Carolina, a prática se tornou sua profissão. “Eu gravo praticamente todos os dias da semana, tirando sábado e domingo, pois preciso renovar as energias e descansar para mais uma maratona”, explica.

A inspiração para a produção de vídeos costuma vir das sugestões de quem a acompanha, mas ela também tem ideias relacionadas ao seu dia a dia. “Às vezes um filme ou uma música me inspira. Uma situação do cotidiano, até mesmo andando pelo centro da cidade, quando entro em lojinhas tem muita coisa interessante que eu bato o olho e penso em algum vídeo bacana”, comenta.

Vídeos causam relaxamento e bem-estar

Não há muitos estudos científicos sobre o ASMR e poucos profissionais se atrevem a dar um palpite sobre porquê e como isso ocorre no sistema nervoso de algumas pessoas. Entretanto, o ASMR não para de ganhar adeptos. O estudante gaúcho Marcelo Flores, de 17 anos, faz uso do método há cerca de três anos. Ele utiliza para dormir, pois assistir os vídeos lhe deixa relaxado e com sono. “Sinto alguns formigamentos na cabeça e uma sensação boa”, explica.

Ele conta que conheceu a técnica através das redes sociais, mas que sempre sentiu esse tipo de sensação com coisas do cotidiano. “Eu sentia também quando olhava aqueles programas de TV de venda de joias. A voz dos apresentadores me relaxava. Normalmente eu dormia ouvindo eles”, recorda. Hoje os canais que ele mais acompanha são o Sweet Carol, ASMR BR e Bella ASMR. Sua preferência costuma ser por vídeos com sussurros e também alguns temáticos, onde os youtubers contam histórias variadas e aparecem em cenários (conhecidos também por roleplay).

O servidor público carioca André Gustavo Borges, de 45 anos, fala que o ASMR surgiu em sua vida graças ao fascínio que possui pela voz humana. “Conheci sem querer, pesquisando no Youtube sobre vozes. De repente me deparei com o ASMR e me apaixonei”, recorda. Para ele, além de ser uma técnica de relaxamento, se trata de uma arte que proporciona sensação de acolhimento, paz e tranquilidade.

Adepto há mais ou menos um ano, os vídeos favoritos de André costumam ser os do estilo roleplay. “Aqueles que abordam atenção pessoal, com características mais maternais, são os que costumo assistir mais no caso dos feitos com vozes femininas. Já os que possuem narração masculina me interesso mais pelos que envolvam temas como games e personagens”, aponta.

O seu interesse foi tamanho pelo ASMR que André criou um grupo no Facebook para reunir material sobre o assunto. Intitulado “Desvendando o ASMR”, o local serve ainda para os criadores de conteúdo divulgarem seus trabalhos e também para os amantes da prática discutirem sobre o ASMR. André conta que acompanha canais do mundo inteiro e sempre compartilha seus achados no grupo: “Vídeos de sons de objetos não me atraem muito, por exemplo, mas no grupo sou eclético e publico de tudo, desde que seja interessante”.

Lida 1020 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.