Geral

Empresas promovem a doação de sangue por seus funcionários e clientes

Ações de voluntariado abastecem bancos de sangue com a participação de centenas de pessoas

Luis Felipe Matos e Stéphany Franco

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada dois minutos um brasileiro precisa de sangue. Porém, apenas seis em cada 10 doadores são voluntários e doam com frequência. Os outros quatro doam somente quando algum amigo ou familiar necessita de transfusão – são os chamados doadores de reposição. Além disso, a OMS afirma que somente 1,8% da população de 16 a 69 anos tem o costume de doar sangue, quando o ideal para um país seria que pelo menos 3% da população nessa faixa etária fosse doadora. Para suprir esse déficit, algumas empresas tomam iniciativas para mobilizar funcionários e clientes.

Com o objetivo de atrair a clientela, a sorveteria La Basque, localizada em Porto Alegre, criou uma campanha para incentivar as pessoas que doarem sangue durante o junho vermelho, mês que celebra o Dia Mundial do Doador de Sangue no dia 14 de junho. “A ideia surgiu com a proposta de premiar as pessoas que fazem a doação. É como nos filmes que as crianças ganham um pirulito após se vacinar, por exemplo”, conta Laura Cunha, responsável pelo marketing da empresa. Em quase um mês de campanha, a sorveteria já contabiliza 13 clientes premiados pelo ato de doar sangue. “O cliente precisa ir, no mesmo dia em que doou sangue, até o La Basque com o comprovante da doação para que possa ganhar como brinde um Nutella Capuccino pequeno e um pão de queijo”, conclui.

A ação para os clientes acontece até o final do mês de junho. Contudo, a empresa pensa em criar um projeto interno para incentivar seus funcionários a aderirem à causa. “Pensamos no futuro em fazer algo específico para os nossos colaboradores, pois a doação de sangue é muito importante”, finaliza Laura. Frequentadora assídua do estabelecimento, Simone Martins, que é estudante de medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ressalta a importância da ação. “Em alguns países a doação de sangue é paga. Não vejo porque não incentivar as pessoas a fazerem doação em troca de um prêmio.  Seria interessante se outros estabelecimentos fizessem o mesmo por esta causa tão importante”.

Campanha para clientes doadores de sangue vai até o dia 30 de junho

Campanha para clientes doadores de sangue vai até o dia 30 de junho.  Arte: Divulgação

 

Outra iniciativa surgiu há 20 anos, quando a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) decidiu criar um cadastro de doadores voluntários. Através do projeto, a instituição incentiva que  seus professores, funcionários e familiares estejam aptos a doação sempre que necessário. Para participar do projeto, basta o funcionário/professor entrar em contato com o ambulatório da Instituição e informar os seus dados. Além disso, a Universidade realiza ações para a divulgação do cadastro de doadores entre os seus colaboradores.

Atualmente, cerca de 60 pessoas fazem parte do cadastro de doadores da Universidade, de acordo com Patrícia Telles, enfermeira do ambulatório da Unisinos. “A pessoa que necessita de doadores envia um e-mail para o ambulatório informando as especificidades da doação.  A partir daí, enviamos um e-mail para todos os funcionários do cadastro, que atendem as características do receptor, com a solicitação”, afirma. A Unisinos ainda oferece transporte até os bancos de sangue para o funcionário ou professor que necessitar de transfusão.

A Universidade pensa em expandir – em breve – o seu cadastro de doadores com a inclusão de alunos voluntários, visto que os bancos de sangue – muitas vezes – operam abaixo do volume necessário. “O nosso cadastro de doadores voluntários já foi bem maior, contudo, com os anos tiveram alguns desligamentos, pessoas que trocaram de emprego e que acabaram deixando de fazer parte do projeto”, ressalta a enfermeira.

O Banco do Brasil (BB) também desenvolve ações como a campanha Doe Sangue, que mobilizou centenas de pessoas, entre funcionários, familiares e clientes da instituição. Como parte das comemorações do centenário do BB no Estado, celebrado ano passado, a instituição financeira realizou diversas atividades. Entre elas, as Ações de Voluntariado BB 100 anos no RS, projeto que conduziu a campanha Doe Sangue. Assessora da divisão de desenvolvimento sustentável da instituição financeira, Janaina Cioccari explica que a ação iniciou em fevereiro de 2016 e estendeu-se ao longo do ano. “Divulgamos para as agências, que se articularam com hemocentros e prefeituras para viabilizar a coleta de cerca de 500 doações, tanto de funcionários quanto de outras pessoas das comunidades onde o BB está presente”, informa.

Funcionário do Banco do Brasil há 30 anos, Luiz Henrique Hauser compareceu ao Hemocentro do RS (Hemorgs) no dia da abertura da campanha, 22 de fevereiro de 2016. Ele acredita que mobilizações do tipo geram um sentimento de coletividade. “Não é nada agradável a sensação de uma agulha entrando no braço. E, ao pensar que só a sua doação não irá resolver o problema, acaba não motivando muita gente. Por isso, quando os colegas se unem, podemos fazer a diferença.”

O gerente Luiz Henrique Hauser estende o braço para doação de sangue vestindo a camiseta da instituição onde trabalha. (Foto: Luis Felipe Matos / BB)

O gerente Luiz Henrique Hauser estende o braço para doação de sangue vestindo a camiseta da instituição onde trabalha. (Foto: Luis Felipe Matos / BB)

Hoje, o bancário trabalha em São Leopoldo e tenta manter ativa a ação com o apoio dos demais funcionários da região. “Em fevereiro, contatamos a prefeitura para agilizar novas doações, visando suprir a escassez sazonal de sangue que surge com o carnaval. Acontece que não há um hemocentro na cidade e a administração pública local não ofereceu uma unidade móvel, como conseguimos em vários municípios no ano passado”, desabafa Luiz Henrique.

Lida 3852 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.