Cultura

Banda Geminis Bee Gees volta ao Brasil com turnê especial

Grupo apresenta os grandes sucessos da carreira dos Bee Gees

12507327_553294268159830_4142691797083615390_n

Buenos Aires, 1999, nascia a banda que reviveria as emoções e grandes sucessos dos Bee Gees. A Geminis (Gêmeos, em espanhol), é composta pelos músicos argentinos Ismael Espiño (como Barry Gibb), Alberto Canepa (como Robin Gibb) e Daniel Liberchuk (como Maurice Gibb).

Neste ano, o grupo prepara um show novo e muitas novidades. Em comemoração aos 40 anos do filme “Embalos de sábado à noite”, a banda realizará o show temático “Greatest Hits World Tour”. Além disso, a apresentação também incluirá músicas do filme “Grease – Nos Tempos Da Brilhantina”, que também apresentou diversas músicas dos irmãos Gibb.

O primeiro será em 15 de setembro, no Teatro Bourbon Country, em Porto Alegre. Logo após, as cidades de Londrina e Brasília também receberão o espetáculo.

A banda já se apresentou por cerca de 12 países, como Equador, Colômbia, Guatemala, Chile, Bolívia, Uruguai, entre outros. No Brasil, praticamente todos os estados já receberam o show da banda, sendo que o primeiro foi em maio de 2011, em Porto Alegre, depois passando por Jaraguá, Santa Cruz e Caxias do Sul.

Para o fundador, Ismael Espiño, o relacionamento da banda com o Brasil é muito importante, pois os fãs sempre foram receptivos e consomem muito Bee Gees. “No Brasil as músicas ainda tocam nas rádios, inclusive as que não são tão famosas, o público brasileiro é um grande conhecedor de Bee Gees”, afirmou.

As vozes, o figurino e os instrumentos utilizados são réplicas dos originais usados pelos Bee Gees em mais de 50 anos de carreira. Nos shows, o público acompanha toda a evolução da banda, dos anos 60 até 2000, com trocas de figurinos e instrumentos, que são da mesma marca e modelos dos originais.

“Com a alma na música e o coração nos Bee Gees”, com essa frase, Espiño diz que acontece algo especial com a banda, pois são respeitados pelos fãs de Bee Gees. “Os presidentes de fãs clubes dizem que os fãs percebem que não fazemos apenas por dinheiro e sim por amor pelos ídolos, ou seja, de fãs para fãs”, disse.

Aqui no Brasil, já realizaram cerca de 130 shows, em 4 turnês temáticas, lotando vários teatros, como o Bourbon Country, na Capital.

O primeiro disco da banda reuniu várias turnês ao vivo, de 2003 a 2006, já o segundo, foi gravado em estúdio.

No dia 13 de junho de 2014, no Teatro Feevale, em Novo Hamburgo, aconteceu a gravação do dvd com a presença de 1600 pessoas. Até hoje, já foram vendidas mais de 3000 mil cópias.

Para o músico, esse foi um dos shows mais marcantes da carreira. Além desse, ele destaca um show em 2007 no Equador, com um público de 2500 pessoas, e também outro em Curitiba, em 2014, com 2000 mil pessoas.

Após os shows, os músicos atendem os fãs, em média de 300 a 400 pessoas esperando por fotos e autógrafo. Na ocasião, também é realizada a venda dos cd’s e dvd’s. “Já tiramos fotos após os shows com mais de 25 mil brasileiros”, disse.

O empresário Paulo Roberto Muller, 43 anos, conheceu o trabalho da Geminis no show de 2014, no teatro Feevale. Para ele, é o momento de viver a emoção de um show dos ídolos que ele não teve a oportunidade. “A Geminis representa fielmente meus ídolos Bee Gees, o trabalho é feito com muito amor e orgulha muito os fãs”, comentou.

A professora Rosane Teixeira, 58 anos, já assistiu há muitos shows e agora também tem a companhia dos filhos de 25 e 28 anos, que também gostaram muito do trabalho da banda. “Já fui em muitos shows, já assisti o dvd muitas vezes, mas sempre é uma emoção diferente”, conta. Na sua opinião, quando os fãs acompanham as trocas de figurinos e instrumentos, de acordo com os sucessos de cada época, cantados com os mesmos arranjos vocais, faz com que sejam transportados para um outro lugar, uma outra época. “É sensacional e emocionante”, completa.

 

Quando tudo começou

Ismael Espiño conheceu os Bee Gees aos 15 anos, através do seu pai. Em 1997 passava na televisão um show da banda e seu pai o aconselhou a gravar a apresentação em fita VHS, pois, considerava os músicos muito bons. “Foi aí que me apaixonei”, recorda.

Na época, ele gostava de acompanhar bandas covers, como dos Beatles, Queen, entre outros. Começou a procurar por bandas que fossem imitadores de Bee Gees, porém não encontrou. Desde então, teve a ideia de criar sua própria banda e para isso, procurou músicos em anúncios, jornais e sites. Após estar com a formação completa, desistiu da faculdade de engenharia de sistemas e assim nasceu a Geminis Bee Gees. “A minha vida toda mudou, mudei até de profissão, larguei tudo para começar a banda”, explicou.

No dia 8 de dezembro de 2002, no Teatro Santa Maria, em Buenos Aires, aconteceu o primeiro show.

 

Momento especial

Em 2005, Espiño foi a uma apresentação de Robin Gibb, na Argentina, nessa época os Bee Gees já estavam separados. Porém, o momento mais especial aconteceu em fevereiro de 2014, Miami, em um show de Barry Gibb (músico que ele representa). Chegou um dia antes para assistir ao ensaio, mas no dia seguinte quando chegou ao local do show que a emoção foi maior. Fãs de todo o mundo o reconheceram pelo seu trabalho com a Geminis, inclusive o próprio Barry Gibb já tinha conhecimento que era ele o “argentino que imita os Bee Gees”, e conhecia o trabalho da banda.

Mesmo vestido de terno e gravata, sentou-se no chão, bem em frente ao palco e ao cantor. “Foi emocionante, fiquei na frente dele, cantei todas as músicas, filmei, foi muito bom, voltei a ser criança”, lembra. Para completar, uma foto com o ídolo após o show eternizou o momento. “Foi lindo”, finaliza.

 

Lida 747 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.