Geral

Acessibilidade: confira a situação das estações da Trensurb

Em 22 terminais, transitam 180 mil usuários por dia - parte deles, pessoas com deficiência. A Beta Redação verifica, a cada parada do trem, qual é a estrutura disponível para quem tem dificuldades de locomoção

Imagine-se em uma cadeira de rodas. Pense em sua rotina e nos lugares que você percorre diariamente. Eles têm rampas de acesso? Você conseguiria realizar suas atividades sozinho? E se você não enxergasse e dependesse das calçadas com pisos táteis para fazer o deslocamento entre a sua casa e o seu local de trabalho?

De acordo com o Censo 2010, realizado pelo IBGE, o Brasil tem 45,6 milhões de pessoas que se declaram com algum tipo de deficiência. Isso corresponde a 23,9% da população brasileira, ou a 484 estádios do Maracanã lotados. Muita gente, não?

 

ok ok.fw

Segundo IBGE, o Brasil tem 45,6 milhões de pessoas que se declaram com algum tipo de deficiência / Foto: Diovana Dorneles

Beta Redação foi conferir a situação das estações da Trensurb quanto à acessibilidade. Em dois dias de visitas, foram verificadas as 22 estações, que estão distribuídas em seis municípios da Região Metropolitana. Segundo a Trensurb, aproximadamente 180 mil pessoas utilizam o transporte todos os dias.

As estações com maior fluxo de pessoas têm, em sua maioria, escadas rolantes, escadas simples e ao menos um elevador. Mas você acha que todas as estações estão equipadas? Nem todas.

A situação mais complicada é a da estação Petrobras, que, apesar da estética impecável, com mosaicos e pinturas no teto, não possui escada rolante. Outro ponto destacado por usuários dessa estação é a falta de cobertura nas passarelas de acesso ao local. “Em dias de chuva forte, não tem jeito, sempre nos molhamos quando saímos daqui”, conta Gabriel, estagiário de uma das empresas da região.

A falta de escadas rolantes ou elevadores não afeta apenas quem possui algum tipo de deficiência física. Mães com carrinhos de bebês também passam trabalho para chegar à plataforma. “Já vi muitas mães aqui tendo uma dificuldade bem grande porque, se estão sozinhas, precisam pedir ajuda de outras pessoas para carregar os carrinhos”, relata a estagiária de relações governamentais Cândida Mezarroba.

No mapa interativo, abaixo, você confere o que funciona (ou não) em cada uma das estações do Trensurb clicando sobre os pontos em vermelho.

 

Em busca de melhorias

De acordo com a assessoria da Trensurb, a empresa possui projeto executivo para obras de acessibilidade nas estações Anchieta, Niterói, Fátima, São Luís, Petrobrás, Sapucaia e Luiz Pasteur, que preveem a instalação de elevadores. Esses projetos aguardam disponibilidade orçamentária. Segundo a empresa, os agentes metroviários e da segurança estão treinados para atendimento a pessoas com deficiência, e a Trensurb conta com plataformas portáteis para transporte de cadeiras de rodas em escadas fixas.

Escadas rolantes na estação Unisinos: lenda urbana ou um dia elas voltarão a funcionar?

Segundo a Trensurb, as escadas rolantes da Estação Unisinos foram desativadas por questão de segurança, por apresentarem extenso desgaste. Como são de um modelo cujo suporte foi abandonado pelo fabricante, sua reforma não é possível. Por isso, a empresa está realizando a contratação para o fornecimento de novas escadas.

 

Escada rolante

Lida 1025 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.