Economia

Carteiras extremamente finas fazem sucesso no e-commerce

Empresa formada por jovens de Montenegro comercializa produtos para todo o Brasil

De um projeto de sala de aula para um produto no mercado real. Assim surgiu a Dobra, empresa de fabricação e venda de carteiras que hoje comercializa os produtos para todo o Brasil. Não se trata de uma simples carteira, ou melhor, é uma carteira muito simples, pois é extremamente fina e feita de um material semelhante ao papel em espessura e textura.

>

Foto: Eduarda Nedel.

O material das carteiras é resistente, impermeável, não rasga e é 100% reciclável. Foto: Eduarda Nedel / Dobra.

>

As carteiras da Dobra são comercializadas exclusivamente pela internet. O processo de fabricação delas é completamente manual, desde a impressão da estampa, montagem, dobra e colagem. A embalagem e a postagem para envio também são tarefas realizadas pela equipe.

>

>

Empreendedorismo jovem e inovador

A empresa foi fundada em março de 2016 em Montenegro, cidade da região metropolitana do estado, mas o projeto vem desde 2013. Guilherme Massena, um dos fundadores, revela que a ideia surgiu em uma atividade do curso de graduação Administração – Gestão para Inovação e Liderança da Unisinos. “Começou com um projeto na faculdade, fez sucesso e decidimos continuar. Foram quatro sócios-fundadores: eu, meu irmão Augusto Massena, meu primo Eduardo Hommerding e meu ex-colega Getulio Baseggio. Hoje a equipe conta com oito pessoas no total e todas serão sócias também”, informa Guilherme, que está trabalhando em um projeto para que todos da equipe possam ser sócios da empresa.

>

A equipe atual é formada por Augusto Massena, Eduardo Hommerding, Guilherme Massena, Guilherme Zimmerman, Marcelo Hommerding, Rafael Gesswein, Thiago Cunha, e Joane Seelig. Todos são jovens, a pessoa mais nova tem 18 anos e a mais velha tem 32. Foto: Eduarda Nedel.

A equipe atual é formada por Augusto Massena, Eduardo Hommerding, Guilherme Massena, Guilherme Zimmerman, Marcelo Hommerding, Rafael Gesswein, Thiago Cunha e Joane Seelig. Todos são jovens, a pessoa mais nova tem 18 anos e a mais velha tem 32. Foto: Eduarda Nedel / Dobra.

>

Aos 23 anos, Guilherme Massena revela que sempre desejou empreender. “Sempre quis ter meu próprio negócio, tentei um aplicativo de cerveja há alguns anos, mas não obtive sucesso. O conceito da Dobra, o modelo de negócio e tudo mais surgiu quando eu e o Eduardo começamos a estudar futurismo”. A prova destes estudos é que o material das carteiras é o mesmo utilizado pela National Aeronautics and Space Administration (NASA) para embalar suprimentos dos astronautas enviados ao espaço.

>

Economia colaborativa

Segundo os sócios, a Dobra é uma empresa aberta e possui três formas de colaboração. A primeira é a #dobradiy, em que são disponibilizados moldes e instruções para você fazer a sua Dobra de papel em casa. A #dobraaberta é o espaço para enviar sugestões de novos produtos que utilizem os mesmos materiais das carteiras Dobra. Caso seu projeto seja aceito, você se torna sócio dele.

Enfim, a forma de colaboração mais popular da Dobra é o #collab. Artistas, designers ou qualquer pessoa que saiba criar estampas para novas carteiras pode participar. Se a estampa for aceita, é posta à venda e o criador ganha uma comissão.

Foto: Eduarda Nedel.

Foto: Eduarda Nedel / Dobra.

Melina Daudt da Silva é uma #collab, ela conta que adquiriu uma carteira e ficou apaixonada pelo design, material e funcionalidade do produto. “Sou formada em Moda e a área da estamparia sempre me chamou atenção. Vi na Dobra a oportunidade de chegar até as pessoas e também de desenvolver meu trabalho. Desde então desenvolvi quatro estampas, e a aviãozinho é o meu xodó”, relata. Melina diz que é muito bom o reconhecimento alcançado. Muitas pessoas a marcam em publicações nas redes sociais ou enviam mensagens para elogiar a estampa ou para contar porque a escolheram.

Do ponto de vista financeiro, Melina considera um ganho extra. “Como designer, trabalho em mais uma empresa além de alguns freelas, por isso o rendimento das estampas é sempre aquela surpresa boa, que chega para dar aquele up”, destaca.

Comunicação despojada e com propósitos

A comunicação visual da empresa no site e nas redes sociais é marcada por designs criativos. Já a linguagem empregada é simples e amigável. Segundo Guilherme Massena, a ideia é que a conversa entre empresa e clientes seja como uma “conversa de bar”, alegre e humanizada.

Ainda segundo o sócio, ele diz que a equipe utiliza muito as redes sociais. É o principal canal para atrair clientes. Não é à toa que a página da Dobra no Facebook acumula 27 mil seguidores e no Instagram 23 mil. Foi através disso que Carlos Raul Fraga conheceu o produto. “Encontrei a Dobra via Instagram em um momento que estava navegando pela rede despretensiosamente”, comenta.

Foto: Carlos Raul Fraga / arquivo pessoal.

Foto: Carlos Raul Fraga / arquivo pessoal.

Morando em Canoas e trabalhando e estudando em Porto Alegre, Carlos caminha em lugares de movimento e acha perigoso carregar uma carteira convencional que se destaca no bolso, devido aos furtos e assaltos que ocorrem na capital. Antes, ele distribuía seus pertences por diferentes bolsos e pela mochila, porém, ao conhecer a Dobra, mudou esta organização. “Ela é fina e exerce a função de carteira muito bem, agora consigo levar todos meus documentos em um único lugar”. Não apenas pela praticidade, um dos motivos dele aderir ao produto é pelos valores da empresa. “Além de eles incentivarem a criatividade dos seus clientes, é realmente uma empresa atual e de alta qualidade que combina muito com a minha personalidade”.

Daniel Henriques mora em Curitiba e também é cliente da Dobra, ele salienta a questão da sustentabilidade do produto. “A carteira é enviada num envelope que se transforma num cofrinho. Além disso, eles instruem você a mandar a Dobra de volta, quando ela não for mais usável, para que a empresa recicle”. Ele diz que a parte mais divertida é escolher a estampa, pois são criativas. “Tendo em vista todo o conceito em torno do produto, acho o preço de venda justo”, pontua.

Foto: Daniel Henriques / arquivo pessoal.

Foto: Daniel Henriques / arquivo pessoal.

Guilherme fala que o propósito da empresa é deixar o mundo mais irreverente (através das estampas divertidas), aberto e do bem. “A partir do momento que tu pratica o teu propósito, mais pessoas vão acreditar em ti, na tua empresa, e consequentemente elas vão comprar teu produto”, finaliza.

Conheça a Dobra: Site – Facebook – Instagram – Youtube.

Lida 4023 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.