Política

Os rostos do ato “Fora Temer”

Conheça alguns participantes da manifestação do dia 22 de setembro em Porto Alegre

As manifestações pedindo a saída do presidente Michel Temer seguem ocorrendo em Porto Alegre e também em outras capitais do Brasil. Na última quinta-feira (22), o Centro Histórico da capital gaúcha foi palco do “Ato contra o golpe: Fora Temer”, como chamou a organização do evento.

A concentração do ato foi na Esquina Democrática e reuniu militantes, partidos e alguns representantes sindicais. Ao longo do trajeto, que percorreu a Rua do Andradas, passou pelo Cais Mauá e Gasômetro, Avenida Ipiranga e algumas ruas da Cidade Baixa, diversas pessoas expressavam seu descontentamento com o atual governo. A Beta Redação conversou com alguns manifestantes para entender o que os motiva a participar dos atos.

Eduardo Munhoz Batista acredita que é necessário lutar para garantir direitos e para que nossos filhos e netos tenham um país melhor. Entende que as medidas propostas pelo novo governo vão tornar a vida do cidadão muito mais difícil e que as reformas, como a trabalhista e da Previdência, irão beneficiar os rentistas, aqueles que vivem de rendimentos, e não os trabalhadores. E, na visão dele, somente a luta traz um resultado. “Sem pressão, eles vão passar a patrola!”, garante.

 

PORTO ALEGRE, RS, 22.09.2016: ATO CONTRA O GOLPE: “FORA TEMER”- Eduardo Munhoz Batista, acredita que temos que lutar para garantir direitos e que nossos filhos e netos tenham um país melhor. Entende que as medidas propostas pelo novo governo de Michel Temer vão tornar a vida do cidadão muito mais difícil. Que as reformas, como a trabalhista e da previdência, irão beneficiar os rentistas, aqueles que vivem de rendimentos, e não os trabalhadores. E, somente, a luta traz um resultado. “Sem pressão, eles vão passar a patrola!” (Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação)

Eduardo Munhoz Batista. Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação

 

Segundo a bancária Ísis Marques, o que a motiva a ir para rua é a manutenção dos direitos trabalhistas. “Estou aqui pela proteção dos bancos públicos, dos meus direitos como bancária. E também em defesa do SUS e do Pré-Sal. Precisamos salvar a democracia”, disse Ísis.

 

PORTO ALEGRE, RS, 22.09.2016: ATO CONTRA O GOLPE: “FORA TEMER” (Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação)

Ísis Marques. Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação

 

Mário Sansegundo, professor do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) Campus Viamão, participou da manifestação com colegas e alunos da instituição para protestar contra os cortes de verba que atingem a educação e o congelamento de recursos por um período de 20 anos para o setor. “Isso afeta a disponibilidade de vagas na rede pública de ensino e impacta diretamente a política de assistência estudantil do IFRS, que propicia que vários estudantes, filhos das classes trabalhadoras, possam entrar na instituição”, assegurou.

 

PORTO ALEGRE, RS, 22.09.2016: ATO CONTRA O GOLPE: “FORA TEMER”- Mário Sansegundo, professor do Instituto Federal do Rio Grande do Sul – IFRS – Campus Viamão, participou da manifestação juntamente com colegas e alunos da instituição para protestarem contra os cortes de verba que atingirão a educação e congelamento da incrementação de recursos por um período de 20 anos para o setor. “Isso afeta a disponibilidade de vagas na rede pública de ensino e impacta diretamente na política de assistência estudantil do IFRS que propicia que vários estudantes, filhos das classes trabalhadoras, possam entrar na instituição.” (Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação)

Mário Sansegundo. Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação

 

Fernanda Pereira, estudante de Administração Técnica do IFRS Campus Viamão, se diz apavorada com o corte de verbas do orçamento para a instituição em 2017, o que deixará muitos alunos sem o recurso do auxílio estudantil. Preocupa-se também com a manutenção do IFRS no município de Viamão, onde a sede é alugada por aproximadamente R$ 500 mil, segundo ela. Acredita que se todos lutarem juntos o resultado pode ser efetivo. “A forma mais eficaz de protestar contra tudo isso é estar na rua, é pé no chão. Não com posts no Facebook.”

 

PORTO ALEGRE, RS, 22.09.2016: ATO CONTRA O GOLPE: “FORA TEMER”- Fernanda Pereira, estudante de Administração Técnica do IFRS – Campus Viamão, está apavorada com o corte de verbas do orçamento para a instituição em 2017 que deixará muitos alunos sem o recurso do auxílio estudantil. Preocupa também a manutenção do IFRS no município de Viamão que é alugada por aproximadamente R$ 500 mil, segundo Fernanda. Acredita que se todos lutarem juntos, o resultado pode sim ser efetivo. “A forma mais eficaz de protestar contra tudo isso é estar na rua, é pé no chão. Não com posts no Facebook.” (Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação)

Fernanda Pereira. Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação

 

Vitória Ungaretti Lucas está lutando pois ela, como povo, diz que não consegue se ver inserida na política brasileira nem se sente representada pelo Congresso Nacional. “Eu vim aqui para protestar pela democracia, pelo fim da desigualdade e pelas pessoas da periferia e do campo”, explica.

 

PORTO ALEGRE, RS, 22.09.2016: ATO CONTRA O GOLPE: “FORA TEMER”- Vitória Ungaretti Lucas, está lutando pois ela, como povo, não consegue se ver inserida na política brasileira nem que estejamos representados pelo Congresso Nacional. “Eu vim aqui para protestar pela democracia, pelo fim da desigualdade e pelas pessoas da periferia e do campo.” (Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação)

Vitória Ungaretti Lucas. Foto: Luis Felipe Matos/Beta Redação

 

Uma performance da Comissão de Intervenções Artísticas da Frente de Luta contra o Golpe seguiu à frente do grupo de manifestantes que percorreu o Centro Histórico de Porto Alegre na quinta-feira (22). Sob gritos de guerra como “Não tem mulher! Só tem patrão! Esse governo é inimigo do povão!”, as “sacerdotisas” representavam o feminino. “É a força das mulheres, que não existe neste governo. Elas carregavam as cinzas do caixão da democracia, queimado no protesto anterior”, explica Caroline Genro, integrante da comissão que estava orientando a performance.

 

PORTO ALEGRE, RS, 22.09.2016: ATO CONTRA O GOLPE: “FORA TEMER”- Performance da Comissão de Intervenções Artísticas da Frente de Luta contra o Golpe, segue à frente do grupo de manifestantes que percorreu o Centro Histórico de Porto Alegre, nesta noite. Sob gritos de guerra como “Não tem mulher! Só tem patrão! Esse governo é inimigo do povão!” as sacerdotisas representavam o feminino. “É a força das mulheres, que não existe neste governo. Elas carregavam as cinzas do caixão da democracia, queimado no protesto anterior”, explica Caroline Genro, integrante da comissão que estava orientando a performance.

Performance da Comissão de Intervenções Artísticas da Frente de Luta contra o Golpe (Foto: Luis Felipe Matos/ Beta Redação)

 

Para saber mais sobre o ato, leia a matéria Manifestações Fora Temer seguem ocorrendo em Porto Alegre. Abaixo, confira a galeria com todas as imagens da manifestação:

 

Lida 1437 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.