Cultura

A emoção de ver um ídolo

Nos últimos anos, Porto Alegre vem sendo incluída na turnê de diversas bandas internacionais

A alegria e emoção dos fãs se misturam durante shows de bandas internacionais. Foto: Ariel Quadros/Arquivo Pessoal

A alegria e a emoção dos fãs se misturam durante shows de bandas internacionais. Foto: Jonatha Michels/Arquivo Pessoal

 

No show dos Rolling Stones, todos os ingressos se esgotaram em menos de 24 horas. Para as apresentações do Guns N’ Roses e do Aerosmith, os bilhetes foram adquiridos em menos de dois dias.  Com um custo alto – cerca de R$ 190 até R$ 1,5 mil –, ainda assim a procura foi grande. Esses são elementos que demonstram que a paixão de um fã e a emoção de ver o ídolo muitas vezes não têm como ser mensuradas. Eles fazem diversas loucuras e demonstrações de amor: além de toda a batalha pelo ingresso, enfrentam horas em uma fila esperando a abertura dos portões. O que importa é estar perto do artista. Quando se trata de shows de artistas de fora do país, a loucura pode ser ainda maior.

Guns N’ Roses, Rolling Stones, Aerosmith, Lady Gaga, Madonna, Black Sabbath, entre tantos grandes nomes na música internacional. Até um tempo atrás, os gaúchos tinham a oportunidade de ver esses shows somente pela televisão ou precisam se deslocar até São Paulo para assistir às apresentações. Era praticamente impossível algum nome vir se apresentar no Rio Grande do Sul.

Contudo, nos últimos anos, muitos artistas estrangeiros vieram à capital gaúcha, para alegria dos fãs, que podem ver seu ídolo de perto e cantar seus sucessos. Por aqui, já passaram grandes nomes da musica internacional, como Madonna, Lady Gaga, Paul McCartney, dentre outros. Só neste ano, Rolling Stones, Aerosmith, Fifth Harmony e Maroon 5 já tocaram na capital. Guns N’ Roses, Black Sabbath, Mariah Carey, Sum 41, Joe Satriani, Whitesnake e Simple Plan irão tocar até o final do ano.

Ariel Santos de Quadros tem 26 anos. Sua mãe, Ana Cristina Ferme dos Santos, era fã da banda Aerosmith e foi grande influenciadora para o filho. “A banda faz parte da minha vida desde que nasci. Crescer ouvindo um som acaba criando uma trilha sonora na tua vida, e cada música significa bem mais que uma simples canção”, conta.

A paixão pela banda favorita fez com que Ariel fosse aos dois shows que o Aerosmith fez em Porto Alegre e a um em São Paulo. “Sempre são ótimos shows, e eu sempre fico bastante ansioso para ir. Chego bem cedo e fico o mais na frente possível.”

 

O servidor público Ariel conseguiu tirar uma foto com seu cantor preferido. Foto: divulgação

O servidor público Ariel conseguiu tirar uma foto com seu cantor preferido. Foto: Arquivo pessoal

 

A simpatia dos integrantes do Aerosmith não passou despercebida em Porto Alegre. Os músicos desembarcaram no Aeroporto Salgado Filho na tarde de 10 de outubro. À noite, o vocalista da banda, Steven Tyler, atendeu os fãs que o aguardavam na entrada do hotel em que estava hospedado. Ariel e a mãe estavam no local e conseguiram tirar foto com o simpático cantor. “Minha mãe me ligou dizendo que sabia em que hotel eles estavam e que tinham ido jantar num restaurante de Porto Alegre. Quando cheguei no local, os seguranças já estavam colocando os fãs numa fila, pois a banda iria tirar foto com todos que estavam ali”, diz.

