Cultura

Canoas ganha espaço cultural

Casa das Artes Villa Mimosa une aulas e eventos abertos ao público

A grafia da Villa Mimosa, estampada em sua fachada, já deixa claro que ela carrega uma história que se confunde com a da própria cidade. O prédio, fundado em 1904, já foi residência, armazém e também consultório da família Ludwig. Depois de passar anos fechado, quase imperceptível em frente aos trilhos do Trensurb, em 2012 recebeu uma nova oportunidade: a de abrigar o primeiro espaço cultural público de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

A Casa das Artes Villa Mimosa tem como proposta abrir espaço para os artistas da cidade e oferecer atividades ao público. Para a gestora Adriana Martorano, esse projeto veio na hora em que a população canoense está mudando sua relação com a cidade. “Durante muito tempo, Canoas foi uma cidade-dormitório, não oferecia nenhum tipo de lazer. De um tempo para cá, isso está começando a mudar. Os próprios grupos de artistas do teatro, da música e das artes estão começando a se organizar e a batalhar por um espaço deles aqui”, diz.

Por conta disso, a proposta é de oferecer formação. “Ela é uma casa essencialmente de formação em artes”, esclarece Adriana. São ofertadas oficinas de dança, teatro, música e artes visuais durante a semana. “A gente tenta cobrir esse leque de todas as linguagens artísticas e também não focar em um público só”, ressalta. A gestora explica que há atividades voltadas para os públicos infantil, juvenil e adulto.

A Casa também recebe apresentações e exposições através de parcerias, como com o Sesc. A exposição “Só Lâmina”, do paulista Nuno Ramos, segue até o dia 20 de dezembro. Ao todo, são 11 quadros, uma escultura sonora e dois vídeos inspirados no poema “Uma faca só lâmina”, de João Cabral de Melo Neto. Há também shows e peças de teatro aos fins de semana. Os sábados à noite são destinados aos adultos, enquanto os eventos voltados às crianças acontecem sempre nos domingos à tarde.

Confira a agenda completa da Casa das Artes Villa Mimosa clicando aqui

De residência dos Ludwig a Casa das Artes, são 111 anos de história

Antes de se tornar a Casa das Artes, o prédio da Villa Mimosa foi berço da família Ludwig. O casal Frederico Guilherme Ludwig e Dona Mimosa foi o primeiro proprietário da residência, que começou a ser construída em 1904. Conforme a família crescia, a casa também aumentava. Em 1923, ela recebeu sua maior ampliação. Fritz Ludwig ganhou na loteria e investiu o prêmio na reformulação do local, que passou a ter 23 cômodos ao total. Os últimos moradores da casa foram Vítor Hugo Ludwig e sua família. Eles deixaram o prédio em 1999. A partir daí, a casa permaneceu fechada.

Em 29 de maio de 2009, foi assinado o decreto 635, que fez da Villa Mimosa o primeiro prédio tombado como patrimônio histórico e cultural de Canoas. A partir daí, ele começou a ser restaurado pela construtora Cyrela Goldzstein. Durante o processo, foi tomado o cuidado de manter a identidade original da construção – as escadas, algumas portas, fechaduras e ladrilhos presentes na casa são ainda de 1904. A casa foi oficialmente reaberta em junho de 2012.

Restauração manteve partes originais da Casa / Foto: Thaciane de Moura

Restauração manteve partes originais da Casa / Foto: Thaciane de Moura

Texto: Mariana Nunes e Thaciane de Moura

Lida 680 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.