Esporte

Brasil está fora do ‘grupo da morte’ do Voleibol Feminino nas Olimpíadas Rio 2016

Seleção Brasileira deve enfrentar na primeira fase Argentina, Japão, Rússia, Coreia do Sul e Camarões, enquanto Estados Unidos, China e Itália estão no ‘grupo da morte’

 

 

Foto: Agência EBC/ Agência Brasil

Foto: Agência EBC/ Agência Brasil

 

Após a Seleção Feminina de Voleibol de Porto Rico ter conquistado a última vaga para os Jogos Olímpicos Rio 2016, estão definidos os 12 países que participarão da competição. Nesta segunda-feira (23), as equipes foram divididas em dois grupos com seis times cada. O Brasil está no Grupo A junto com Argentina, Japão, Rússia, Coreia do Sul e Camarões.

 

O Grupo B é considerado como o “grupo da morte”, uma vez que o cabeça de chave é a seleção dos Estados Unidos, atual campeã mundial e do Grand Prix – competição internacional de voleibol feminino. Além disso, China, Sérvia, Itália, Holanda e Porto Rico também estão no grupo.

 

Na primeira fase, as quatro melhores seleções se classificam para as quartas de finais. A partir de então, quem perder, é eliminado de vez. Para o presidente da Federação Gaúcha de Vôlei (FGV) Carlos Alberto Cimino, o Brasil dificilmente será eliminado na primeira fase. Apesar de ser um momento mais tênue da competição, ele afirma que a seleção brasileira tem a Rússia como um adversário direto, o que representa um grande duelo dentro do grupo.

 

Sobre a definição de “grupo da morte”, Cimino explica que ele se deve à primeira grandeza das equipes que o compõe, com exceção de Porto Rico e Holanda: “Com qualquer vacilo destas equipes, não haverá classificação”.

 

Além disso, de acordo com o presidente, o Brasil possui poucos pontos fracos na competição. Ele lembra que a seleção feminina de voleibol é a atual bicampeã olímpica em Pequim 2008 e Londres 2012, vencedora de dois Grand Prix e fez uma boa campanha no Campeonato Mundial da Itália, com 12 vitórias em 13 jogos.

 

Por outro lado, segundo Cimino, um fator de risco que pode enfraquecer a equipe são os possíveis desgastes das atletas. “Em junho temos mais um Grand Prix para jogar. Ou seja, é preciso ter cuidado para que nenhuma atleta se lesione no processo, porque logo em seguida iniciam as Olimpíadas.”, destaca.

 

Em relação às vantagens e desvantagens da seleção brasileira comparada às outras equipes classificadas, o presidente aponta duas grandes preocupações: Rússia e os Estados Unidos.

 

“A Rússia tem uma equipe alta, e por isso os duelos com o Brasil são mais parelhos. Já os Estados Unidos tem como vantagem o time sólido, que pouco se alterou e joga junto há muito mais tempo, tendo se mantido desde os últimos Jogos Olímpicos, em 2012”, fala. Apesar disso, Cimino afirma que a equipe brasileira sabe explorar as fraquezas de ambas as seleções.

 

O presidente destaca o desempenho de Japão e China, que, segundo ele, são escolas onde a defesa é o fator mais preponderante. “A velocidade do jogo é bastante intensa também”, acrescenta.

 

Cimino lembra que o Brasil pode enfrentar o Japão na primeira fase da competição e a China na segunda. “A persistência e paciência de quem enfrenta essas duas seleções deve ser salientada, pois vão atacar e a bola não vai cair no chão com facilidade”, frisa. Para ele, o Brasil é o grande favorito além dos Estados Unidos, uma vez que estará jogando em casa, em território conhecido e com o apoio da torcida. Todos as partidas serão disputadas no Ginásio do Maracanãzinho, entre os dias 5 e 21 de agosto.

 

Confira a convocação da equipe feminina para os Jogos Olímpicos Rio 2016, divulgada pela Confederação Brasileira de Voleibol:

 

Adenízia: Central

Carol: Central

Fabiana: Central

Juciely: Central

Thaisa: Central

Dani Lins: Levantadora

Fabíola: Levantadora

Roberta: Levantadora

Naiane:Levantadora

Brait: Líbero

Léia: Líbero

Monique: Oposta

Sheilla: Oposta

Tandara: Oposta

Fernanda Garay: Ponteira

Gabi: Ponteira

Jaque: Ponteira

Mari Paraíba: Ponteira

Natália: Ponteira

 

No portal oficial dos Jogos Olímpicos Rio 2016, os ingressos dos jogos do voleibol feminino já estão à venda. As entradas da primeira fase custam de R$ 100 a R$ 350, enquanto as das quartas de final estão na faixa de R$ 180 a R$ 420. Para garantir um lugar para assistir as semifinais, os torcedores precisam desembolsar um valor de R$ 240 a R$ 600 e para torcer na final, os preços vão de R$ 260 a R$ 900.

Lida 720 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.