Política

A reação no campus: desinformação, comemorações e críticas à mídia

A surpreendente divulgação do grampo entre a presidente Dilma e o ex-presidente Lula – e a consequente quebra de sigilo da Operação Lava Jato – provocou reações distintas na Unisinos São Leopoldo na noite de quarta-feira (16). A reportagem da Beta Redação percorreu o campus para ouvir a opinião de alunos e funcionários a respeito da crise política. O que se viu: falta de informação sobre o assunto, comemorações, críticas e receio com o que virá nos próximos dias.

Carlos Eduardo Vieira, funcionário da Unisinos, acredita que, por mais que a mídia esteja “vendendo” uma suposta fuga do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva ao assumir como Ministro da Casa Civil, não há fuga para ele. “O STF (Supremo Tribunal Federal) tem soberania para determinar e dar a palavra final no caso. A mídia está vendendo uma fuga do Lula, mas acredito que ele não vai ter sucesso nessa tentativa”, explica. As amigas Paula Suemi Bordignon, Keli de Andrade e Viviane Corteletti concordam com Carlos, ressaltando que a própria palavra “fuga”, utilizada pela mídia, já mostra um discurso parcial.

Já para Rian Dantas, 24 anos, o juiz Sérgio Moro está sendo aproveitador. “Cada um está pendendo para seu lado: Moro usando essas artimanhas para se autopromover como um salvador da pátria, e Lula entrando como ministro para se defender”, explica. O estudante de Publicidade e Propaganda Caíque Agulla, 20 anos, também acredita que a mídia está fazendo uma cobertura que denigre a imagem de Lula. “O que deveríamos ver era uma ampla cobertura que fizesse com que todo cidadão refletisse acerca da posse de Lula como ministro. No final das contas, ele está tentando se fortalecer politicamente, e a mídia é uma arma política que está voltada contra ele.”

Se de um lado a opinião é contra a mídia e as manipulações, no Centro do Direito há entusiasmo e certeza sobre uma conclusão justa do caso. Os estudantes de Direito Wagner Cemin e Maria Eduarda Klein e a estudante de Administração Júlia Oliveira, todos de 19 anos, comemoram a quebra de sigilo do processo da Lava Jato e a divulgação dos áudios e conversas. “Estava mais do que na hora. Essa foi a prova final que o povo precisava para finalmente enxergar toda a corrupção na qual o Lula está envolvido”, ressalta Wagner.

O estudante Wagner Cemin. / Foto: Roberto Bemfica

O estudante Wagner Cemin. / Foto: Roberto Bemfica

“Recebi os áudios pelo WhatsApp e achei a voz do Lula meio suspeita, mas um amigo meu que trabalha com isso confirmou que a voz realmente é dele”, brinca o estudante do 7º semestre de Direito Frederico Bet, 20 anos.

Para Bet, Lula está se defendendo. Sobre a nomeação dele na Casa Civil, acredita que possa ser invalidada: “Pode ser um ato administrativo nulo por fugir da finalidade do ato”. Na opinião do estudante de Direito, o impeachment tem poucas chances de ocorrer. “Não tenho posição sobre o impeachment, mas acredito que prisão preventiva [de Lula] está ganhando cada vez mais força”, frisa.

“Tenho a esperança de que isso que ocorreu hoje seja, pelo menos, o início de um julgamento efetivo e a tão esperada prisão do ex-presidente”, diz o assessor de imprensa e estudante de Publicidade e Propaganda Felipe Mendes, 21 anos. “Se esses áudios não provam alguma coisa, não sei o que mais precisa ser feito para provar o envolvimento dele com corrupção e a óbvia tentativa de fuga ao assumir o ministério”, conclui. Confira, a seguir, a opinião de Felipe Mendes em vídeo:

Vídeo: Roberto Bemfica.

 

Lida 579 vezes
  • Publicado em: 16/03/2016

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.