Assim como Ariel, diversos fãs são influenciados pelos pais em relação ao gosto musical. Há momentos, porém, em que os próprios pais são motivados pelos filhos. A professora Janaina Cardoso, 31 anos, foi apresentada ao Aerosmith pelo filho adolescente, Bruno. “Ele curte bastante rock e me mostrou a banda. Então, quando anunciaram o show, compramos os ingressos e toda a família foi.” Ela ainda afirma que, mesmo o ingresso sendo caro, vale a pena pela qualidade das letras das canções. “Ficamos mais de 10 horas na fila para vê-los. E eu digo que valeu muito a pena, pois superou minhas expectativas. E ver o brilho nos olhos do meu filho foi demais”, completa.

 

Foto: Janaina Cardoso/Arquivo Pessoal

Mesmo com ingresso caro, Janaina levou a família ao Beira-Rio para realizarem um grande sonho de conhecer os ídolos. Foto: Janaina Cardoso/Arquivo Pessoal

 

Motivo de preocupação dos fãs, o preço dos ingressos acaba não sendo um grande problema quando o amor pelo artista fala mais alto. Ariel conta que, quando soube que a banda viria para cá, deu um jeito de ir guardando dinheiro para ir na pista premium, que custou R$ 580, pois seria um lugar que lhe proporcionaria ver a banda mais de perto.

O Aerosmith também foi influência do músico Jonatha de Oliveira Michels. O jovem se emocionou muito durante o show de uma de suas bandas favoritas. “Apesar de eu não lembrar de algumas partes por estar chorando, foi um dos momentos mais incríveis que já vivi. Foi perfeito”, afirma. Além disso, o jovem de 22 anos irá a mais dois shows de bandas que admira: Guns N’ Roses e Black Sabbath – ambos ocorrerão em novembro, no Estádio Beira-Rio.

Jonatha afirma que estar bem ansioso para ver a reunião do Guns N’ Roses, primeira influência de rock apresentada a ele, quando tinha 13 anos. “Eles foram a minha primeira banda de rock, estava no colégio ainda. Depois fui conhecendo outros grupos, mas Guns e Aerosmith continuam sendo meus amores de adolescência.”

Jonatha, que é vocalista de uma banda de tributo ao Queen, tem como referência o Black Sabbath, e conhecer aqueles que serviram de grande inspiração para ele é um momento único. “O legal desses grandes shows aqui no RS é que mostram que o gaúcho dá um certo valor para a cultura e as formas de arte, e coloca o Estado como um dos polos de rock’n’roll do país, junto com São Paulo.”

 

Ingressos com preço altos não espantaram a vontade de ver os ídolos. Foto: Luana Schranck

Ingressos com preço altos não espantaram a vontade de ver os ídolos. Foto: Luana Schranck

 

Jonatha foi no show do Guns N’ Roses realizado em 2014, mas conta que desta vez a emoção de ver sua segunda banda favorita será diferente: “No show que eu fui, era só o Axl Rose no palco, mas agora estarão o Slash e o Duff, formação clássica. Vai ser um momento histórico, porque quando comecei a gostar do Guns estavam dando uma pausa na carreira. Só recentemente que houve uma reconciliação entre o Axl e o Slash, e acho que ninguém esperava por isso”.

 

O acolhimento dos gaúchos

De acordo com o coordenador de Música da Secretaria Municipal de Cultura, Jorge André Brittes, a justificativa sobre o aumento de shows internacionais é justamente a boa receptividade do público gaúcho. “Tradicionalmente percebido como bom consumidor de bons eventos, e naturalmente favorecido pela iniciativa de grandes marcas patrocinadoras e uma economia até então estável”, destaca.

Para ele, a vinda dessas bandas internacionais para Porto Alegre, além de ser uma grande emoção para os fãs, é muito importante para a cidade. “É inegável que a presença dessas mega-atrações é importante para a capital gaúcha em nível nacional e internacional, tanto do ponto de vista turístico, quanto (e principalmente) comercialmente, em razão do consumo local de hotelaria, gastronomia, cultura e entretenimento em geral.” Brittes ainda ressalta que o os atrativos para esses artistas internacionais são, além dos novos estádios do Grêmio e do Inter, também a Copa do Mundo recebida por Porto Alegre em 2014, que ajudou a capital a se tornar uma aposta das produtoras de shows.

 

Lida 1393 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.