Geral

Dias de representatividade

Semana da Consciência Negra promove atrações em homenagem ao feriado na Capital

De 14 a 20 de novembro, Porto Alegre sediará atividades, palestras e apresentações relacionadas à exaltação da cultura afro. A Semana da Consciência Negra (SECON) está na sua 26ª edição na Capital. O evento é uma parceria da Secretaria Adjunta do Povo Negro (SAPN), vinculada à Secretaria Municipal dos Direitos Humanos (SMDH) de Porto Alegre, que contará com a participação de movimentos sociais a convite das secretarias para enriquecer o evento.

A Secretaria Adjunta do Povo Negro foi criada em janeiro de 2013, com o objetivo de estabelecer a política de promoção da igualdade racial. “Priorizamos questões de gênero, juventude, comunidades remanescentes de quilombos e matriz africana, e, igualmente, pautas estruturais como educação, saúde, cultura, habitação, emprego, renda e segurança”, afirma o secretário da SMDH, Wilson Pastorini. Segundo o secretário, a SAPN foi criada devido à necessidade da preservação da autoestima e para resgatar a contribuição do negro na consolidação da nação democrática.

flyer

Abertura oficial será às 17h. Foto: SAPN

 

Semana da Valorização

O tema desta edição será o “fortalecimento da cultura negra através da educação e empreendedorismo”, com o objetivo de refletir sobre a situação social, econômica, cultural e política do negro na sociedade brasileira. Segundo a secretária Samanta Nunes, representante da SAPN, desde que foi instituído o feriado no calendário nacional, uma série de avanços foram conquistados e a conscientização sobre o papel de protagonista passou a ser encarada de forma mais humana. “Apesar dos avanços, ainda há muito a ser feito. Por isso, desejamos tornar esses momentos de reflexões em um marco referencial no que diz respeito à concepção de políticas públicas específicas que se darão com muita participação popular.”

A programação contará com feira de afro empreendedorismo, rodas de conversa envolvendo educação, violência, saúde da população negra, oficinas, roda de capoeira, além de atrações culturais como Samba do Irajá, Brazil Estrangeiro, Imperatriz Dona Leopoldina, Grupo Pyração, entre outros. Além disso, terá a presença de autoridades e representantes do movimento negro do estado.

Apresentações culturais, como danças de matriz africana chamam atenção do público. Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Apresentações culturais, como danças de matriz africana chamam atenção do público. Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

 

Racismo ainda é uma realidade

“Para a população negra e também para o Movimento Negro organizado é fundamental espaços para discutir as relações étnico-raciais, a desigualdade, o preconceito e principalmente estratégias para a superação do racismo encontrado na nossa sociedade”, afirma Aleff Fernando, diretor de Combate ao Racismo da União Estadual dos Estudantes Livre (UEE Livre) do Rio Grande do Sul. O UEE Livre organiza o mesmo evento, com a mesma finalidade, mas é sediado em Santa Maria. Na cidade, a semana está na sua 28ª edição, também realizada anualmente.

A Semana da Consciência Negra de Porto Alegre ocorrerá no Largo Zumbi dos Palmares (Av. Loureiro da Silva, 1660 – centro), sempre das 13hs às 22hs. “Convidamos todos os cidadãos a participarem dos debates que buscam produzir elementos e subsídios para a formulação de diretrizes e ações que contemple todas as nuances e matizes, a fim de promover a igualdade racial”, diz a secretária Samanta.

Sobre a Lei

Em Porto Alegre, a Semana está na sua 26ª edição, mas só em 2015, foi decretado feriado municipal. A Lei nº 10.639, instituída em 2003, inclui nas atividades do calendário das escolas de Ensino Fundamental e Médio a obrigatoriedade da reflexão e do ensino da cultura e da ancestralidade afro-brasileira. Em 2011, a Lei nº 12.519 decretou o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, a ser celebrado, anualmente, no dia 20 de novembro. Em 2015, foi sancionado o projeto de lei que define a data como feriado municipal em Porto Alegre, mais precisamente, denominado o Dia da Consciência Negra e da Difusão da Religiosidade.

O feriado permite resgatar a herança de um povo que sofreu por séculos com a opressão através da discriminação racial e da escravidão. O dia homenageia a morte do Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, um dos maiores símbolos da luta pela liberdade do povo negro. A data só foi determinada com a derrubada de emenda que transformava o feriado em data móvel, no terceiro domingo do mês de novembro.

Lida 743 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.