Geral

Catioro Go: do virtual para o mundo real

Aplicativo web da prefeitura de Esteio aproxima bichinhos e futuros donos

Catioros, gatíneos, coelhíneos, ratíneos. A mais nova linguagem popular da internet troca o final de todas as palavras no diminutivo. A moda foi criada pela página Catioro Reflexivo, neste ano. A fanpage, fundada pelo social media carioca Carlos Alencar, já tem mais de 2 milhões de curtidas. A mania se espalhou tão bem que o novo vocabulário saiu do mundo virtual e, agora, até projetos mais “sérios” passaram a entrar na onda.

É o caso do aplicativo web Catioro Go, desenvolvido pela prefeitura de Esteio. O objetivo do projeto, lançado em outubro, é estreitar a relação entre os cachorros sem raça definida (SRD) do Canil Municipal com os moradores interessados em adquirir um novo bichinho. O aplicativo, baseado principalmente no game de realidade virtual Pokémon Go!, foi pensado pela Secretaria de Comunicação e desenvolvido pela Diretoria de Modernização Administrativa da cidade.

 

Página inicial do aplicativo. / Foto: Michelle Oliveira / Beta Redação

Página inicial do aplicativo. Foto: Reprodução, Catioro Go

 

Luiz Damasceno, jornalista responsável pela Secretaria de Comunicação, explica que a ideia de criar o app veio de uma brincadeira. “A ideia nasceu em uma reunião de pauta e foi dada por um jornalista, servidor da prefeitura. Começou meio na brincadeira, mas depois vimos que tinha potencial. À época, o jogo ainda não havia sido lançado no país, mas já era considerado uma febre. Foi uma ideia espontânea que casou com o senso de oportunidade”, explica ele.

“O conjunto da equipe acabou abraçando a campanha. Um estagiário foi ao canil produzir as fotos e o setor de publicidade levou adiante.  Conseguimos pegar uma pauta externa para potencializar uma questão relevante pra cidade”, conta. Luiz ainda relata que, depois do sucesso da campanha, o departamento de Tecnologia da Informação iniciou o desenvolvimento da interface web, o que facilitou o acesso dos cidadãos a informações sobre os animais do canil.

Essa é a história de Vilma que, atualmente, vive com a nova dona, Iolanda Beltrão Marinho. Iolanda conta que queria um cachorrinho para fazer companhia para Pretinha, sua cadela. “Eu e Marcelo, meu marido,  já estávamos escolhendo um novo amigo para a Pretinha quando vimos o aplicativo da prefeitura de Esteio. Tivemos a certeza de que poderíamos ajudar tanto o amigo de quatro patas quanto a cidade. Quando vimos a Vilma, foi imediato: ela na foto do Catioro GO era só alegria e estava presa a uma casinha”, relata ela.

 

Vilma ainda no Canil Municipal / Foto: Michelle Oliveira / Beta Redação

Vilma ainda no Canil Municipal. Foto: Reprodução, Catioro Go

 

“Marcelo e minha filha Helena foram buscá-la no canil e ela foi muito carinhosa com eles”, continua Iolanda. “Helena adorou na hora. Vilma é muito carinhosa e está se dando muito bem com a Pretinha, que está até mais ativa e feliz.” Iolanda diz ainda não ter total certeza da idade da nova integrante da família. “A Vilma tem quatro anos, mas achamos que ela tem dois… ela come os chinelos e é muito brincalhona”, conta.

 

Helena e Vilma / Foto: Reprodução Facebook

Helena com a cadela adotada, Vilma. Foto: Arquivo pessoal

 

Outro exemplo da efetividade do app é a história de Layla, a mais nova cachorrinha de Jonas Ramgrab, morador de Canoas. Jonas explica que, pelo que soube, Layla morava com outra família e convivia com mais um cachorro. “Parece que, por um acidente, um dia ela mordeu esse cachorro que era velhinho e ele morreu. Então ela foi encaminhada pro Canil de Esteio. Aí vi as fotos dela no aplicativo. Na época eu estava em Curitiba a trabalho, e minha mãe foi lá vê-la. Eu já estava à procura de uma fêmea lá pra casa. Eu já tinha dois machos adotados também. Quando recebi as fotos dela soube que era exatamente um cachorro igual a ela que eu queria: linda, dócil, brincalhona e protetora”, conta Jonas.

 

Layla já no novo lar / Foto: Arquivo Pessoal

Layla já no novo lar. Foto: Arquivo pessoal

 

E a ideia vem dando muito certo. Dos 77 cachorros que estavam no Canil no início da aplicação do projeto, 23 já foram adotados. Atualmente, o Catioro Go tem uma parceria com as ONGs GATA e Gepar, o que possibilita que o interessado em ter um novo bichinho possa escolher gatos também. Desta forma, além dos “catioríneos”, os “gatíneos” também têm suas fotos publicadas no app e quem quiser pode reservar o seu. Depois, é só buscar.

Conforme o site da prefeitura de Esteio, para adotar um bichinho basta entrar no endereço www.esteio.rs.gov.br/catioro,  clicar em “Capturar Amigo” e fazer o login em uma conta do Facebook. Após, a pessoa terá sete dias para buscar o cãozinho ou o gatinho – o sistema indicará como ela deve  fazer para buscar o amigo.

Também é necessário preencher outros requisitos: ser maior de idade, apresentar RG, comprovante de residência e assinar o termo de adoção. Caso passe o prazo, o animal voltará para a página e ficará disponível para adoção por outra pessoa. Quem não tiver perfil no Facebook ou não quiser fazer login na rede social, poderá também “capturar o amigo”. Para isso, basta ligar para o telefone (51) 3433-8125, com Thierre, André ou Djalma. Por esta forma, também é aberto um prazo de sete dias para que a pessoa busque o animalzinho no Canil ou com as ONGs Gata e Gepar.

Lida 940 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.