Esporte

Álcool e futebol: um gol contra

Consumo excessivo de álcool e vida desregrada em baladas podem terminar mais cedo com a carreira de um jogador

empty-791573_1920Assim como dentro do campo, um jogador de futebol precisa jogar sua vida social dentro de alguns limites. Levar uma vida regada a álcool e festas constantes é arrematar contra próprio desempenho e levar a um apito final precoce na carreira do atleta. No futebol profissional, muitos atletas de renome sofreram as consequências de um comportamento abusivo.

 

Apesar de terem desempenhado carreiras brilhantes, atletas como o Romário, Renato Gaúcho, o   ‘Imperador’ Adriano, Ronaldinho Gaúcho, Edmundo e muitos outros poderiam ter realizado grandes feitos se tivessem considerado uma rotina que não envolvesse noitadas frequentes e muita bebida. Há ainda aqueles que tiveram problemas posteriormente,  como atacante Sócrates e anjo das pernas tortas Garrincha, que acabaram morrendo jovens devido a complicações do fígado.

 

É comum também ver jogadores em início de carreira que começam a ganhar muito direito e a esbanjá-los em festas. Muitos deles acabam tendo uma queda de rendimento e não evoluem todo seu potencial como jogadores. A polêmica mais recente foi com o astro do Barcelona e da seleção Brasileira, Neymar. Ele foi criticado por sair para balada junto de outros jogadores da seleção olímpica, principalmente quando o desempenho da equipe não estava bem.  O time acabou saindo campeão da competição.
O pesquisador  John Underwood,  do Instituto  Norte Americano de Atletismo, elaborou um estudo onde descobriu que o estilo de vida de um atleta de rendimento pode dar a ele uma vantagem de 5% a 6%. Ao mesmo tempo, o consumo de álcool pode reduzir o desempenho, em média, em 11,4%, com  decréscimo no poder de explosão de 11%, na velocidade de aceleração e de 6%  na resistência. Ex-atleta e ex-técnico de atletismo, Underwood dedicou os últimos 13 anos como pesquisador para  entender o que leva jovens promissores a jamais desenvolverem todo potencial atlético e aos atletas habilidosos terem um fim precoce em suas carreiras.

 

Entrevistamos o fisiologista e preparador  físico Vinicius Ferreira, que foi preparador de clubes do interior e atualmente acompanha de perto a preparação física individual de jogadores. O profissional traz respostas que envolvem os impactos da bebida na vida do atleta e como ele pode conciliar as festas dentro da sua rotina:

 

Um jogador consegue sair para festas e manter um rendimento alto dentro de campo?

 

 

Como classificar os impactos que a bebida e a rotina de festas desregradas pode provocar a um atleta?

 

 

Quais são os limites que um jogador deve respeitar para manter um bom desempenho físico durante a temporada ?

 

 

Como tu vê o comportamento de jogadores jovens como Neymar, que são vistos na balada com certa frequência?

 

 

Grandes jogadores como Romário e Renato Gaúcho são conhecidos por terem sido baladeiros durante toda a carreira. Mesmo assim, conseguiram várias conquistas importantes. Alguns jogadores tem uma resistência maior ou conseguem compensar o físico com a habilidade?

Lida 500 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.