Cultura

Cine Esquema Novo 2017 é cancelado em Porto Alegre

Edição de 2018 do festival está garantida

O festival conhecido por propiciar uma multiplicidade de vozes através da sétima arte não será realizado neste ano. O Cine Esquema Novo (CEN), fixado no cenário cultural de Porto Alegre desde 2003, ocorreria, como de costume, no mês de novembro. No entanto, um comunicado informando a não realização pegou os cinéfilos de surpresa. Segundo o diretor do CEN, Ramiro Azevedo, a decisão de cancelar o festival de 2017 se deve ao fato de que a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, principal investidora do evento no ano de 2016, não realizou os pagamentos.

Para o curador, Alisson Avila, a sociedade é quem sai prejudicada. Ele aponta que o CEN não é um festival de cinema tradicional e que a sua realização é vista como uma janela de exibição pelos artistas.  Ele destaca, inclusive, que alguns nunca viriam até Porto Alegre se não fosse o festival. “Acho que temos vivido, independente dos motivos, uma certa ditadura do pensamento único”, diz . Ele ainda salienta que, em pleno 2017, ainda não aprendemos que o mundo é feito de tons de cinza e não de preto e branco. Para ele, esse pensamento pode ser aplicado em todas as áreas como política pública e equipamentos culturais. “Acho que a sociedade perde a opção de ver outras formas de encarar a arte de forma gratuita, porque o Cine Esquema Novo nunca teve entrada paga desde sua primeira edição”, avalia.

O documentário Grin foi exibido no festival do ano passado. Foto: Cine Esquema Novo/Divulgação 2016

 

Os motivos

A realização do CEN é, desde a última edição, uma parceria entre a Associação Cine Esquema Novo de Desenvolvimento da Imagem e a Coordenação de Cinema Vídeo e Fotografia da Secretaria de Cultura Municipal. O convênio foi firmado em junho de 2016 e o evento ocorreu em novembro do mesmo ano. Segundo os organizadores, no momento da contratação das equipes e de equipamentos, foi dado um prazo de pagamento até março de 2017. “Nós sabíamos que poderia ocorrer um atraso”, afirma Ramiro. A partir do momento em que a Associação foi informada que o pagamento seria realizado apenas em janeiro de 2018 e de forma parcelada, os organizadores comunicaram o decreto da Prefeitura aos fornecedores. Segundo Ramiro, seria, no mínimo, antiético abrir inscrições e começar a contratar pessoas e equipamentos sem ter pago os valores referentes ao ano passado.

 

Vai ter CEN em 2018?

Os diretores-curadores do CEN preferiram cancelar o evento deste ano e projetar o de 2018. Alisson salienta que, além da Prefeitura, a associação tem o Goethe-Institut de Porto Alegre como parceiro de realização. Ramiro informa que, para o ano que vem, o projeto do festival já está sendo inscrito em editais e há uma busca por patrocinadores por meio de leis de incentivo à cultura. Segundo a organização, não há desejo de romper com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, que já havia se colocado à disposição para ser co-realizadora do evento neste ano. No entanto, a associação entende que irá aguardar o recebimento dos pagamentos de 2016 e, como o evento é realizado no Cine Capitólio, não há nenhum interesse nosso em romper com o executivo municipal.

Rifle, de Davi Pretto, também foi atração em 2016. Foto: Cine Esquema Novo/Divulgação 2016

 

 

O comunicado na íntegra

É com imensa tristeza​ que informamos a todos que a edição 2017 do Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira não será realizada.

A ausência dos repasses de financiamento por parte de nosso principal parceiro correalizador, a Prefeitura de Porto Alegre, leva-nos a esta decisão. Que é fundamentada em duas razões centrais:

1. Todos fornecedores e profissionais atuantes na edição anterior do festival, em 2016, ainda não foram pagos devido a este atraso da Prefeitura. Tais pagamentos estão agendados somente para 2018, e de forma parcelada;

2. Sem fundos, a realização do CEN 2017 implicaria em um duplo endividamento, e sem datas de pagamento previstas, para todos os envolvidos.

Em nome da reputação e seriedade com que realizamos o CEN desde a sua primeira edição, em 2003, e do respeito por toda a rede de parceiros do festival, é impossível ignorarmos este cenário e promovermos uma nova edição sem pensarmos nas consequências.​

​A Prefeitura de Porto Alegre é correalizadora do CEN desde sua primeira edição e esperamos que essa parceria ainda renda muitos frutos. Porém, diante da atual política de pagamentos implantada, projetos como CEN tornam-se inviáveis.

É importante salientar que o CEN continua contando com as importantes parcerias e apoios do Goethe-Institut Porto Alegre, Bruna Paulin – assessoria de flor em flor e S2C Produção Gráfica, entre muitas outras instituições, que permitem a realização de um festival que nunca teve como objetivo o lucro.

Em breve partilharemos novidades sobre outras atividades que a ACENDI – Associação Cine Esquema Novo para o Desenvolvimento da Imagem espera​ promover em Porto Alegre e outras cidades do Brasil​ com o intuito de não deixar que esse projeto se esgote ​exclusivamente por uma questão financeira.

Os diretores-curadores:

Alisson Avila
Gustavo Spolidoro
Jaqueline Beltrame
Ramiro Paiva De Azevedo

Lida 94 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.