Esporte

Arqueiros miram em Tóquio 2020

Jovens gaúchos treinam e disputam competições de Tiro com Arco

O tiro com arco, popularmente conhecido como arco e flecha, é uma prática antiga, primeiramente utilizada como ferramenta de batalha no início da civilização. A partir do século XVII, encontram-se registros dessa competição  como um esporte, sendo que no ano de 1900 ela passa a integrar os Jogos Olímpicos.

Até 1920, houve disputas nas Olimpíadas. Porém, polêmicas com as regras do esporte causaram sua retirada da competição até 1972, ano em que retornou. As disputas olímpicas de tiro com arco permanecem ainda hoje, e inclusive contaram com atletas brasileiros na Rio 2016.

____

Nenhuma medalha veio para o Brasil, mas há jovens gaúchos treinando para mudar essa situação no futuro.

Jovens gaúchos treinam para trazer medalhas ao país – nas Olimpíadas não foi conquistado lugar no pódio. Foto: Fabiano Scheck/Beta Redação

___

Associação Arthemis

Em Cachoeirinha, existe a Associação Arthemis Tiro com Arco, que utiliza o espaço do Colégio Agrícola Estadual Daniel de Oliveira Paiva (Rua Bonifácio Carvalho Bernardes, 1400) para treinamento de tiro com arco. Um dos instrutores da atividade e também presidente da associação é Cristiano Zarichta. “Em 2013 recebi um convite da prefeitura para ser coordenador de um projeto de arco e flecha. Na época, eu apenas brincava com o esporte com o grupo de escoteiros em que trabalhava”, relembra.

Cristiano ainda não era capacitado para ensinar a modalidade, porém, com o apoio municipal, ganhou cursos e treinamentos para desenvolver o esporte na cidade.

_____________

betaesportearqueiros

Cristiano Zarichta é certificado como técnico pela Confederação Brasileira de Tiro com Arco – CBTARCO. Foto: Fabiano Scheck/Beta Redação

_____

O projeto ganhou adeptos e foi crescendo, até que, em janeiro de 2015, Cristiano fundou a Arthemis com apoio público e privado. O foco da associação são as categorias de base, que disputaram entre os dias 2 e 6 de setembro o 9º Campeonato Brasileiro Infantil, Cadete e Juvenil, em Campinas-SP. Doze crianças participaram competindo pela associação. “É a primeira vez que o Rio Grande do Sul formaliza e manda uma delegação tão grande para um campeonato de nível nacional”, informa Cristiano. Desde janeiro, eles treinaram intensamente para essa competição.

_____

Os doze arqueiros da Arthemis que participaram do 9º Campeonato Brasileiro Infantil, Cadete e Juvenil acompanhados dos técnicos Cristiano Zarichta e Alexandra Cardoso.

Os doze arqueiros da Arthemis que participaram do 9º Campeonato Brasileiro Infantil, Cadete e Juvenil, acompanhados dos técnicos Cristiano Zarichta e Alexandra Cardoso.  Foto: Arquivo pessoal/Cristiano Zarichta

_________

Gustavo Azevedo, 14 anos, é um dos jovens arqueiros da Arthemis que competiram em Campinas. “Comecei no tiro com arco por convite de um amigo que praticava. Acabei treinando e recebi apoio dos meus pais”, relata. Ele leva o esporte como algo sério, não apenas por diversão. “Gosto muito de arco e flecha, pois é algo que exercita disciplina, paciência e coordenação motora.”. Gustavo pretende seguir praticando para, no futuro, tornar-se um atleta profissional.

Apesar de contar com apoio da prefeitura, a Arthemis ainda não consegue cobrir todos os seus gastos. O dinheiro para viagens é arrecadado através de eventos como jantar, bailes e ações como “pedágio de arrecadação”, em que os arqueiros empunham cartazes nas ruas pedindo colaboração. “Os equipamentos que oferecemos são caros, e viajar também. Contamos com muito ‘paitrocínio’, mas não é o ideal”, diz Cristiano.

O tiro com arco é um esporte com diversas modalidades. Há competições indoor (em ginásios), outdoor (ao ar livre), individuais, de equipes, masculino, feminino, sendo que as distâncias podem variar e o arco também. Para conhecer mais sobre a modalidade disputada nas Olimpíadas, confira o site oficial de tiro com arco da Rio 2016.

“Gosto de atirar, sou atleta, tenho algumas medalhas, mas meu foco principal é desenvolver o esporte. Estamos treinando e queremos ir a Tóquio em 2020”, diz Cristiano Zarichta.

A associação está aberta a doações e patrocínios da comunidade, basta se informar pelo site da Arthemis. Para treinar e fazer cursos, há formas de ingresso gratuita e paga. Crianças a partir de 12 anos e adultos podem participar, de ambos os sexos. Para mais informações sobre o projeto, acesse a página no Facebook.

_____________

Arco e flecha no Rio Grande do Sul

Raoni Vieira, conselheiro fiscal da Federação Gaúcha de Arco e Flecha – FeGAF, ajuda a divulgar o esporte no Estado. “Tudo o que for material para divulgar o esporte é sempre bem-vindo”, ressalta. O site da federação traz notícias de competições e todos os locais certificados que oferecem a prática do esporte, além de explicações de regras e modalidades.

A FeGAF é amparada pela Confederação Brasileira de Tiro com Arco – CBTARCO, que é filiada ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), à Federação Internacional de Tiro com Arco (FITA) e a outras instituições.

Lida 651 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.