Geral

A Geral que queremos

O desafio está lançado. Assumimos a responsabilidade de, semanalmente, alimentar a editoria de Geral da nossa caçulinha Beta Redação. É mais uma oportunidade de mostrarmos ao mundo a que viemos. Não é apenas uma maneira de construir um portfólio, mas sim, a chance de respirarmos a rotina, as regras e as exigências que as redações de grandes veículos possuem.

Mas afinal, o que teremos na editoria de Geral? O que nos fará diferente de outros sites de produção de conteúdo? A ideia é caçar cliques ou focar no jornalismo “sério”? Mas o que é seriedade no jornalismo? Podemos, sim, ser sérios e descontraídos ao mesmo tempo. A nossa missão aqui é conversar com o leitor, francamente, abertamente, de maneira que ele entenda, que ele reflita sobre o conteúdo e que não pare de ler o texto na linha de apoio.

Vamos olhar para o lado humano do jornalismo, ir para a nossa casa, que é a rua, trazer à tona problemas, novidades, curiosidades e histórias que sensibilizem, conscientizem e incentivem as pessoas a seguir na busca pelos seus sonhos e ideais. Queremos inspirar! Ousar! Arriscar!

O jornalismo é uma profissão complexa e está em constante transformação. Testa, inventa, cria, renova, erra, começa de novo, e nunca morre. O jornalismo não morre e nunca irá morrer. Hoje, qualquer pessoa pode gerar conteúdo na internet, mas não são todos que fazem o jornalismo.

A ombudsman do “New York Times”, Margaret Sullivan, deu conselhos de comportamento, em uma disciplina sobre público e engajamento na Escola de Graduação em Jornalismo de Columbia, para aqueles que estão iniciando a carreira em meio a essa transformação da área que estamos vivendo.

Acredito ser de extrema importância compartilhar aqui, segue a lista*:

1) Sobre redes sociais:

– Não se estresse ao volante; afaste-se do teclado.
– Seja útil.
– Seja responsável.
– Esteja disposto a corrigir e a reconhecer erros prontamente.
– Mostre limites. Lembre-se de que você está publicando para o mundo. Para sempre.
– Tente uma mistura de 20% de descontração e 80% de informação.
– Leia cada link antes de re-tuitar ou repostar.
– É uma ferramenta, não um fim em si mesmo.

2) Sobre jornalismo:

– Não pegue atalhos. Faça o trabalho completo.
– Se pegar “emprestado”, sempre credite com um link e uma menção específica, e sempre escreva com suas próprias palavras.
– Você pode perder sua reputação e sua carreira em um instante.
– Apesar disso, não seja tímido. Seja corajoso.
– Peça conselhos para pessoas inteligentes.
– Trabalhe para melhorar o mundo, mesmo que em uma pequena escala.
– Não caia no jornalismo “mínimo denominador comum”.
– Um pouco de irreverência vai longe.
– Dê mais importância para justiça do que para objetividade.
– Pense o quão próximo você pode chegar da verdade.
– Coloque-se no lugar das pessoas que serão afetadas por seu trabalho. Isso não significa perder o senso crítico.
– Seja rigoroso. Vá além. Se pensa que deve entrevistar cinco pessoas, entreviste 10. Cheque fatos com determinação.
– Seja agressivo: um jornalista passivo não é realmente um jornalista.
– Seja realmente bom em uma ou duas coisas. E tente ser decentemente bom em uma grande gama de coisas.
– Se você errar, desculpe-se completamente e siga em frente.
– Tente trabalhar para alguém influente.
– Retribua qualquer ajuda que você tenha recebido em sua carreira.
– Seja idealista. Resista ao cinismo.
– Nunca seja tedioso: seja atraente e claro, especialmente quando o assunto é complicado ou difícil de entender. Se você está escrevendo coisas nebulosas, talvez você não entenda o assunto ainda. Tenha solidariedade com os leitores.
– Você não está neste mercado pelo dinheiro, então por que está nele? Faça o trabalho.

Disponível em: http://novoemfolha.blogfolha.uol.com.br/2015/08/19/seja-idealista-resista-ao-cinismo-aconselha-ombudsman-do-nyt-aos-jovens-jornalistas/

Lida 628 vezes

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por favor resolva a equação * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.