Política

Cobertura midiática da crise: mocinha ou vilã?

Hoje, a imprensa tem um papel mais importante do que nunca

Foto: Reprodução/Twitter

Foto: Reprodução/Twitter

É só abrir os sites de notícia pra se deparar com o card de “URGENTE”, sinal de que vem notícia pesada por aí. Nos últimos meses, o país, que vem enfrentando uma grave crise econômica, política e social, se viu mergulhado em mais escândalos de corrupção. Desta vez, o alvo foi o Presidente da República, Michel Temer.

Em conversas gravadas pelo empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, considerada uma das maiores indústrias de alimentos do mundo, Temer dá a entender que Joesley estava dando uma “mesada” ao ex-deputado Eduardo Cunha para que se mantivesse em silêncio. Bastou a divulgação da informação pelo colunista Lauro Jardim, de O Globo, para o país mergulhar em mais uma crise política. Em seu pronunciamento, o presidente negou com veemência as acusações do empresário, que atualmente está nos Estados Unidos com sua família.

Os veículos de comunicação deram uma extensa cobertura do caso, com edições especiais e em horários estendidos. Cobrir o noticiário político nunca foi fácil, ainda mais em momentos históricos e repletos de escândalos como os vividos nos últimos anos no Brasil. Muitos fizeram uma comparação entre as coberturas feitas durante a crise vivida no governo da ex-presidenta Dilma Rousseff e o de seu sucessor, Temer. Seria a Globo uma emissora golpista?

Para alguns, sim. Para outros, não. Fato é que nunca se teve tantos veículos para se informar, independentemente se é de esquerda, direita, centro, etc. Pela sua ascensão, a internet e as redes sociais estão dando voz para os que antes não eram escutados. Por isso, tem notícia para todos os gostos e vieses políticos.

Nunca a imprensa e os jornalistas tiveram um papel tão importante como atualmente. Os veículos de comunicação sempre foram vistos como uma importante ferramenta de construção de opinião. É por ela que ficamos sabendo do dinheiro desviado, do político que defende com unhas e dentes a ditadura militar e sobre as investigações feitas pela Polícia Federal. É fundamental ressaltar a importância dessas investigações como a Lava Jato. Se queremos um país livre da corrupção e dos maus gestores, é preciso que todos sejam investigados e caso sejam encontradas irregularidades, que paguem por isso na cadeia e devolvendo todo o dinheiro ilícito.

Sem eles, quem vai investigar o maior escândalo de corrupção já registrado no país? É hora dos militantes, independentes de sua posição política, pensarem no futuro do país. O Brasil é um só. De petistas e tucanos. De coxinhas e de petralhas. E a imprensa deve seguir isso: deixar de lado os interesses políticos e agir em defesa da população e do Brasil.

Lida 486 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.