Geral

Você descarta de forma correta seu lixo eletrônico?

Iniciativa em Esteio vem despertando a coleta consciente pela população

13510547_1022585414524370_1593022308_nAinda que a separação do lixo pareça um assunto muito debatido, poucas são as pessoas que se dão ao trabalho de  colocar em um cesto o resto do seu alimento e em outro as embalagens e folhas de papel. E cada vez mais, surge outra questão: o que fazer com aquele computador que não funciona mais? E as pilhas? E os celulares, trocados quase anualmente?

O Brasil descarta por ano 116 mil toneladas de lixo eletrônico, entre computadores, celulares e impressoras. Para tanto, existe uma Lei Federal que obriga a destinação adequada destes resíduos, especialmente em função da presença de mercúrio, chumbo, cobre e arsênico, entre outras substâncias, presentes nesses materiais. Quando descartados incorretamente, os metais pesados do lixo eletrônico penetram no solo e atingem os lençóis freáticos, contaminando a água, e por consequência, as plantas e animais.

Mas a cidade de Esteio tenta reverter um pouco este cenário. Há 4 anos o município promove o Dia do Descarte Consciente. A iniciativa elege dois dias no ano para incentivar a população quanto ao descarte correto de seu lixo eletroeletrônico, bem como óleo de cozinha e lâmpadas, que devem ser realizados em postos específicos. Todo o resíduo descartado é encaminhado para a Cooperativa de Trabalho de Recicladores de Esteio (COOTRE). No dia 11 de junho, ocorreu a 8ª edição do evento, que acontece em parceria com a Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Esteio (ACISE) e com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do município.

 

P1120487

Materiais descartados no Dia do Descarte Consciente (11/06/2016). Foto: Tuanny Prado

Ainda tímido,  o trabalho vem surtindo efeito, tendo em vista que já foi percebida uma diminuição na arrecadação dos eletroeletrônicos. Segundo o presidente da CDL de Esteio, Celso Dalmás, essa queda é uma boa notícia: significa que as pessoas estão mais conscientes, e não acumulam mais seus materiais, descartando-os de forma regular.

 

Dados recolhidos dos arquivos da ACISE.

Dados recolhidos dos arquivos da ACISE.

 

Além de haver um dia específico para o descarte consciente, a COOTRE, cooperativa responsável pela coleta seletiva de Esteio, recolhe diariamente nas residências não só o lixo reciclável tradicional, como também os eletrônicos. Depois de recolhido, o lixo é encaminhado até a cooperativa e lá, aquilo que não é possível reaproveitar é desmanchado e posteriormente encaminhado para uma triagem, onde são separados o cobre, o alumínio e os fios, entre outros. O óleo de cozinha é doado para empresas que transformam essa substância em sabão. Já os objetos que ainda funcionam, são vendidos para alguma pessoa da cooperativa ou empresas, por um valor bem mais em conta que o habitual. Todo o lucro obtido é dividido entre os cooperados.

A COOTRE existe oficialmente desde 2012, mas somente em 2015 ligou-se a administração municipal. Segundo sua presidente, Rita dos Santos, 30 famílias vivem deste trabalho, o que faz a cooperativa ser fonte de renda para mais de 100 pessoas do município. Mensalmente, são separadas em torno de 80 toneladas de lixo, o que faz com que a renda de cada cooperado seja de, em média, R$ 1.200,00.

Rita conta que o principal problema enfrentado é a falta de conscientização da população. Em Esteio existe um sistema de cadastramento junto a Prefeitura, através da coordenadoria da coleta seletiva. Ao se cadastrar, é permitido ao morador esteiense escolher o dia e o horário que mais lhe convier para a passagem do caminhão da coleta. Mesmo assim, muitas pessoas não entendem a necessidade do ato de separar o lixo. Segundo a presidente da COOTRE, a única coisa a qual eles não conseguem reciclar é o papel higiênico, de resto, tudo “tem jeito”.

De todo o material que a cooperativa separa, o que mais rende para aqueles que dependem do serviço são os materiais eletrônicos, sendo a placa Ram uma das peças com maior retorno financeiro: R$ 35,00 o quilo. Já o papel, um dos materiais mais comuns, gera R$ 0,52 o quilo. Mas molhado, passa a render apenas R$ 0,08.

Saiba como descartar na sua cidade:

As cidades da região metropolitana realizam coleta seletiva. Informe-se no seu município para participar.

São Leopoldo: coletaseletiva@saoleopoldo.rs.gov.br / 3568-1780

Sapucaia do Sul: coletaseletiva@sapucaiadosul.rs.gov.br / 3452-7358

Esteio: meio.ambiente@esteio.rs.gov.br / 3433-8180 / Clique aqui para se cadastrar na coleta.

Canoas: canoas.smma@gmail.com / 3236-1800 / Em Canoas, a empresa Technodes recebe computadores e outros eletrônicos para descarte.

Leia outras matérias desta série:

Desfile Moda Recicle é atração em Gravataí

Feira orgânica e plataforma colaborativa promovem alimentação saudável

 

Lida 391 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.